Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Festival Y #11 - Mário Franco Trio. 10 OUT, 21h30, Auditório Teatro das Beiras.

crédito foto: Lino das Neves   1h30m | música/jazz | maiores 6 anos

Mário Franco, Sérgio Pelágio e André Sousa Machado conheceram-se enquanto alunos da Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal no início dos anos 80. Desde logo, mostraram uma enorme empatia musical que os levou a criar o Art Jazz Trio, grupo marcante e influente na história do Jazz feito em Portugal.

Continuaram a encontrar-se regularmente em diferentes formações lideradas por outros músicos tais como Mário Laginha, Bernardo Sasseti, Carlos Martins ou Andy Sheppard e nunca perderam contacto artístico.
Em 2009, voltaram a reunir-se como Trio para uma atuação no Hot Clube de Portugal e não mais voltaram a separar-se.
Desenvolvem desde então um repertório muito particular e extenso que inclui arranjos de standards e composições originais para construir um som de grupo e uma capacidade de interplay que os distingue no atual panorama do Jazz nacional e internacional. As influências do grupo são muito diversas e abrangentes e espelham as carreiras individuais dos três músicos: Mário Franco, contrabaixista mas igualmente bailarino e compositor regular para peças de dança e cinema, André Sousa Machado, baterista mas colaborador regular com músicos de outras áreas tais como Fausto ou Rão Kyao, Sérgio Pelágio guitarrista e fundador da companhia de teatro/dança Real Pelágio compondo frequentemente para dança.

1h30m | música/jazz | maiores 6 anos.

 

"Beira Interior Internacional Choir Competition & Festival" - Concurso internacional de coros reúne cerca de 350 pessoas no Fundão.

Fundão: Concurso internacional de coros reúne cerca de 350 pessoas

O Fundão recebe, entre esta 4ª-feira e sábado, a primeira edição do "Beira Interior Internacional Choir Competition & Festival", que terá nove coros a concurso e a participação de cerca de 350 pessoas.

O evento, organizado pela Associação Cultural da Beira Interior (ACBI) em parceria com a Câmara Municipal do Fundão e pela associação alemã Meeting-Music será realizado bianualmente e estava a ser delineado "há mais de 10 anos", disse o maestro Luís Cipriano, presidente da ACBI.

Em declarações à agência Lusa, Luís Cipriano esclareceu que, além de Portugal, há coros oriundos da Suécia e da Letónia, sendo que a presença de alguns coros da Rússia foi cancelada em consequência da crise com a Ucrânia.

"De qualquer forma, para uma primeira edição, consideramos que ter nove coros não é nada mau e penso que é um sinal de que paulatinamente faremos o nosso caminho. Até porque a curiosidade já está criada e para a edição de 2016 já tivemos 20 coros que nos contactaram no sentido de estudarem a possibilidade de participarem", explicou.

Do evento, que a organização quer que "do ponto de vista musical seja uma referência a nível mundial", Luís Cipriano sublinha o facto de este não ser um acontecimento fechado e de estar prevista a realização de vários concertos para o público em geral.

Do programa, consta a realização de concertos em todos os dias do festival, sendo que o primeiro se realiza na quarta-feira, às 21:00, no pavilhão multiusos do Fundão, com um concerto que percorre a história do rock e que será interpretado pela Orquestra Sinfónica da Escola Profissional de Artes da Covilhã e pelo Coro Misto da Beira Interior.

Além disso, o festival também passará por Castelo Novo e Alpedrinha, localidades emblemáticas do ponto de vista da beleza arquitetónica, onde também se realizarão concertos com entrada gratuita.

"Aproveitamos para divulgar as boas condições que a região tem, designadamente no que concerne ao baixo custo da estadia ou às infraestruturas de ótima qualidade acústica - e entre as quais é possível deslocar-se sem recurso a um autocarro - para que, deste modo, os coros vejam que esta zona pode, por exemplo, acolhê-los na realização dos estágios que normalmente fazem no início de cada temporada", referiu.

 

Silêncio!... que na Argentina também se canta o fado

Ana Moura atuou pela primeira vez na Argentina durante o 1.º Festival de Fado na Usina del Arte, em junho, no bairro La Boca

Governo Argentino escolheu o 6 de outubro - o mesmo do aniversário da morte de Amália Rodrigues - como Dia Nacional do Fado.

No café em Buenos Aires, aos primeiros acordes do fado de Coimbra, ninguém percebe. Maria Laura Rojas fecha os olhos e começa a cantar. O sotaque pouco se nota durante a canção e só quando termina e agradece ao público nos damos conta de que esta fadista não é portuguesa: Maria Laura é argentina. Com Dulio Moreno, de 30 anos, criou, em 2009, os Almalusa. Apesar de viver no país do tango, Maria Laura diz gostar mais de fado.

"Em minha casa, os meus pais sempre ouviram fado e eu cresci a cantarolar Amália Rodrigues e Carlos do Carmo", explica. Tal como Dulio, bisneto de portugueses e apaixonado pelo fado desde os 12 anos. "Lembro-me de ser muito pequeno e de a minha avó ouvir fado na rádio. Com o passar dos anos fui descobrindo mais temas, mais intérpretes e fui-me apaixonando cada vez mais. Adoro falar português e, quando canto, sinto saudade, sinto o mar e a tristeza de tantos portugueses que tiveram de deixar a sua terra. Quando canto em português sinto a alma inteira de um povo", conta ao DN o argentino que, além de pertencer à comunidade lusa na Argentina, tem o programa de rádio Saudade de Portugal.

Ana Moura atuou pela primeira vez na Argentina durante o 1.º Festival de Fado na Usina del Arte, em junho, no bairro La Boca.

In: DN

Conservatório Regional de Castelo Branco comemora 40º aniversário.

Castelo Branco: Conservatório comemora 40º aniversário

O Conservatório Regional de Castelo Branco inicia as comemorações do seu 40.º aniversário com um concerto neste domingo, anunciou a instituição.

O evento, que decorre no Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco, pelas 18 horas, conta com a participação de professores, alunos e antigos alunos da instituição.

Neste dia, vai ser interpretada a obra "Adiemus", de Karl Jenkins, sob a direção do professor Pedro Ladeira.

As comemorações do Conservatório Regional de Castelo Branco decorrem ao longo do ano letivo e vão encerrar no dia 5 de outubro de 2015.

 

Português é prata em concurso mundial de Acordeão

Acordeão: Português é prata em concurso mundial   

João Filipe Guerreiro tornou-se, no dia 19 de Setembro, vice-campeão do “Premio Internazionale della Fisarmonica Cittá di Castelfidardo”, que decorre em Itália e é uma das mais prestigiadas competições de acordeão no mundo.
Segundo o jornal Sul Informação, o acordeonista luso, aluno do conceituado professor Hermenegildo Guerreiro, conquistou o segundo lugar na categoria de Sénior “Varieté”, no concurso a decorrer na cidade italiana de Castelfidardo.
A prova contou com a participação de dezenas representantes de diversas nacionalidades, como China, Rússia, Finlândia, França, Espanha ou Brasil, distribuídos por várias categorias.
Como em 2002, Portugal volta a ter um acordeonista no pódio deste prémio internacional, quando João Frade, também aluno de Hermenegildo Guerreiro, conquistou o primeiro lugar da competição.
 

Pág. 3/3