Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

A mulher que fez história na América com o seu contrabaixo

Orin no Teatro Regio de Parma (Itália), durante uma digressão da Filarmónica de Nova Iorque

Orin no Teatro Regio de Parma (Itália), durante uma digressão da Filarmónica de Nova Iorque

 

Filha de atores de Hollywood, Orin O"Brien foi a primeira mulher numa das orquestras de topo dos EUA, quando, em 1966, Leonard Bernstein a admitiu na Filarmónica de Nova Iorque. Hoje, aos 80 anos, continua a tocar e a ensinar

Na década (a de 60) em que tudo foi possível - ou parecia sê-lo - também o foi o acontecimento que fez Orin O"Brien entrar na história aos 31 anos: após audição, ela foi a escolhida para ocupar a vaga existente no naipe de contrabaixos da muito respeitável e tradicional Filarmónica de Nova Iorque, tornando-se em 1966 a primeira - e então única - mulher entre os 104 membros fixos da orquestra na altura dirigida por Leonard Bernstein. E primeira mulher a entrar num naipe de cordas de uma das orquestras de topo dos EUA. O facto foi até notícia da Time de dezembro de 1966.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.