Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Rão Kyao põe a flauta de bambu a louvar Maria. "A música ajuda a aproximar de Deus"

O músico e compositor lançou este sábado "Sopro de Vida – Maria". A música é “o melhor veículo para revelar o que é misterioso”.
A espiritualidade sempre marcou o trabalho de Rão Kyao, a quem já chamaram "cruzado da música tradicional portuguesa". Começou no jazz, passou pelo fado e foi ao Oriente procurar as raízes da música portuguesa. Este sábado lançou o disco "Sopro de Vida – Maria": há música mariana para ser tocada em flauta.
Nos últimos anos, tem participado em vários projectos musicais marcadamente cristãos. O disco é uma parceria com o Seminário de São Paulo de Almada.
"Tem sido uma parceria interessante e consoladora para mim", explica o músico, que desta vez quis colocar a flauta de bambu a louvar Maria. "Nossa Senhora é louvada no mundo inteiro, mas muito especialmente em Portugal, é a padroeira do nosso país, e essa devoção dá origem a muitos temas dedicados a ela".
"É uma simples flauta de bambu com um órgão, mas espero passar uma mensagem de fé e de esperança, de amor e caridade, através do som", conta. Todos os temas que escolheu para gravar "são de grande beleza devocional e melódica". "Espero ter-lhes dado justiça."
Deus esteve sempre na vida de Rão Kyao. "Isso nunca esteve em questão, só que há alturas em que estamos mais perto do que outras", diz. Foi a participação, há vários anos, no coro da igreja da Parede que o levou a interessar-se por gravar música litúrgica.
O compositor diz que a música "ajuda a aproximar de Deus, é talvez o melhor veículo para revelar o que é misterioso".
"Sopro de Vida – Maria" foi lançado este sábado, às 21h30, no seminário de Almada.
Rão Kyao espera que o disco ajude a divulgar mais os compositores nacionais. Diz que "há uma riqueza extraordinária na música litúrgica portuguesa", mas às vezes nem mesmo os crentes que vão à Igreja conhecem os autores das peças musicais que ouvem e cantam.
O primeiro disco gravado no âmbito deste projecto chamou-se "Sopro de Vida – Ao Ritmo de Liturgia" e foi enviado ao Papa, que em Novembro escreveu a felicitar o artista. Rão Kyao não esconde que ficou "muito orgulhoso": "para mim é uma gratificação muito grande".

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.