Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Concurso Internacional de Percussão na Covilhã com atividades para alunos do concelho

Foto de Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior. 

A segunda edição do Concurso Internacional de Percussão da Beira Interior, que se realiza na Covilhã de sábado, dia 8, a terça, dia 11, integrará uma componente de aprendizagem para os alunos de ensino básico que envolverá mais de 500 alunos.

“Não é um concurso unicamente para ver quem ganha e quem não ganha, mas também para a população escolar. Temos inscritas para os ‘workshops’, que se fazem nos dias 10 e 11, 511 crianças”, referiu o maestro Luís Cipriano da organização.

Promovido pela Associação Cultural da Beira Interior em parceria com a Câmara da Covilhã e com a empresa municipal ICOVI, o evento contará com 12 ‘workshops’, que permitirão às crianças ficar a conhecer e experimentar os instrumentos que serão utilizados no concurso, o que deverá contribuir para incentivar o gosto musical destes alunos.

“Uma criança só pode querer aprender determinado instrumento depois de conhecer esse instrumento”, explicou Luís Cipriano, referindo ainda que a organização também ficará atenta às crianças que revelem capacidades musicais, de modo a avisar os pais desse valor.

Esta aposta também cumpre o objetivo da descentralização, uma vez que das crianças inscritas apenas 50 são oriundas da sede de concelho, sendo as restantes das outras freguesias do concelho.

Por outro lado, o concurso manterá naturalmente a competição para jovens músicos, estando inscritos 36 participantes de várias nacionalidades.

Entre os países representados está a Hungria, Espanha e Portugal, sendo que alguns dos estudantes estudam noutros países, como Holanda, Alemanha, França, Suíça e Suécia.

Uma adesão que é sublinhada pelo presidente do concurso, Marco Fernandes, que assume a expectativa de que a “grande qualidade” e nível artístico verificados na primeira edição se repitam.

“Pelo que temos visto nas fichas de inscrição, vamos ter mais uma vez uma grande edição”, apontou.

Com as categorias A (até aos 12 anos), B (até aos 15 anos) e C (até aos 18 anos), este concurso também se distingue pelo facto de não atribuir dinheiro como prémio, mas sim material e instrumentos musicais.

“Consideramos que esta é a melhor forma de contribuirmos para que possam ter condições de continuar a aprender e de concorrerem em edições futuras”, referiu Marco Fernandes.

Além das provas serem abertas a espetadores, o concurso também terá espetáculos dirigidos ao público. No sábado, realiza-se o concerto de abertura com vendedor da primeira edição, André Dias, e no dia 11 atuam os laureados das categorias B e C desta edição. Os concertos têm lugar no auditório da Faculdade de Medicina e estão marcados para as 21:00.

Uma oferta que é destacada pelo presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Pereira, que lembra a importância destes eventos para “notabilizar, a Covilhã, o concelho e a cultura que é atualmente produzida na esfera do município”.

O orçamento do concurso é de 30 mil euros, valor que seria muito maior se não fosse o apoio de várias entidades locais, bem como de conhecidas marcas internacionais de instrumentos.

In: Lusa

The Gift editam “Altar”, primeiro disco de originais em cinco anos

Image result for The Gift editam, na sexta-feira, o álbum “Altar

Os alcobacenses The Gift editam, na sexta-feira, o álbum “Altar”, disco com produção do inglês Brian Eno que vê o grupo retomar os álbuns de originais após a celebração de 20 anos de carreira.

Formados em 1994, em Alcobaça, os The Gift são oficialmente formados por Nuno Gonçalves, John Gonçalves, Sónia Tavares e Miguel Ribeiro, sendo acompanhados ao vivo e em estúdio por músicos como Mário Barreiros (bateria) ou Paulo Praça (guitarra).

A primeira maquete do grupo, “Digital Atmosphere”, surgiu em 1997, e de lá para cá foram vários os álbuns que o grupo editou: “Vinyl” (1998), “Film” (2001), “AM-FM” (2004), “Fácil de Entender” (2006) “Explode” (2011), “Primavera” (2012) e “20” (2015), este último a assinalar os 20 anos de carreira.

Também em 2015 o grupo lançou o documentário “Meio Caminho de História”, realizado por Nuno Duarte (Jel) e Guilherme Cabral, trabalho que, ao longo de uma hora, apresenta testemunhos e imagens inéditas desde o primeiro concerto da banda, em Alcobaça, até gravações de canções mais recentes.

Entre “Fácil de Entender” (2006) e “Explode” (2011), o compositor Nuno Gonçalves e a vocalista Sónia Tavares estiveram envolvidos no projeto Amália Hoje, recuperação do legado da fadista Amália Rodrigues para terrenos pop.

Antes, em 2005, os alcobacenses haviam vencido o prémio de melhor banda portuguesa nos prémios europeus da estação televisiva MTV.

A seguir ao lançamento de “Altar” a banda tem já projetada uma digressão: a primeira apresentação oficial do álbum dá-se a 13 e 14 de abril no Cine-Teatro de Alcobaça, seguindo-se concertos em Lisboa no dia 19, em Guimarães no dia 21, em Vila Nova de Famalicão a 22 de abril, Aveiro no dia 25, Vila Real a 26, e Faro a 29 de abril.

Na primeira semana de maio estarão no Porto (dia 01), Coimbra (dia 03), Castelo Branco (dia 05) e Braga (dia 06).

“Altar” integra 10 canções “compostas durante dois anos, pensadas ao longo de três” e “sonhadas ao longo de vinte e dois” anos de carreira como banda, assume o grupo.

“Love Without Violins”, com Brian Eno a repartir vocalizações com Sónia Tavares, apresentou o disco, e desde então os The Gift revelaram já outros dois temas: “Clinic Hope” e “Big Fish”.

“Altar” é editado na sexta-feira, dia 07 de abril.

In: Lusa

Mário Zambujo e The Gift na agenda cultural de Castelo Branco para o segundo trimestre.

Concertos com os The Gift e Mário Zambujo são alguns dos destaques da agenda cultural do município de Castelo Branco para o segundo trimestre de 2017.

Além destes concertos, a Agenda Cultura Vibra inclui ainda um conjunto vasto de atividades para os meses de abril, maio e junho, onde se incluem, o teatro, exposições, dança ou ‘workshop’ de modelação 3D e laboratórios de arte digital.

"Como é habitual, a programação que aqui desvendamos cobre as mais diversas áreas artísticas e assume um ecletismo que é uma das matrizes identitárias da nossa oferta", explica o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

Na vasta programação cultural para os próximos três meses, o autarca destaca ainda os espetáculos de António Zambujo e dos Artistas Unidos, dois espetáculos enquadrados no centenário do Santuário de Fátima, um de música pelo Vox Angelis e outro de dança contemporânea, pela Vórtice Dance Company.

António Zambujo sobe ao palco do Cineteatro Avenida no dia 23 de abril, às 18:00, para apresentar ao vivo o seu último disco "Até Pensei Que Fosse Minha", onde o músico presta uma homenagem em forma de disco, exclusivamente composto por canções de Chico Buarque e gravado no Brasil sob a alçada do próprio mestre da música popular brasileira, que chega a colaborar com António Zambujo num dos temas, "Joana Francesa".

Ainda no campo musical, os Vox Angelis vão atuar na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, no dia 29 de abril, pelas 21:30, sendo que este grupo de 16 músicos profissionais promove a divulgação da música clássica, sobretudo a música sacra, e interpreta obras que vão do século XV ao século XX.

Os The Gift atuam no Cineteatro Avenida no dia 05 de maio, às 21:30, para apresentarem o seu mais recente álbum, "Altar", um disco de 10 canções feitas durante dois anos.

Para maio estão agendados dois espetáculos de dança dos Vórtice Dance Company, que atuam nos dias 12 e 13 de maio, no Cineteatro Avenida às 21:30, com o espetáculo "Fátima - O Dia em que o Vórtice Sol Dance Bailou".

A 27 de maio, O Cineteatro Avenida recebe o Festival Nacional de Folclore de Primavera, e, no dia 09 de junho, às 21:30, decorre o espetáculo de teatro "Cânticos de Barbearia" de Carlos Tê e com encenação de Luísa Pinto.

A 18 de junho, a escola de dança Art Kompany atua no Cineteatro Avenida às 17:00.

Banda Distrital do Funchal em intercâmbio com a FR Cortense. 9 e 10 SET vs 11 e 12 NOV.

Foto de Banda Distrital Do Funchal.Foto de Filarmónica Recreativa Cortense.

No âmbito das comemorações do seu 145º aniversário de uma forma diferente, e após algumas conversações e acertos de datas, a centenária Banda Distrital do Funchal irá estar presente em Cortes do Meio nos dias 9 e 10 de setembro, para um intercâmbio, conhecer um pouco a região e para atuação conjunta na Festa de Nª Srª de La Sallete (Peso).

Já a FRC retribuirá este intercâmbio e irá deslocar-se ao Funchal nos dias 11 e 12 de novembro, data em que comemora o seu 118º aniversário e onde ficará a conhecer um pouco mais da Ilha da Madeira e onde as duas bandas realizarão em conjunto um concerto comemorativo, no noite do dia 11 de novembro, no Teatro Baltazar Dias.

A Banda Distrital do Funchal, mais conhecida pelos Guerrilhas, foi fundada a 9 Setembro 1872, quando um grupo de músicos dissidentes da Banda Municipal do Funchal, liderados pelo Sr. César José Coelho (primeiro maestro), fundaram a atual Banda Distrital do Funchal, com designação de Philarmónica Artístico Madeirense, tendo como primeiro fardamento casaco azul, calça branca e chapéu de palha. Devido a esta ousadia ficaram popularmente conhecidos como “Os Guerrilhas”.
Com o objetivo de desenvolver o gosto pela arte musical, proporcionando a muitos jovens a oportunidade de participar no panorama cultural da região, levando um pouco de beleza e arte popular às populações, a Banda Distrital do Funchal tem ao longo destes 140 anos participado em diversas manifestações culturais da Região Autónoma da Madeira. Atualmente é composta por cerca de 25 Elementos das mais diversas idades

Pág. 3/3