Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@gmail.com


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves

Vice Presidente: Joana Santos

Secretário: Aline Miguens

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos

Vice Presidente: João Pedro Faísca

Relator: Gabriel Vila

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;


Mapa de actuações:

24-11-2018 - Bouça

22:00 - Filarmónica Recreativa Cortense em Concerto - Salão Cultural da Bouça.

.

22-12-2018 - Cortes do Meio

21:30 - Concerto de Natal - Igreja Matriz de Cortes do Meio.

.



Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

Festival Eurovisão alcançou 182 milhões de espetadores em 2017

O Festival Eurovisão da Canção atraiu em 2017 1,4 milhões de espectadores em Portugal, a maior audiência desde 2008 na visualização da competição que alcançou 182 milhões de pessoas em vários países do mundo.

Os três espectáculos ao vivo realizados em Kiev, na Ucrânia, nos dias 09, 11 e 13 de maio de 2017, “alcançaram cerca de 182 milhões de pessoas em 42 mercados”, segundo a União Europeia de Radiodifusão (UER).

Destes, 1,4 milhões viram a grande final em Portugal, país que, para além de ter vencido a competição, “alcançou o seu maior público desde 2008”, chegando aos 32,5% da audiência televisiva nacional.

Os dados globais demonstram uma descida no número total de espectadores do festival, depois de, em 2016, os três espectáculos de Estocolmo, na Suécia, nos dias 10, 12 e 14 de maio, terem atingido 204 milhões de espectadores, em 42 mercados.

Em contrapartida, o número de pessoas que assistiram ‘online’ à competição “mais do que duplicou” em relação ao ano anterior, com “seis milhões de sessões de ‘streaming’ em 233 territórios” no YouTube e “um total de 8,5 milhões de visualizações ‘on-demand’”.

Para além de Portugal, também a Bulgária, segunda classificada na competição, registou o maior número de público desde 2003, com 650 mil espectadores, representando 39,4% da audiência da televisão búlgara.

A Itália, com 3,6 milhões de espectadores, alcançou o maior número de público desde ao regresso ao concurso, em 2011, registando um aumento de 15% em relação a 2016.

Pelo 8.º ano consecutivo, a Alemanha teve a maior média de audiência, com 7,8 milhões de espectadores.

O país anfitrião em 2017, a Ucrânia, alcançou 1,5 milhões de espectadores (a maior audiência desde 2009), o equivalente a 18,8% da audiência televisiva daquela noite.

Já a Islândia, apesar de nos últimos três anos não ter sido apurada para a final, registou, uma vez mais, a maior percentagem de visualização (98%) de todos os 42 países em competição.

A edição de 2017 do festival Eurovisão da Canção revelou-se “muito popular entre os públicos mais jovens”, destacou a UER, sublinhando que em média 42,9% de jovens entre os 15 e os 24 anos assistiram, nos 42 países, à grande final, o que representa uma média “quatro vezes maior do que a média de 11% dos canais de transmissão”.

A quota de visualização foi igualmente cerca de quatro vezes superior à média dos outros canais entre as crianças dos quatro aos 15 anos (34,8%) e entre os jovens adultos dos 25 aos 34 anos (38,3%).

O Festival Eurovisão da Canção tinha registado, em 2016, um aumento de cerca de 16% nas audiências, atingindo 204 milhões de espectadores em 42 mercados, mais cinco milhões do que em 2015.

Baseado no festival de música de São Remo, o primeiro festival Eurovisão da Canção teve lugar no dia 24 de maio de 1956, com a participação da França, a então Alemanha Ocidental, a Itália, a Holanda, o Luxemburgo, a Bélgica e a Suíça.

No ano seguinte juntaram-se o Reino Unido, a Áustria e a Dinamarca e, em 1959, o Mónaco.

Portugal iniciou a sua participação em 1964, tendo estado ausente da fase final em 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016. Em 2017 venceu a competição e este ano Lisboa é a cidade anfitriã do Festival Eurovisão da Canção.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@gmail.com


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves

Vice Presidente: Joana Santos

Secretário: Aline Miguens

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos

Vice Presidente: João Pedro Faísca

Relator: Gabriel Vila

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;


Mapa de actuações:

24-11-2018 - Bouça

22:00 - Filarmónica Recreativa Cortense em Concerto - Salão Cultural da Bouça.

.

22-12-2018 - Cortes do Meio

21:30 - Concerto de Natal - Igreja Matriz de Cortes do Meio.

.