Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Organização do Boom Festival rejeita eventual ligação a atividades com droga

boom_festival

A organização do Boom Festival, que decorreu em Idanha-a-Nova, de 04 a 11 de agosto, rejeita, em comunicado, a eventual ligação deste evento “a qualquer tipo de atividade com substâncias ilícitas”.

No documento, é recordado que durante o Boom Festival se verificaram várias notícias sobre “apreensões de estupefacientes e detenções relacionadas com a posse de substâncias ilícitas no distrito de Castelo Branco” e que as mesmas faziam “constante referência ao Boom Festival como origem e destino das mesmas”, motivo pelo qual a organização apresenta, agora, em quatro pontos, esclarecimentos que rejeitam a ideia de uma associação entre o evento e as situações registadas.

A organização refuta “inequivocamente uma eventual ligação do Boom Festival a qualquer tipo de substâncias ilícitas, à promoção do seu uso ou a qualquer tipo de atividade ilegal relacionada com as mesmas”, além de repudiar “qualquer associação gratuita e intencional entre o Boom Festival e o consumo de estupefacientes”.

Para a organização, essa ligação de ideias apenas se pode “fundamentar em preconceitos e desconhecimento sobre o festival, o que o inspira e as pessoas que o frequentam”.

A “proatividade, a disponibilidade e o interesse da organização do Boom Festival em colaborar com todas as autoridades de promoção de segurança e de saúde antes e durante o evento, com vista a promover o melhor ambiente possível aos seus visitantes”, é igualmente reafirmada.

Nesta posição, sublinha-se ainda que “um dos responsáveis pela operação ‘Psicadélica’ promovida pela GNR de Castelo Branco, major Santos Alves”, recusou junto de órgãos de comunicação social uma associação direta entre o Boom Festival e o consumo de estupefacientes.

Os responsáveis pelo Boom Festival sublinham igualmente que, este ano, o festival acolheu “mais de 27 mil visitantes, de mais de 150 países, reafirmando-se como o mais internacional festival nacional, que promove valores como a consciência ecológica e a ligação entre o homem e a natureza”.

“Responsável por vários projetos pioneiros em sustentabilidade ambiental, o Boom Festival é o festival nacional com mais prémios ‘verdes’, além de desempenhar um papel extremamente importante na economia local”, destacam.