Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio


Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

Luís Cipriano foi um dos 37 conselheiros do Word Choir Games

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 14.08.18

A imagem pode conter: 1 pessoa

Luís Cipriano foi um dos 37 conselheiros de todo o mundo escolhidos para os Word Choir Games, o maior concurso coral do mundo, que decorreu em Pretória na África do Sul.

Convidado pela Interkultur e autarquia da capital Sul Africana, esta é a sétima vez que Luis Cipriano é convidado para o evento depois de marcar presença em Bremen (Alemanha), Graz (Áustria), Xiamen (China), Riga (Letónia) Shaoxing (China) e Cincinnati (USA).

Nesta edição estiveram presentes 680 coros representantes de 46 países. Um dos pontos debatidos foi a discrepância de apoios aos coros para participarem neste tipo de competição em função da nacionalidade dos mesmos. Portugal e alguns países da América Latina constituem um exemplo extremo na falta de apoio contrastando com a norte da Europa e um grande número de países asiáticos.

Luís Cipriano aproveitou para divulgar junto dos conselheiros o novo projecto da Associação Cultural da Beira Interior, com sede na Covilhã, denominado “Sing Song” e que tem como objectivo trazer coros estrangeiros à Beira Interior para a realização de estágios e concertos com o consequente desenvolvimento económico para a região.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoria e outros dados (tags, etc)

“Vasco é Saudade” vence Concurso Grande Marcha de Lisboa 2018.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 16.03.18

“Vasco é saudade” vence Concurso da Grande Marcha de Lisboa 2018

Dina Barco e José Condinho venceram o Concurso Grande Marcha de Lisboa 2018 com o tema “Vasco é Saudade” que se ouvirá na cidade de Lisboa na noite de Santo António.

“Aos 59 anos, a professora de línguas, natural de Setúbal, estreou-se da melhor maneira no Concurso da Grande Marcha, escrevendo a letra a convite do compositor e professor de música José Condinho, de Palmela, autor da música da composição vencedora da Grande Marcha de Lisboa 2018.”, refere a nota de imprensa.

De um total de 28 candidaturas recebidas para esta edição do concurso, “Vasco é Saudade” foi a Marcha escolhida pelo júri deste ano, composto por Carlos Alberto Moniz, em representação da Sociedade Portuguesa de Autores (apreciação na generalidade), a fadista Aldina Duarte (apreciação da letra) e o Maestro Cesário Costa (apreciação da música).

À semelhança dos anos anteriores, a letra das composições deveria versar sobre o tema “Lisboa” e, este ano, cumulativamente, sobre “A canção de Lisboa – Homenagem a Vasco Santana”, numa homenagem ao artista português nas Festas de Lisboa, quando se assinalam os 120 anos do seu nascimento e 60 do seu desaparecimento.

Organizado há mais de duas décadas, o Concurso promovido pela CML e pela EGEAC abre a todos/as a oportunidade para comporem a letra e a música da Grande Marcha de Lisboa que será o “hino” das festas populares da cidade.

Além de um prémio pecuniário, a canção seleccionada será interpretada por todas as Marchas Populares nas exibições do Altice Arena (Pavilhão Atlântico) que antecedem o desfile, na noite de 12 de Junho, na Avenida da Liberdade.

In: Harmúsica

Autoria e outros dados (tags, etc)

Orquestra Sinfónica da ESART – IPCB promove Gala de Ópera

O Cine Teatro Avenida, em Castelo Branco, acolhe, no dia 15 de março, a partir das 21h30m, uma Gala de Ópera pela Classe de Canto das professoras Elisabete Matos e Dora Rodrigues, com a participação Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, que terá uma nova sessão em Proença-a-Nova no dia seguinte, à mesma hora.

Com direção musical a cargo do Maestro Rui Pinheiro, serão interpretadas obras do repertório operático desde o Séc. XVII ao Séc. XIX, dos compositores Verdi, Bellini, Bizet, Delibes, Strauss e Bernstein.

A entrada é livre e aberta a toda a comunidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Joana Weffort, aluna da ESART-IPCB, selecionada para o estágio de Inverno da The World Orchestra

Joana Weffort, aluna do 3.º ano da licenciatura em violino da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB foi selecionada para o estágio de Inverno da The World Orchestra (Orquestra Mundial), que decorreu de 30 de dezembro de 2017 a 7 de janeiro de 2018.

Sob a direção do maestro Josep Vicent, e com a participação da solista Viviane Hagner, serão interpretadas obras de Sibelius (Concerto para Violino) e Tchaikovsky (Sinfonia N. 6 “Patética”).

A Orquestra Mundial é apoiada pela East-West Music e tem, desde 2004, Josep Vicent como maestro titular.

A Orquestra é formada por jovens entre os 18 e os 28 anos, provenientes de mais de 64 países diferentes, e já atuou em países como Chipre, Áustria, Alemanha, Holanda, Canadá, China, Espanha, África do Sul, Líbano e nos Balcãs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

received_521517304875654.jpeg

Nas comemorações do 118º aniversário da Filarmónica Recreativa Cortense, o Maestro Fábio Pereira, surpreendeu tudo e todos ao oferecer à Filarmónica uma peça de Concerto intitulada "Renascer".

Trata-se de uma Homenagem ao Presidente Honorário da Filarmónica Recreativa Cortense, que nos deixou em janeiro deste ano.

Pode ver aqui uma entrevista do Presidente Honorário à Clave, jornal da Filarmónica Recreativa Cortense.

Autoria e outros dados (tags, etc)

FB_IMG_1511369127811.jpg

Caríssimo presidente da FRC

Representantes de todos os quadrantes associativos, autárquicos e religiosos
Amigos da FRC
Minha família na FRC

 

Na celebração do centésimo décimo oitavo aniversário desta Filarmónica, ficam sempre as memórias do que foi feito por todos os intervenientes desta casa. com ímpeto de chegar sempre mais além fomos conduzidos até este momento que junta o convívio e a dedicação de todos os presentes.

 

Uma brisa de mudança paira sob os destinos desta família Filarmónica e cabe-nos aproveitá-la seguindo o caminho por nós traçado.

 

Temos um projecto ambicioso para esta casa e só com o esforço de todos o podemos realizar!

 

Pode-se pensar que é megalomania ou até utópico na comunidade em que estamos, mas também há 30 anos o telefone portátil o era, hoje em dia é um bem de primeira necessidade!

 

É importante a determinação de todos. Os que estão menos que venham mais vezes e aqueles que abdicam dos domingos solarengos para ir levar alegria aos corações de outras gentes, dos que abdicam de momentos de confraternização com amigos ou família para vir aprender mais alguma coisa, daqueles que em prol da banda criam mau estar em casa... continuem a aparecer e ajudar esta associação.

 

Mas nem tudo é sacrifício e abnegação pois não há nada mais gratificante do que ver um sorriso na cara de alguém, ou aquele obrigado pelo que oferecemos... música!

 

O nosso papel será sempre culturizar a comunidade que nos rodeia seja ele aqui ou por onde formos com o azul da nossa farda.

 

Não poderia deixar passar o momento sem dar uma palavra de agradecimento ao anterior maestro desta Filarmónica, o Sr. António Pão Alvo, pela dedicação extrema que teve para com ela... também com contributo dele hoje estamos aqui.

 

Através da superação e ambição conseguimos alcançar os nossos objectivos. Por aí e aqui também passou alguém que sempre ambicionou algo de grandioso para a FRC. Alguém que num período em que esta casa esteve inativa, criou um grupo para perpetuar um legado. Alguém que fez RENASCER a Filarmónica, mas que partiu em janeiro deste ano... o Sr Júlio Barata.

 

Asavri Dhillon imortalizou o renascer em algumas palavras que cito:

 

"Depois de quebrar, renasço
Como pessoa nunca lamento
Renovado, numa nova personalidade
Onde as pessoas não duvidam da minha capacidade No meio do oceano eu me deitei
Mas agora estou acima do oceano e eu posso dizer  experimentei o oceano
Do fundo do mar à costa
As pessoas ignoram
Porque elas são asperas
Do interior para o íntimo No meio do oceano eu deitei Mas agora estou sob o oceano ..."

 

Para homenagear tamanha personalidade da nossa Filarmónica, desafiei um amigo que também é maestro e compositor, o Luís Serra, a escrever algo e daí nasceu a obra que hoje entrego á nossa Banda pelo seu Presidente, Músico e Amigo Alexandre Barata, de seu nome Renascer.

É uma marcha de concerto de homenagem a Júlio Barata. Também tenho um exemplar que sera entregue á esposa e filhos.

 

Conto com todos para um novo ano cheio de sucesso...

Vamos fazer Boa Música

Viva à Filarmónica Recreativa Cortense

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maestro da Filarmónica Recreativa Cortense

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 18.11.17

fabio.jpg

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986.

É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de Estudos de Direcção de Orquestra de Sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfónica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS (Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO (Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foto de Cultura Vibra_Castelo Branco.

António Oliveira nasceu no Porto; possui o diploma “Master of Music” pela Hartt School da University of Hartford na classe do Prof. Luiz de Moura Castro.

É professor de piano no Conservatório de Música do Porto. Tem realizado recitais a solo e de música de câmara em algumas das salas mais importantes do país e em Espanha, França, Alemanha, Finlândia, Canadá e Estados Unidos da América. Gravou para a RTP e RDP Antena2.

Mantém uma estreita colaboração com o clarinetista António Rosa, com quem gravou dois CD’s de Música Portuguesa do Séc.XXI.

Fez a estreia mundial do 1º Concerto para Piano e Orquestra do compositor Telmo Marques.

Em Julho de 2016, lançou “Chopin & Liszt”, o seu primeiro registo a solo.
Apresentou-se a solo com a Orquestra Clássica da Madeira, com a Orquestra do Norte, com a Fundação Orquestra Estúdio e com a Orquestra Sinfónica da ESART sob a direcção dos Maestros Rui Massena, Sandor Gyudi e Miguel Graça Moura.

Entrada Gratuita

Autoria e outros dados (tags, etc)

John Avery termina parceria com a Orquestra Clássica do Sul com um concerto em Gambelas 

A 28 de Outubro, sábado, o Grande Auditório de Gambelas, em Faro acolhe o último concerto de John Avery no âmbito da sua parceria com a Orquestra Clássica do Sul. 

Na apresentação deste concerto estará Jorge Serafim, comediante e bom contador de histórias.

Perto da recta final, John Avery descreve os músicos da Orquestra, por quem nutre uma enorme admiração, não apenas como colegas mas acima de tudo, como amigos. Quando foi convidado para dirigir ocasionalmente a Orquestra Clássica do Sul, rapidamente aceitou. “Será uma honra”, terá afirmado na ocasião do convite. E ao longo dos últimos 13 anos John Avery compôs ou fez arranjos a cerca de 300 obras para a Orquestra. Algumas dessas composições vão ser apresentadas no concerto.

Para a Orquestra Clássica do Sul também foi uma honra ter sido dirigida pelo Maestro John Avery por diversas vezes, nos últimos anos.

O reportório para o final de tarde de dia 28 de outubro é decididamente light, nas palavras do Maestro, e irá incluir temas de célebres musicais ou bandas sonoras de filmes, entre outros temas populares. Será, sem dúvida, um agradável serão ao som de música clássica, para celebrar com amigos e familiares.

O “Concerto de Celebração a John Avery”, o último enquanto Maestro Associado da Orquestra Clássica do Sul, terá lugar no dia 28 de Outubro, pelas 19:00, no Grande Auditório de Gambelas, em Faro.

A entrada é gratuita.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Encontros na Biclioteca - Leituras Musicais. 26 OUT, 21h00.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 25.10.17

Foto de Associação Cultural da Beira Interior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maestro de 27 anos recebido com "muito entusiasmo" pela Orquestra Gulbenkian

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 23.10.17

A noticia da nomeação do franco-suíço Lorenzo Viotti foi recebida com "muito entusiasmo" pelos músicos da Orquestra

Lorenzo Viotti será o maestro titular da Orquestra Gulbenkian a partir da temporada da primavera. A notícia, divulgada pela Fundação Calouste Gulbenkian esta sexta-feira de manhã, foi recebida com "muito entusiasmo" pelos músicos, disse a Comissão da Orquestra ao DN.

"Após um período sem maestro titular havia alguma ansiedade e expectativa para saber quem poderia ser. Agora temos um maestro com uma curta carreira mas já cheia de sucessos e conquistas. Tem um grande futuro pela frente, é muito bom para nós", acrescenta a comissão que representa os músicos.

Viotti sucede ao britânico Paul McCreesh, tem 27 anos e nasceu em Lausanne, na Suíça, numa família italo-francesa. Estudou piano, canto, percussão e direção de orquestra. Soma vários prémios internacionais no currículo, nomeadamente o de jovens maestros do Festival de Salzburgo de 2015 e o International Opera Newcomer Award este ano.

Já tocou por duas vezes com a Orquestra portuguesa. A primeira foi em 2013. "Reconhecemos-lhe todo o seu talento, musicalidade e a forma como comunica com a orquestra é muito natural e clara, conseguindo atingir os objetivos e desejos que coloca. É muito inspirador apesar da sua tenra idade", refere a Comissão. "Estamos muito contentes com esta escolha, e prevemos um enorme sucesso em conjunto", rematam.

O maestro dirigirá a orquestra por um período de três anos a partir de 2018.

"As Valsas", de Maurice Ravel, Johann Strauss e Richard Strauss, a 18 de fevereiro será o seu primeiro concerto na Gulbenkian. Segue-se o Concerto para Piano n.º 5 de Beethoven, a 12 e 13 de abril.

"Desenvolverá "o perfil artístico da orquestra", com um "repertório desde o período clássico até aos nossos dias" e trabalhará também com o Coro Gulbenkian, explica a fundação.

O diretor da Gulbenkian Música, Risto Nieminen, afirma que "Lorenzo Viotti é um músico que tem a ambição de tornar especial cada um dos seus concertos" e que tem uma capacidade natural "para fazer a música comunicar com o público".

A Orquestra Nacional de França, a Filarmónica de Roterdão, a Jovem Orquestra Gustav Mahler e a Orquestra Filarmónica Real são algumas das formações que Viotti já dirigiu.

In: dn.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Carlos Almeida é o novo maestro titular da Banda da Covilhã

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 19.10.17

Carlos Almeida é o novo maestro titular da Banda da Covilhã 

O maestro Carlos Almeida “é oficialmente o maestro titular da Banda da Covilhã”, anunciou em comunicado a direção da banda, acrescentando que é “uma aposta num jovem maestro, dinâmico e conhecedor da realidade das bandas filarmónicas”.

A apresentação oficial do novo maestro titular será no dia 02 de dezembro, no âmbito do concerto de gala do 147.º aniversário da Banda da Covilhã.

Carlos Almeida, de 24 anos, matriculou-se no Conservatório de Portalegre, aos 11 anos, para iniciar os estudos em trompete, onde concluiu o 5.º grau, prosseguindo os estudos com Rui Borba, na Escola Profissional de Artes da Covilhã. Formou-se em direção musical, pela Atlantic Coast International Conductig Academy.

É maestro e professor na Banda da Covilhã, professor na Escola de Música João Carlos e monitor/professor em várias orquestras no Alto Alentejo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O docente da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, maestro e compositor Gonçalo Lourenço, foi convidado a participar no concerto Luminous Night com o Coro Prima Vox.

O convite partiu da maestrina Ewa Salecka, que dirige o Coro Prima Vox, e decorreu na York Minster Chapter House no dia 7 de outubro.

Foram interpretadas peças corais do próprio, num ambiente cheio de mística e solenidade.

https://www.facebook.com/primavox/

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Charamela da Universidade de Coimbra, sob direção do maestro Francisco Relva Pereira, edita o seu primeiro CD, que inclui composições dos séculos XVI e XVII, além do “Hino Académico” oitocentista, de José Medeiros.
A existência deste agrupamento musical remonta ao século XV, mas “grande parte do repertório [mais antigo] desapareceu”, existindo todavia “algumas peças dispersas que se encontram na Biblioteca Geral” da instituição, disse à agência Lusa Francisco Relva Pereira. Entre as peças do repertório histórico, foi identificada uma do português José Maurício (1752-1815), da Universidade de Coimbra.

Na música antiga, charamela correspondia a um instrumento de sopro, de madeira, antepassado dos atuais clarinetes. Para o CD, editado pela Framart, da Associação António Fragoso (AAF), foram gravadas 22 obras de diferentes compositores europeus, sobretudo da Renascença tardia e do Barroco inicial (séculos XVI, XVII), mas também da síntese mais tardia do século XVIII (Georg Frideric Handel e Johann Christian Bach), além do “Hino Académico”, de autoria de José de Medeiros (1827-1907).

A atual Charamela da Universidade de Coimbra é composta por dez músicos. Segundo o maestro, “esta é a forma mais tradicional” do agrupamento, “que se mantém desde os primórdios do século XX”, semelhante à existente no século XIX.
A Charamela foi no entanto reorganizada em 2015, com a atual composição, depois de ter sido composta por um grupo de músicos recrutados na Banda do Exército, estacionada em Coimbra, entre meados da década de 1990 e 2006, e por um quinteto (dois trompetes, dois trombones e uma tuba), de 2006 a 2015, “o que quebrou a tradição”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rui Massena integra compilação da Deutsche Grammophon

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 26.09.17

Rui Massena integra compilação da Deutsche Grammophon 

Rui Massena integra Expo I, uma compilação da Deutsche Grammophon com os mais importantes compositores contemporâneos, onde estarão também temas de Max Richter, John Cage, Jóhann Jóhannsson ou Ludovico Einaudi

A 29 de Setembro chega ao mercado "Expo 1", uma nova compilação da Deutsche Grammophon que reúne num duplo CD alguns dos mais importantes compositores contemporâneos, entre eles o maestro português Rui Massena, que neste disco estará lado a lado com nomes como Ludovico Einaudi, Max Richter, Jóhann Jóhannsson ou John Cage.

Rui Massena recebe assim o reconhecimento como um dos grandes compositores do actual panorama da música clássica.
Rui Massena vai estar nesta compilação com a composição "Valsa", que faz originalmente parte do álbum "Ensemble" (2016), gravado com a Czech National Orchestra, e que chegou ao 1.º lugar do top nacional de vendas.

"Expo 1" reúne uma série de compositores e intérpretes que não mais se regem por trâmites rígidos do que significa a música erudita.

"Expo 1" apresenta assim as vozes mais importantes do panorama actual da composição pós-minimalista, onde a música contemporânea clássica e vários estilos de música popular alternativa colidem”.

O resultado é um caleidoscópio fascinante de estilos e abordagens musicais individuais, tanto na composição como na interpretação.

Jonny Greenwood, Hauschka, Philip Glass, Ólafur Arnalds são outros dos compositores representados em "Expo 1" ao lado do português Rui Massena.

"Berlin by Overnight CFCF Remix", de Max Richter, interpretada pelo violinista Daniel Hope e o contrabaixista Jochen Carls é editada pela primeira vez em CD nesta compilação.
"Expo 1" irá estar também disponível num LP com 14 temas seleccionados a partir do alinhamento do duplo CD, mas também em formato digital e em streaming.

Rui Massena continua em digressão pelo país e já em Novembro próximo estreará o novo espectáculo - Rui Massena Band - no Misty Fest, em Lisboa e Porto.

02 de Novembro: CCB, Lisboa - Misty Fest [bilhetes]

11 de Novembro: Casa da Música, Porto - Misty Fest [bilhetes]

05 de Dezembro: Conservatori Del Liceu, Barcelona, Espanha

16 de Dezembro: Convento São Francisco, Coimbra

26 de Janeiro - Theatro Circo, Braga

03 de Março - Teatro Micaelense, Ponta Delgada

In: Jornal Hardmúsica

Autoria e outros dados (tags, etc)

XI Estágio de Sopros da Guia. 28 AGO a 2 SET. Inscrições abertas.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 24.08.17

Foto de Estágio de Orquestra de Sopros da Guia.

XI Estágio de Sopros da Guia. 
Aproveitamos para divulgar o repertório que será trabalhado nesta edição do estágio:
 Philip Sparke - Fanfare...
 Lino Guerreiro - Mazurkax
 Claude T. Smith - Fantasia para Saxofone (Saxofone - Pedro Carvalho)
 Daniel Smith - Inferno e Purgatorio da Divina Comédia
 Rita Defoort - Hommage to Benny Goodman para Clarinete (Clarinete - Manuel Lemos)
 Oscar Navarro - Hispania
Irão ter lugar também um concerto de professores, uma jam session e outras actividades a divulgar brevemente!
 Inscrições em https://goo.gl/forms/zVzxdVpE0N6iKAIP2

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concertos de encerramento do estágio de orquestra de sopros da EPABI, com direção do Maestro convidado Tiago Pereira, que terão lugar nos dias 26 (quarta-feira) e 27 de julho (quinta-feira), no Jardim 5 de Outubro, em Pinhel (ao ar livre) e no Grande Auditório da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior, na Covilhã, respetivamente.

Os concertos terão como solista o antigo aluno Rúben Valério (tuba).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alunos de Violino da, ESART/IPCB, selecionados para o Festival Aurora na Suécia 

Seis estudantes da classe de violino da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco foram recentemente selecionados para o Festival Aurora na Suécia.

Os alunos escolhidos trabalham com os docentes Augusto e Alexandra Trindade e respetivos assistentes Tiago Santos e Nuno Vasconcelos.

Este festival será realizado entre os dias 12 e 20 de agosto de 2017 no Royal College of Music em Estocolmo.

Inês Pais e Mariana Cabral do 1º ano da licenciatura em Música; Hilton Costa, Joana Weffort e Luísa Couto do 2º ano dessa licenciatura e Mafalda Pessoa finalista da licenciatura em Música vão ter oportunidade de realizar masterclasses de instrumento, música de câmara e orquestra sinfónica com violinistas e maestros de renome, tais como Krzysztof Penderecki e Nazanin Aghakhani e em violino com Sayaka Shoji, Barbara Doll e Eszter Haffner.

Os alunos de violino da ESART/IPCB têm sido selecionados e convidados a integrar vários projetos de índole profissional e académica.

Durante o mês de julho, cerca de 10 alunos da classe de violino, para além do Festival Aurora, integrarão projetos como a EGO (Estágio Gulbenkian para Orquestra), participarão nas masterclasses de música de câmara de Utrecht e vão colaborar, enquanto estagiários, com a recém-formada Orquestra Filarmónica Portuguesa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foto de Escola Profissional de Artes da Covilhã.

Inscrições no link: https://goo.gl/forms/kfjPMEKXX8oJCCi43

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio