Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Cortes no ensino da Música indignam pais.

Rádio Cova da Beira

Academia de Música e Dança do Fundão sensibiliza pais e encarregados de educação para os cortes no financiamento nas escolas do ensino artístico especializado. No caso da academia fundanense os cortes chegam aos 33 alunos, mas a academia optou por cortar nos que chegam agora ao ensino da música e não nos alunos que já estão no ensino articulado.

“É elementar que eu não posso pegar num aluno que já está na sua progressão normal e dizer-lhe que a partir de agora, não havendo financiamento para todos, tens que ou pagar do teu bolso ou sair do ensino artístico”, explica João Correia, director da academia fundanense, reuniu no final da passada semana com os pais e encarregados de educação dos alunos inscritos na iniciação que no final demonstraram a sua indignação com a medida “é muito mau, eu tenho um filho neste momento com 17 anos a seguir ensino artístico e agora saber que um dos meus filhos que agora vai para o quinto ano e não vai para o ensino artístico, está fora de questão. Temos que sensibilizar quem governa este país para as vantagens deste ensino”.

À semelhança de Ana Madalena, também a encarregada de educação Paula Pereira vê a situação com preocupação “eu acho que não respeitam os direitos das crianças, o ensino artístico tem que ser tratado como qualquer outro ensino, as crianças não podem ser penalizadas por quererem frequentar o ensino artístico”. Se tiverem que ser os pais a pagar a diferença, é preciso deitar contas à vida “se chegarmos a esse ponto terei que equacionar, ver custos, porque não é fácil ter que lidar com mais custos, ainda por cima estamos a falar de ensino básico obrigatório, é isso que eu não percebo”.

Na reunião, os pais demonstraram-se receptivos a mostrar a sua indignação e alerta numa carta que pais de todo o país estão a fazer chegar ao ministério da educação “onde os pais mostram a sua indignação por esta decisão, pelo timming escolhido para tomar a decisão, sabendo que os resultados finais vão sair a 28 de Setembro, essa carta é uma acção de protesto e ao mesmo tempo de alerta para que o ministério corrija em tempo útil a injustiça que está a criar”.

Uma indignação à escala nacional das escolas de escolas do ensino artístico especializado que agendaram para a próxima sexta-feira um protesto na Av. 5 de Outubro semelhante ao realizado em Fevereiro último onde alunos e professores deram um concerto frente ao ministério da educação. 

In: RCB

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.