Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Sons na Serra - Café Concerto com Daniel Catarino

WhatsApp Image 2019-10-15 at 16.29.48.jpeg

Daniel Catarino é um cantautor natural de Cabeção, uma vila do Alto Alentejo que não fica de caminho para lado nenhum.
Enquanto a cassete de Creedence Clearwater Revival rodava em modo infinito na Vanette do pai, foi através da antena parabólica da loja de electrodomésticos da família - e do rádio-despertador na mesa de cabeceira - que acabou por conhecer muita da música que o viria a incitar à composição.
Para além da sua terra natal, viveu em Évora, Dublin, Portimão, Nossa Senhora de Machede, e é agora como habitante do Porto que edita "Sangue Quente Sangue Frio", disco que sucede a "Bens Que Vêm Por Mal" (2014), "Songs From The Shed" (2015) e "Panorama de uma Vida Anormal" (2017), mas que Catarino assume como “um novo primeiro disco”.
Presença habitual pelos palcos nacionais com cerca de 60 concertos por ano desde 2011, acabou por se perder numa digressão pela Alemanha em 2015. Como viajar sozinho não tem a mesma graça, apresenta-se agora em trio, acompanhado de Manuel Molarinho no baixo (O Manipulador, Baleia Baleia Baleia, Madrasta, Burgueses Famintos) e Xinês na bateria (Awaiting The Vultures, Ao Lado, 1986), bons amigos que trazem mais rock para o seu cançonetismo de rebeldia poética adulta.
Pelo caminho abandonou os pseudónimos com que assinava a sua música (Landfill, Long Desert Cowboy e Oceansea), fundou as bandas Uaninauei, Bicho do Mato, Alentexas, Cajado, O Rijo, Seven Thousand e Ao Lado, bem como a editora e produtora de eventos Capote Música.