Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Orquestra XXI inicia digressão nacional no próximo domingo

Orquestra XXI inicia digressão nacional no próximo domingo

A Orquestra XXI, um projeto que reúne os músicos portugueses residentes no estrangeiro, realiza uma digressão por cinco palcos nacionais, durante a qual estreia a orquestração do compositor italiano Luciano Berio, da 1.ª Sonata para clarinete, de Brahms.

Nesta quinta digressão da orquestra, desde a sua fundação, em 2013, é solista o clarinetista Horácio Ferreira, que foi este ano escolhido pelo programa Rising Star, da European Concert Hall Organization (organização europeia de concertos).

Horácio Ferreira iniciou o seu percurso musical na Sociedade Filarmónica Lealdade Pinheirense, em Santa Comba Dão, na Beira Alta, e, atualmente, aperfeiçoa os estudos musicais em Paris, com Nicolas Baldeyrou.

O clarinetista recebeu já várias distinções, nomeadamente, o 1.º prémio do Concurso da Costa Azul, em 2004, e o 1.º Prémio na 28.ª edição do Prémio Jovens Músicos -- Nível Superior, tendo-lhe sido atribuído unanimemente o Prémio Maestro Silva Pereira - Jovem Músico de 2014.

A digressão da Orquestra XXI abre no domingo, no Quartel das Artes, em Oliveira do Bairro, no distrito de Aveiro, e segue para o Porto, onde atua no dia 01 de setembro, na Casa da Música.

No dia seguinte, a orquestra, constituída por 58 músicos, toca em Lisboa, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian e, a 03 de setembro, no Teatro das Figuras, em Faro. A digressão encerra no dia 04 de setembro, no Cineteatro Municipal de Serpa.

A Orquestra XXI é dirigida pelo maestro Dinis Sousa, seu fundador, e, além da estreia em Portugal da orquestração de Luciano Berio da 1.ª Sonata para Clarinete, de Johannes Brahms, o seu programa prevê a interpretação de dois poemas sinfónicos de Francisco de Lacerda, e ainda a 5.ª Sinfonia, de Piotr Tchaikovsky.

Em comunicado, a Orquestra XXI, enquanto projeto, visa facilitar o contacto entre músicos portugueses, que trabalham no estrangeiro, para "que possam partilhar as suas experiências com o seu país de origem".

O projeto venceu o 1.º Prémio no concurso de empreendedorismo social "Ideias de Origem Portuguesa", em 2013, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

O maestro Dinis Sousa vive atualmente em Londres, onde estuda Direção de Orquestra, na Guildhall School of Music and Drama, com Sian Edwards e Timothy Redmond. Pelo seu trabalho com a Orquestra XXI, foi condecorado no passado 10 de junho o grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique.

Dinis Sousa completou o mestrado e licenciatura em piano naquela escola londrina, com distinção, enquanto bolseiro da Leverhulme Trust e do Countess of Munster Trust, entre outras instituições.

Na capital britânica, dirigiu, recentemente, a encenação de "Down by the greenwood side", de Harrison Birtwistle, no Silk Street Theatre, e a Paixão Segundo S. João, de Bach, no Milton Court Concert Hall.

Na próxima temporada, Dinis Sousa irá dirigir a Southbank Sinfonia, no Cadogan Hall, também em Londres.

Dinis Sousa foi maestro em residência da Orquestra de Jovens de Southampton, em Inglaterra, e convidado para dirigir, em breve, um projeto educativo da Orquestra Sinfónica de Londres.

Durante as últimas temporadas, Dinis Sousa foi assistente do maestro Nicholas Collon, em concertos nos festivais de Aldeburgh e BBC Proms, e, segundo fonte da Orquestra XXI, "tem assistido de perto ao trabalho de John Eliot Gardiner", maestro, fundador do Coro Monteverdi, dos Solistas Barrocos Ingleses e da Orchestre Révolutionnaire et Romantique, "tendo tido a oportunidade de o acompanhar em digressão pela Europa, com a Orquestra Sinfónica de Londres".