Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio


Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

A Orquestra Gulbenkian vai tocar pela primeira vez atrás das grades

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 07.06.18

Pela primeira vez em 50 anos, a orquestra atua no dia 9 de junho num estabelecimento prisional, em Leiria, no âmbito da primeira apresentação pública da terceira edição do projeto "Ópera na prisão", que estreia Só Zerlina, ou Così Fan Tutte?

Na Tanoaria do Estabelecimento Prisional de Leiria, a orquestra toca, no sábado, com um elenco formado por reclusos e solistas profissionais. Um momento histórico que potencia as virtudes do projeto, sublinha o diretor artístico da Sociedade Artística Musical dos Pousos (SAMP), que coordena "Ópera na Prisão".

"É a primeira vez que a Orquestra Gulbenkian toca dentro de uma prisão, e, ao que sabemos, é a primeira vez que, em todo o mundo, uma orquestra com este nível profissional acompanha uma ópera dentro de uma prisão", afirma Paulo Lameiro, o diretor artístico da SAMP.

"Estamos a falar da mais prestigiada orquestra portuguesa. Ter a acompanhar esta ópera a Orquestra Gulbenkian elevou naturalmente todo o nível artístico da produção, pois solistas e reclusos, técnicos de luz e som, orquestradores e encenador, e todos os muitos profissionais que envolve qualquer produção de ópera, se deixaram contagiar pela responsabilidade desta prestigiada formação artística", explica o diretor artístico, admitindo que viagem da orquestra até Leiria implica "um esforço perfeitamente anómalo" à atividade normal.

Estreado pela SAMP em 2003, o projeto "Ópera na Prisão" funcionou durante três anos. Em 2014 regressou com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, integrado no programa Partis, que visa a integração social através das práticas artísticas.

No quinto ano desta nova fase, o foco de "Ópera na Prisão" incide sobre as famílias dos reclusos. Além dos 40 detidos envolvidos, também 60 familiares trabalham com a SAMP fora do contexto prisional.

Paulo Lameiro realça os resultados: "São visíveis e observáveis. Diria que o mais emblemático de todos é que, para esta vinda da Orquestra da Fundação Gulbenkian ao Estabelecimento Prisional de Leiria, teremos entre a equipa de técnicos profissionais um jovem que na edição anterior era um dos reclusos participantes".

Mas há mais: no público vão estar alguns jovens que também participaram na "Ópera da Prisão" em anos anteriores.

"Estando já em liberdade, quiseram mesmo entrar de novo na prisão que os cativou tantos anos, para aí ver e ouvir o que eles sabem bem: quanto suor custou a todos os participantes", frisa.

Para o diretor artístico, contudo, o efeito mais significativo "não é medível em nenhuma escala usada para classificar o impacto social destes projetos". E recorda o caso de outro recluso que fez parte do elenco da ópera anterior.

"Está hoje em liberdade, tem um emprego, uma mulher e um bebé de três meses, a quem acalma as cólicas da noite - para surpresa e estupefacção da mulher! - cantando-lhe as árias que aprendeu na prisão".

Intitulada "Pavilhão Mozart", a terceira edição contempla também a criação dentro do Estabelecimento Prisional de Leiria de "um centro de artes performativas cujo 'modus operandi' se pretende aberto à comunidade exterior para mostrar os trabalhos aí realizados pelos reclusos".

Segundo Paulo Lameiro, "depois de um longo processo", vão começar, entretanto, as obras numa das oficinas do Estabelecimento Prisional dedicado a jovens, para capacitar o espaço com meios de criação e apresentação artística.

"Vai mesmo nascer o Pavilhão Mozart. Em outubro iniciam-se três trimestres de criação com companhias de dança e teatro, já a funcionar no novo espaço, no qual a comunidade poderá depois ir assistir aos espetáculos que desse trabalho resultarem".

Após a estreia em Leiria, "Só Zerlina, ou Così Fan Tutte?" terá apresentação em Lisboa, no Grande Auditório Gulbenkian, nos dias 12 e 13 de julho, culminando o segundo ano da terceira edição.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Beach Boys editam álbum com a Royal Philharmonic Orchestra

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 15.05.18

Beach Boys editam álbum com a Royal Philharmonic Orchestra

O grupo Beach Boys edita a 8 de junho o álbum "The Beach Boys with the Royal Philharmonic Orchestra", gravado nos estúdios de Abbey Road, em Londres, anunciou a editora Universal Music.

O alinhamento apresenta 17 temas clássicos do grupo pop dos anos 1960, como "Fun, Fun, Fun", "Good vibrations", California Girls" e "God only knows".

Segundo a editora, a orquestra gravou este ano "novos arranjos orquestrais para complementar as clássicas harmonias vocais dos Beach Boys, tendo sido utilizadas as gravações originais do grupo".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alunos da ESART selecionados para a orquestras nacionais e internacionais.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 04.05.18

Resultado de imagem para esart

Sete alunos da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB foram selecionados para Orquestras nacionais e internacionais, após realização de provas com outros candidatos.

Quatro alunos da licenciatura em Música-variante Instrumento - Violino foram selecionados para a Orquestra de Jovens do Mediterrâneo (OJM). A aluna Inês Pais foi selecionada como membro efetivo da OJM. Já os alunos Andreia França, David Seixas e Sara Martins foram selecionados como reserva. Inês Pais “sucede” assim a Ricardo Vieira que, em 2016, assumiu o lugar de concertino. Este ano, a Orquestra de Jovens do Mediterrâneo irá realizar o estágio de verão entre os dias 10 e 27 de julho em Aix-en-Provence, seguido de uma tournée. Este concurso surge como reconhecimento internacional do trabalho desenvolvido na classe de violino e outras classes na ESART. Anualmente, os alunos de violino são selecionados para orquestras nacionais e internacionais, assim como festivais internacionais, o que constitui uma mais-valia na sua formação e um forte in­centivo para a continuidade dos seus estudos.

Na licenciatura em Música-variante Instrumento-Trompete, os alunos Bruno Campos e Ângelo Cardoso foram selecionados para a Jovem Orquestra Portuguesa (JOP) e para a Orquestra Filarmónica Portuguesa (OFP), respetivamente. São alunos da classe de Trompete do professor António Quítalo. Já José Carrilho, aluno do Mestrado em Ensino de Música da ESART-IPCB foi igualmente selecionado para a Orquestra de Jovens do Mediterrâneo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

AMDF - Festival “Aqui há Música”. 27 ABR a 27 MAI.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 24.04.18

Festival “Aqui há Música” visita cinco freguesias de Penamacor 

Os músicos da AMDF vão atuar em cinco freguesias de Penamacor, entre 29 de abril e 27 de maio. O Festival “Aqui há música” resulta de uma parceria entre aquela instituição e a Câmara Municipal

Penamacor recebe, entre 29 de abril e 27 de maio, o Festival “Aqui há música”, que visitará cinco freguesias do concelho, com um concerto em cada uma delas.

Esta iniciativa surge no âmbito de uma parceria entre a Câmara Municipal de Penamacor e a Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF), que visa não só o ensino da música, mas também a sua difusão no espaço concelhio.

O festival tem início a 29 de abril, pelas 17:00, na Igreja Matriz de Penamacor.

O espetáculo estará a cargo da Orquestra de Cordas e do Coro Misto e Solistas da AMDF, que interpretarão um novo programa com base no Stabat Mater de Giovanni Battista Pergolesi e peças de Johann Sebastian Bach e Antonio Vivaldi.

Já no dia 6 de maio, o Quarteto de Saxofones atua em Vale da Senhora da Póvoa, no salão da Junta de Freguesia, pelas 15:00, e na Meimoa, no Museu Dr. Mário Bento, pelas 17:00.

Por fim, no dia 27 de maio, será a vez da Orquestra de Sopro visitar Águas, atuando no salão da Junta de Freguesia, pelas 15:00, e a Benquerença, com um concerto na Casa do Povo, pelas 17:00.

Autoria e outros dados (tags, etc)

AMDF realiza concerto em Vale de Prazeres. 8 ABR, 16h00, Igreja Matriz.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 07.04.18

Foto de Academia de Música e Dança do Fundão.

A convite da Comissão Fabriqueira de Vale de Prazeres, a Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF) realiza no domingo, dia 8 de Abril, um concerto na igreja matriz de Vale de Prazeres.

O espetáculo começa às 16 horas e conta com a participação da Orquestra de Guitarras da Academia de Música e Dança do Fundão acompanhada pelos solistas de canto Filipa Melo, Laura Alves, Margarida Geraldes e Rafael Lourenço.

Do alinhamento do concerto, idêntico ao apresentado em Janeiro último em França, constam obras de intérpretes e compositores portugueses. Ferrer Trindade, José Afonso ou Carlos Paredes estão entre os escolhidos para o espectáculo que tem entrada gratuita.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Orquestra Sinfónica da ESART – IPCB promove Gala de Ópera

O Cine Teatro Avenida, em Castelo Branco, acolhe, no dia 15 de março, a partir das 21h30m, uma Gala de Ópera pela Classe de Canto das professoras Elisabete Matos e Dora Rodrigues, com a participação Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, que terá uma nova sessão em Proença-a-Nova no dia seguinte, à mesma hora.

Com direção musical a cargo do Maestro Rui Pinheiro, serão interpretadas obras do repertório operático desde o Séc. XVII ao Séc. XIX, dos compositores Verdi, Bellini, Bizet, Delibes, Strauss e Bernstein.

A entrada é livre e aberta a toda a comunidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aluno da ESART/IPCB selecionado para a Orquestra de Jovens da União Europeia 2018

Miguel Erlich, aluno da licenciatura em Música – variante Instrumento da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, foi recentemente selecionado para a Orquestra de Jovens da União Europeia (OJUE), para a temporada 2018.

As audições para a Orquestra de Jovens da União Europeia são tuteladas e organizadas pela Direcção-Geral das Artes (DGARTES) da Secretaria de Estado da Cultura.

Este ano, participaram nas audições para a OJUE 380 músicos portugueses, tendo sido selecionados apenas 22 músicos (12 como membros efetivos e 10 como reserva).

Miguel Erlich faz parte do restrito leque dos jovens músicos portugueses selecionados para a OJUE como membro efetivo.

A Orquestra de Jovens da União Europeia foi fundada há mais de 30 anos com o objetivo de juntar os mais talentosos jovens instrumentistas da União Europeia, oferecendo aos candidatos aprovados a oportunidade de trabalhar com professores especializados de instrumento e de tocar em todo o mundo com maestros e solistas de renome.

Os cursos iniciais, que o jovem aluno da ESART terá o privilegio de frequentar, terão a duração de duas semanas, com ensaios gerais com professores de orquestras e conservatórios da Europa, seguido de uma digressão de cerca de 10 concertos.

Paralelamente à preparação para a digressão, o período de ensaios será preenchido com sessões de música de câmara, com atividades desportivas e outras atividades recreativas, que permitem aos jovens músicos tirar o melhor partido do trabalho a desenvolver num ambiente multidisciplinar e multicultural. Os membros da orquestra terão ainda a oportunidade de integrar outras digressões durante a Páscoa de 2018.

A Orquestra de Jovens da União Europeia reúne um total de 118 músicos (de todos os países da União Europeia), sendo Portugal atualmente o terceiro país mais representado, apenas superado pelo Reino Unido e pela Espanha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foto de Orquestra Filarmonia Das Beiras.

Segundo capítulo de HARRY POTTER EM CONCERTO no próximo sábado, 3 de fevereiro, pelas 20h30, na Altice Arena, Lisboa.
Depois do sucesso da primeira edição, Portugal recebe o segundo filme-concerto da saga Harry Potter: “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”. Uma experiência única em que se assistirá ao filme, projectado num ecrã de 20 metros em alta definição, enquanto a Orquestra Filarmonia das Beiras interpreta a banda sonora composta por John Williams e nomeada para um Grammy.
A série de filmes-concerto de Harry Potter, que é mais uma experiência mágica do mundo de feiticeiros de J.K. Rowling, arrancou em junho de 2016 com “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e tem já centenas de performances marcadas para 2018 em mais de 35 países

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rádio Cova da Beira

A Orquestra de Guitarras da Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF), valência da Santa Casa da Misericórdia do Fundão, realiza nos dias 27 e 28 de Janeiro dois concertos em França. O convite resulta da cooperação internacional e parcerias criadas no âmbito do Concurso Internacional Cidade do Fundão.

A AMDF participa no 15º Festival Internacional Guitar Essonne 2018 através da Orquestra de Guitarras. No mesmo evento vai ainda atuar o jovem guitarrista Miguel Matos que em 2016 ganhou o primeiro prémio de nível superior de guitarra no Concurso Internacional Cidade do Fundão.

Em França, na localidade de Juvisy, o coletivo dirigido pelo docente Pedro Rufino vai apresenta-se com um reportório vincadamente português.

 “Além do reportório habitual para jovens orquestras, nós tivemos um cuidado especial em levar música portuguesa. Ferrer Trindade, José Afonso ou Carlos Paredes estão entre os compositores. O reportório da Orquestra e a estrutura do concerto ficará marcado pela presença de solistas de canto como a Filipa Mela, Laura Alves, Rafael Lourenço, Margarida Geraldes e Maria Mendes”. Explicações de Pedro Rufino, coordenador do departamento de guitarra na AMDF e responsável pela Orquestra.

A Orquestra de Guitarras foi constituída no ano letivo de 1999/2000 e de então para cá já realizou concertos em várias cidades de Portugal e Espanha. A participação nos 1001 Músicos no Centro Cultural de Belém, o concerto nos claustros da Assembleia da República ou a atuação no pavilhão Centro de Portugal em Coimbra estão entre os concertos realizados em Portugal.

A deslocação a França só é possível com os apoios da Santa Casa da Misericórdia do Fundão e do Município do Fundão.

In: RCB

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mariana Monteiro, aluna de violino na ESART, representa Portugal na EFNYO

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 17.01.18

Mariana Monteiro, aluna de violino na ESART, representa Portugal na EFNYO

Mariana Cabral Monteiro, aluna do 2.º ano da licenciatura em Música, variante Instrumento – Violino da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, foi selecionada por mérito, de entre os músicos da Jovem Orquestra Portuguesa, para representar Portugal na European Federation of National Youth Orchestras - EFNYO.

A estudante irá agora realizar um estágio na Holanda com a National Youth Orchestra of the Netherlands (NJO), conduzida por Georg Fritzsch, entre os dias 12 e 28 de janeiro e 10 e 11 de março, com concertos em Amsterdão, Apeldoorn, Enschede, Heerlen, Nijmegen e Oss, no âmbito do programa intercâmbio MusXchange.

A Jovem Orquestra Portuguesa é um projeto da Orquestra de Câmara Portuguesa e membro da Federação Europeia de Orquestras Nacionais Juvenis.

In: Diário Digital Castelo Branco

Autoria e outros dados (tags, etc)

Joana Weffort, aluna da ESART-IPCB, selecionada para o estágio de Inverno da The World Orchestra

Joana Weffort, aluna do 3.º ano da licenciatura em violino da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB foi selecionada para o estágio de Inverno da The World Orchestra (Orquestra Mundial), que decorreu de 30 de dezembro de 2017 a 7 de janeiro de 2018.

Sob a direção do maestro Josep Vicent, e com a participação da solista Viviane Hagner, serão interpretadas obras de Sibelius (Concerto para Violino) e Tchaikovsky (Sinfonia N. 6 “Patética”).

A Orquestra Mundial é apoiada pela East-West Music e tem, desde 2004, Josep Vicent como maestro titular.

A Orquestra é formada por jovens entre os 18 e os 28 anos, provenientes de mais de 64 países diferentes, e já atuou em países como Chipre, Áustria, Alemanha, Holanda, Canadá, China, Espanha, África do Sul, Líbano e nos Balcãs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concerto de Reis - EPABI. 7 JAN, 16h00, Igreja da Misericórdia, Covilhã.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 05.01.18

Foto de Covilhã Município.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foto de Cultura Vibra_Castelo Branco.

António Oliveira nasceu no Porto; possui o diploma “Master of Music” pela Hartt School da University of Hartford na classe do Prof. Luiz de Moura Castro.

É professor de piano no Conservatório de Música do Porto. Tem realizado recitais a solo e de música de câmara em algumas das salas mais importantes do país e em Espanha, França, Alemanha, Finlândia, Canadá e Estados Unidos da América. Gravou para a RTP e RDP Antena2.

Mantém uma estreita colaboração com o clarinetista António Rosa, com quem gravou dois CD’s de Música Portuguesa do Séc.XXI.

Fez a estreia mundial do 1º Concerto para Piano e Orquestra do compositor Telmo Marques.

Em Julho de 2016, lançou “Chopin & Liszt”, o seu primeiro registo a solo.
Apresentou-se a solo com a Orquestra Clássica da Madeira, com a Orquestra do Norte, com a Fundação Orquestra Estúdio e com a Orquestra Sinfónica da ESART sob a direcção dos Maestros Rui Massena, Sandor Gyudi e Miguel Graça Moura.

Entrada Gratuita

Autoria e outros dados (tags, etc)

John Avery termina parceria com a Orquestra Clássica do Sul com um concerto em Gambelas 

A 28 de Outubro, sábado, o Grande Auditório de Gambelas, em Faro acolhe o último concerto de John Avery no âmbito da sua parceria com a Orquestra Clássica do Sul. 

Na apresentação deste concerto estará Jorge Serafim, comediante e bom contador de histórias.

Perto da recta final, John Avery descreve os músicos da Orquestra, por quem nutre uma enorme admiração, não apenas como colegas mas acima de tudo, como amigos. Quando foi convidado para dirigir ocasionalmente a Orquestra Clássica do Sul, rapidamente aceitou. “Será uma honra”, terá afirmado na ocasião do convite. E ao longo dos últimos 13 anos John Avery compôs ou fez arranjos a cerca de 300 obras para a Orquestra. Algumas dessas composições vão ser apresentadas no concerto.

Para a Orquestra Clássica do Sul também foi uma honra ter sido dirigida pelo Maestro John Avery por diversas vezes, nos últimos anos.

O reportório para o final de tarde de dia 28 de outubro é decididamente light, nas palavras do Maestro, e irá incluir temas de célebres musicais ou bandas sonoras de filmes, entre outros temas populares. Será, sem dúvida, um agradável serão ao som de música clássica, para celebrar com amigos e familiares.

O “Concerto de Celebração a John Avery”, o último enquanto Maestro Associado da Orquestra Clássica do Sul, terá lugar no dia 28 de Outubro, pelas 19:00, no Grande Auditório de Gambelas, em Faro.

A entrada é gratuita.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maestro de 27 anos recebido com "muito entusiasmo" pela Orquestra Gulbenkian

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 23.10.17

A noticia da nomeação do franco-suíço Lorenzo Viotti foi recebida com "muito entusiasmo" pelos músicos da Orquestra

Lorenzo Viotti será o maestro titular da Orquestra Gulbenkian a partir da temporada da primavera. A notícia, divulgada pela Fundação Calouste Gulbenkian esta sexta-feira de manhã, foi recebida com "muito entusiasmo" pelos músicos, disse a Comissão da Orquestra ao DN.

"Após um período sem maestro titular havia alguma ansiedade e expectativa para saber quem poderia ser. Agora temos um maestro com uma curta carreira mas já cheia de sucessos e conquistas. Tem um grande futuro pela frente, é muito bom para nós", acrescenta a comissão que representa os músicos.

Viotti sucede ao britânico Paul McCreesh, tem 27 anos e nasceu em Lausanne, na Suíça, numa família italo-francesa. Estudou piano, canto, percussão e direção de orquestra. Soma vários prémios internacionais no currículo, nomeadamente o de jovens maestros do Festival de Salzburgo de 2015 e o International Opera Newcomer Award este ano.

Já tocou por duas vezes com a Orquestra portuguesa. A primeira foi em 2013. "Reconhecemos-lhe todo o seu talento, musicalidade e a forma como comunica com a orquestra é muito natural e clara, conseguindo atingir os objetivos e desejos que coloca. É muito inspirador apesar da sua tenra idade", refere a Comissão. "Estamos muito contentes com esta escolha, e prevemos um enorme sucesso em conjunto", rematam.

O maestro dirigirá a orquestra por um período de três anos a partir de 2018.

"As Valsas", de Maurice Ravel, Johann Strauss e Richard Strauss, a 18 de fevereiro será o seu primeiro concerto na Gulbenkian. Segue-se o Concerto para Piano n.º 5 de Beethoven, a 12 e 13 de abril.

"Desenvolverá "o perfil artístico da orquestra", com um "repertório desde o período clássico até aos nossos dias" e trabalhará também com o Coro Gulbenkian, explica a fundação.

O diretor da Gulbenkian Música, Risto Nieminen, afirma que "Lorenzo Viotti é um músico que tem a ambição de tornar especial cada um dos seus concertos" e que tem uma capacidade natural "para fazer a música comunicar com o público".

A Orquestra Nacional de França, a Filarmónica de Roterdão, a Jovem Orquestra Gustav Mahler e a Orquestra Filarmónica Real são algumas das formações que Viotti já dirigiu.

In: dn.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

“Fado Solidário” - SCMF. 23 OUT, 21h30, Fundão.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 20.09.17

Fado Solidário

A Santa Casa da Misericórdia do Fundão (SCMF) realiza no dia 23 de setembro às 21.30 horas, na Quinta Pedagógica do Fundão,uma noite de fado com a artista Raquel Peters.
O espetáculo iniciar-se-á com a apresentação da orquestra da Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF). Seguir-se-á a atuação da jovem fadista Raquel Peters.
O espetáculo “Fado Solidário” visa angariar apoios para a renovação do mobiliário no lar da Misericórdia.
Os interessados em assistir à noite de Fado Solidário deverão adquirir o bilhete ao “preço simbólico de 7,5 euros” na secretaria da SCMF, na AMDF e no Posto de Turismo do Fundão.
O espetáculo promovido em parceria com Santa Casa da Misericórdia de Albufeira tem a colaboração do Município do Fundão e da União de Freguesias do Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo.

# Raquel Peters é uma fadista portuguesa natural de Albufeira, tem várias participações em espetáculos e discos. Do percurso da jovem fadista destaque-se o primeiro prémio na Grande Noite do Fado de Lisboa (2005), organizada pela Casa da Imprensa ou a participação no disco “Divas do Fado Novo” ao lado de nomes como Ana Moura, Kátia Guerreiro e Cristina Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

XI Estágio de Sopros da Guia. 28 AGO a 2 SET. Inscrições abertas.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 24.08.17

Foto de Estágio de Orquestra de Sopros da Guia.

XI Estágio de Sopros da Guia. 
Aproveitamos para divulgar o repertório que será trabalhado nesta edição do estágio:
 Philip Sparke - Fanfare...
 Lino Guerreiro - Mazurkax
 Claude T. Smith - Fantasia para Saxofone (Saxofone - Pedro Carvalho)
 Daniel Smith - Inferno e Purgatorio da Divina Comédia
 Rita Defoort - Hommage to Benny Goodman para Clarinete (Clarinete - Manuel Lemos)
 Oscar Navarro - Hispania
Irão ter lugar também um concerto de professores, uma jam session e outras actividades a divulgar brevemente!
 Inscrições em https://goo.gl/forms/zVzxdVpE0N6iKAIP2

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bruno Borralhinho grava novo trabalho este ano.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 03.08.17

Rádio Cova da Beira

Bruno Borralhinho vai regressar a estúdio ainda este ano para gravar um novo CD para violoncelo e piano. O violoncelista covilhanense, radicado na Alemanha há mais de uma década, regressou à sua cidade natal para um colóquio sobre a sua vida e obra que decorreu no salão nobre dos paços do concelho.

Para além da sua atividade profissional dividida entre a orquestra de Dresden, o “Ensemble Mediterrain” e a direcção de orquestra, Bruno Borralhinho está actualmente a terminar o doutoramento em gestão cultural e prepara-se para gravar um novo trabalho que deve chegar aos escaparates em 2018 “entre Outubro e Novembro vou regressar a estúdio para gravar um novo trabalho que deve estar pronto no próximo ano. É um CD para violoncelo e piano, com um reportório de compositores alemães. É uma experiência nova porque até agora só gravei compositores portugueses e nesse aspecto tenho a consciência tranquila porque tenho a minha missão cumprida de divulgar a música portuguesa lá fora”.   
O violoncelista covilhanense espera também poder deslocar-se à Covilhã para apresentar este novo trabalho, talvez até no novo palco do teatro municipal “será um prazer enorme poder voltar a tocar naquela sala; toquei muitas vezes ainda no teatro actual e acredito que a sua requalificação vai ser um grande momento para a Covilhã. A cidade precisa efectivamente de uma casa das artes e da cultura que possa reunir as pessoas e servir de ponto de encontro aos vários tipos de arte”.  
Uma conferência em que Bruno Borralhinho enalteceu o trabalho desenvolvido por várias instituições sediadas na Covilhã na área da música, o que tem permitido que cada vez mais jovens Portugueses se evidenciem em todo o mundo “muitas vezes tenho amigos que me perguntam o que se passa na Covilhã para existirem tantos músicos e tão bons. É quase um fenómeno. Penso que isso resulta do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo de vários anos por instituições como a Epabi, a Acbi ou o Conservatório e que trabalham muito bem”. 
Jorge Torrão, vereador com o pelouro da cultura na câmara da Covilhã, destaca a enorme qualidade que Bruno Borralhinho tem evidenciado ao longo da sua carreira e não será possível, no futuro, escrever a história da cultura da Covilhã sem citar o seu nome “os políticos passam, a vida na política é efémera mas a vida dos artistas vai marcar todo o sempre. Acredito que o Bruno vai ser reconhecido pela sua importância nas artes e na cultura como uma das figuras da história da Covilhã”.
O autarca refere que, mais ou cedo ou mais tarde, o violoncelista vai ser distinguido com a medalha de mérito cultural da Covilhã pelo contributo que tem dado à divulgação do nome do concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alunos de Violino da, ESART/IPCB, selecionados para o Festival Aurora na Suécia 

Seis estudantes da classe de violino da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco foram recentemente selecionados para o Festival Aurora na Suécia.

Os alunos escolhidos trabalham com os docentes Augusto e Alexandra Trindade e respetivos assistentes Tiago Santos e Nuno Vasconcelos.

Este festival será realizado entre os dias 12 e 20 de agosto de 2017 no Royal College of Music em Estocolmo.

Inês Pais e Mariana Cabral do 1º ano da licenciatura em Música; Hilton Costa, Joana Weffort e Luísa Couto do 2º ano dessa licenciatura e Mafalda Pessoa finalista da licenciatura em Música vão ter oportunidade de realizar masterclasses de instrumento, música de câmara e orquestra sinfónica com violinistas e maestros de renome, tais como Krzysztof Penderecki e Nazanin Aghakhani e em violino com Sayaka Shoji, Barbara Doll e Eszter Haffner.

Os alunos de violino da ESART/IPCB têm sido selecionados e convidados a integrar vários projetos de índole profissional e académica.

Durante o mês de julho, cerca de 10 alunos da classe de violino, para além do Festival Aurora, integrarão projetos como a EGO (Estágio Gulbenkian para Orquestra), participarão nas masterclasses de música de câmara de Utrecht e vão colaborar, enquanto estagiários, com a recém-formada Orquestra Filarmónica Portuguesa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lisbon Music Fest inicia-se a 09 de julho e acontece em seis cidades.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 03.07.17

 Image result for Lisbon Music Fest

O Lisbon Music Fest realiza-se de 09 de julho a 05 de agosto, apresentando uma programação de mais de 25 concertos, todos com entrada livre, em seis cidades e com agrupamentos como o Taipei Philharmonic Youth Ensemble.

O certame, nesta terceira edição, conta com a participação de cerca de 750 jovens, segundo números avançados pela organização, e, além da orquestra juvenil de Taiwan, conta com o recém-criado José Saramago Ensemble Jovem, de Portugal, a Essex Youth, a Sutton Youth Orchestra e a City of Belfast Youth Orchestra, do Reino Unido, a Jugendchoir MKS Schaffhausen, da Suíça, a Kfar Saba Youth Orchestra, e a Afula Youth Orchestra, de Israel, Choir and Concert Band, de Israel, e a Hong Kong Festival Youth Wind Orchestra, de Hong Kong.

O José Saramago Ensemble Jovem, que se estreou no ano passado em Lisboa, no Festival “Dias do Desassossego”, é um projeto musical idealizado por Manuel de Almeida Ferrer e Marisa Silva, constituído por jovens músicos portugueses, no âmbito da Fundação José Saramago.

Portugal, além do José Saramago Ensemble Jovem, está representado pela Orquestra Gulbenkian e pela Orquestra Estágio Gulbenkian.

O Lisbon Music Fest acontece este ano nos municípios de Lisboa, Évora, Elvas, Belmonte, no distrito de Castelo Branco, e na Batalha e Peniche, no distrito de Leiria.

O certame abre no dia 09 de julho, na Fundação Oriente, em Lisboa, com o Taipei Philharmonic Youth Ensemble.

Entre os palcos deste festival jovem contam-se a Fundação Calouste Gulbenkian, o Centro Cultural de Belém, as Ruínas do Carmo, o Palácio da Ajuda e os museus dos Coches e da Música, em Lisboa, o Mosteiro da Batalha, o Castelo de Belmonte, e a praça do Giraldo, em Évora.

Em comunicado, o diretor do festival, Tiago Neto, afirma que “o Lisbon Music Fest mantém, como grande objetivo, voltar a incluir a cidade de Lisboa e Portugal no roteiro cultural internacional dos festivais de verão, promovendo uma plataforma em que jovens músicos de todo o mundo possam interagir e partilhar diferentes culturas e experiências artísticas”.

“Depois do sucesso das duas primeiras edições, em que contámos com uma assistência global superior a 25 mil pessoas, acreditamos que vamos continuar a superar estes números”, remata.

A programação do Lisbon Music Fest está disponível em http://www.lisbonmusicfest.com/pt/2017/programa.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio