Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Orquestra Sinfónica da ESART - Instituto Politécnico de Castelo Branco. 9 MAI, 21h30, Cine-Teatro Avenida.

A Orquestra Sinfónica da ESART é um projecto bem alicerçado no contexto do Curso Superior de Música, e tem merecido o apreço e reconhecimento do público um pouco por todo o país.
Criada em Novembro de 2000 enquanto unidade curricular do curso de Instrumento, a Orquestra Sinfónica é uma das componentes artísticas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, tendo desenvolvido uma actividade regular através de concertos em Portugal e no estrangeiro. Tem seguido um percurso próprio, potenciando a formação dos alunos e assegurando às populações, em que os consumos culturais são reduzidos, uma oferta musical mais efectiva.
MAESTRO OSVALDO FERREIRA
PIANO: PEDRO BURMESTER
Programa:
Ludwig van Beethoven - Concerto para Piano e Orquestra no5 “Imperador”
Luís de Freitas Branco - Sinfonia nº2
Entrada: Gratuita

Tradiio – O primeiro jogo de descoberta da música portuguesa.

tradiio_logo

[NOTA DE IMPRENSA]

Foi ontem lançada uma nova e revolucionária plataforma de música em Portugal. O Tradiio consiste num jogo para a descoberta de novo talento, através do qual os utilizadores ouvem músicas e investem moeda virtual nos artistas em que mais acreditam.

Na prática, enquanto nas outras plataformas de streaming os utilizadores se limitam a ouvir, no Tradiio jogam. A plataforma é totalmente grátis para utilizadores e artistas e já está a aceitar os primeiros registos em www.tradiio.com.

No Tradiio os jogadores podem competir entre si, identificando e promovendo novos artistas. Aqueles que apostarem nas faixas que tiverem mais sucesso ganham bilhetes para festivais, acesso a concertos exclusivos e podem até conhecer as bandas que apoiam.

Por outro lado, as bandas com mais sucesso ganham também prémios como actuações em festivais, horas de estúdio ou apoio à promoção.

Na plataforma estão já presentes enquanto parceiros vários artistas emergentes e editoras independentes como a Meifumado, PAD, Azáfama, Chifre ou Raging Planet.

Faz o teu registo: Utilizadores/Fãs | Artistas/Bandas/Projectos

 

Lloyd Cole em Castelo Branco. Cine-Teatro Avenida, 11 MAI.

Castelo Branco: Lloyd Cole no Cine-Teatro Avenida dia 11 de Maio

O músico inglês Lloyd Cole inicia esta semana uma digressão por Portugal, que se estenderá por sete localidades no norte e centro do país, com o álbum "Standards", editado no ano passado.

Na quarta-feira apresenta-se no Theatro Circo de Braga, na quinta-feira, feriado, estará no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, e na sexta-feira na Academia de Música de Espinho.

Ainda nesta cidade, no sábado atua no Casino, no domingo desce até às Caldas da Rainha, no dia 09 estará no Casino de Troia, no dia 10 na Figueira da Foz e, finalmente, no dia 11 de maio no Cine Teatro Avenida de Castelo Branco.

Apesar de ter gravado o álbum "Standards" com banda, Lloyd Cole decidiu trazer as canções novas - e o repertório antigo - sozinho em palco.

No ano passado, em entrevista à agência Lusa, Lloyd Cole contou que "Standards" é um álbum mais elétrico que os anteriores, com o qual tentou não pensar muito na idade: "Nos últimos anos tenho estado preocupado com o que é apropriado para um homem da minha idade".

Foi por isso que disse que este álbum foi feito, em parte, por culpa de Bob Dylan: "Ele não sabe que tem 72 anos, não se preocupa com o que é apropriado. Ele não tenta ser mais do que ele é aos 72 anos. É o que eu quero fazer. O meu sonho é chegar ao ponto, na minha carreira, em que isso faça sentido".

Lloyd Cole, atualmente com 53 anos, estudou na Universidade de Glasgow, onde conheceu os músicos com quem formaria os The Commotions, que se estrearam em 1984 com o álbum "Rattlesnakes".

"Nos anos 1980 fazíamos discos e o dinheiro que fazíamos usávamos para fazer concertos, para vender esses mesmos discos. Agora, os discos não fazem dinheiro suficiente e os concertos é que ajudam a pagá-los", comparou.

Os The Commotions terminaram em 1989, depois de terem editado mais dois álbuns, e Lloyd Cole seguiu um caminho a solo.

Coincidindo agora com a digressão portuguesa, Lloyd Cole selecionou 15 canções para uma compilação, intitulada "Fiftysomething", que foi disponibilizada com a edição de maio da revista Blitz.

Entre as 15 canções de "Fiftysomething" há cinco gravadas ao vivo em 2009; cinco registadas com o Small Ensemble em 2010 e uma raridade, "Claire Fontaine".

 

Documentário+Concerto. Teatro Clube de Alpedrinha, 10 MAI. Divulgação.

 photo 10MaioAlpedrinha_zpsdc600333.jpg

21h30m: MÚSICA EM PÓ - Um documentário sobre dez colecionadores de vinyl, focando-se na relação que os mesmos têm com os seus discos. Totalmente realizado e produzido por Eduardo Morais, este filme abordará a música pelo seu formato, pelos reflexos das suas capas, e pelas viagens dos próprios discos até ao seu proprietário final. Contando com a participação de melómanos conhecidos do nosso país: Rui Miguel Abreu (BLITZ); João Carlos Callixto (RTP); Beatbombers (campeões mundiais de scratch), entre outros colecionadores dos mais variados géneros que serão desvendados ao longo da rodagem deste projecto.
23h:00m: DIRTY COAL TRAIN - Uma banda que usa a linguagem do Rock. Vão aos anos 60 buscar os inícios do R&B e do Garage para o destilar através da energia e espirito punk com auxílio de referências a filmes de série B, monstros gigantes, ovnis, lobisomens, zombies e demais parafernália

Pakita Pouco apresentam single “Nana”. Download Grátis.

gentil

Formados em 2010 pela cantora espanhola Irene Trascasa (voz) e pelos músicos lusos, Rui Neves (guitarra eléctrica) e Filipe Simões (percussões e botões piânicos), os Pakita Pouco disponibilizaram para audição e download legal o tema “Nana”, single de avanço para o EP “Gentil”, sucessor do EP de 2011, “Pakita Pouco”.

“Gentil reúne sete temas inéditos em disco, ligados pelo fio condutor da guitarra eléctrica, assumidamente contrastante com a voz doce e ao melhor jeito indie folk da cantora. A percussão e as sonoridades peculiares do xilofone e de um piano amarelo de brincar contribuem para a originalidade da proposta da banda.

Com letras em castelhano e em português, todas da autoria de Irene Trascasa, o EP percorre novas paisagens musicais, desde a melodia serena do tema que dá nome ao disco, Gentil, até ao andamento frenético de Nana. Sem encaixar em géneros ou estilos, o som dos Pakita Pouco faz-se também da cumplicidade entre os três músicos que, ao vivo, criam um ambiente espontâneo e intimista.« (…)” Nota de Imprensa

O EP estará disponível a partir de 12 de Maio. [OUVIR | DOWNLOAD LEGAL]

 

Pág. 3/3