Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

"Encomendar das Almas". Hoje, 24h00.

A Filarmónica Recreativa Cortense dá hoje início à continuação do recuperar de tradições da localidade onde se insere.

Desta vez é a da tradição do "Encomendar das Almas", que através de uma entoação coral de tom piedoso e triste se invocam passagens da Paixão de Cristo e se pede piedade pelos pecadores.

É uma prática se se realiza às 24h00, em todas as sextas feiras, durante o Tempo da Quaresma.

Fica-vos o convite à participação!

 

Menina com Síndrome de Down aprende a ler com música.

Menina com Síndrome de Down aprende a ler com música

© Simon Kent
No Reino Unido, uma menina de sete anos com Síndrome de Down está à frente dos seus coelgas de escola, graças às extraordinárias capacidades de leitura que desenvolveu com os pais a cantar para si desde o dia em que nasceu.
A música foi sempre aquilo que Simon e Jo Kent acharam ser a melhor forma de ajudar a filha, Evie, no seu dia-a-dia. Os dois punham música para a menina ainda quando esta se encontrava na barriga da mãe, mas sem nunca imaginar o efeito que esse comportamento viria a ter no desenvolvimento da criança.
"Bombardeamo-la com música desde o dia que ela nasceu", afirma o pai, Simon Kent, de 35 anos. Ele e a mulher souberam que a filha ia nascer com Síndrome de Down na altura da ecografia das vinte semanas, quando esta revelou um defeito cardíaco no feto.
"Na altura, foi um choque. Mas, depois, no dia a seguir, arregaçámos as mangas e fomos à procura de tudo aquilo que podíamos de fazer para a ajudar a viver a vida ao máximo.", conta Jo, de 33 anos. "Mesmo quando ainda estava grávida, punhamos a tocar Mozart, porque lemos que a música clássica ajuda a estimular o cérebro".
Desde então, todos os dias, este casal de Portsmouth, Hampshire, entoava e punha a tocar canções com ritmos e versos adaptados às necessidades da menina. O método ajudava-a a comunicar no dia-a-dia, contribuindo para o seu desenvolvimento intelectual e cognitivo.
"Quando ela nasceu, por exemplo, tinha muito a tendência para abrir só um olho. Então cantávamos-lhe a 'I Spy Evie Pie', que a encorajava a abrir os dois", revela o casal. Na fisioterapia, eram recorrente o single 'Bicycle Race', dos Queen, e para vestir o casaco, 'Baby Hands Up', para que a menina levatasse os braços.
"Quando ela era mais pequena cantávamos sempre as instruções para se vestir, tomar banho, ir dormir, etc.", acrescenta Simon. Mais tarde, quando entrou para a escola, Evie usou precisamente esse método para aprender a ler, a escrever e a fazer contas. Hoje, com sete anos, dá provas de estar cerca de um ano à frente dos colegas no que diz respeito à leitura.
"Está totalmente integrada no ambiente escolar. Tem imensos amigos e os professores já nos disseram estar impressionados com o seu desenvolvimento", garante Simon.
 

13º Festival de tunas "Oppidana" no TMG. 8 MAR, 21h30.

O TMG recebe no próximo dia 8 de março, sábado, mais uma edição do Oppidana – Festival de Tunas da Cidade da Guarda, numa organização da Copituna D’Oppidana. A noite dos estudantes terá início às 21h30no Grande Auditório.

Nesta edição, estarão a concurso: EUC – Estudantina Universitária de Coimbra, INFANTUNA – Tuna Académica da Cidade de Viseu, TUCP – Tuna da Universidade Católica Portuguesa (Porto), TUIST – Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico e a TUM – Tuna da Universidade do Minho.
Esta será a 13ª edição deste festival, que desde 2005 se realiza no Teatro Municipal da Guarda.

A Copituna D’Oppidana volta a ser a tuna anfitriã do evento. Os estudantes vão dar o seu melhor para encantar a assistência e convencerem o júri das suas qualidades musicais e artísticas.

A festa dos estudantes volta ao Grande Auditório do TMG para uma longa noite de animação.

 

Álbum de banda bracarense finalista de prémio europeu

Álbum de banda bracarense finalista de prémio europeu

O álbum homónimo da banda portuguesa Peixe:Avião é um dos finalistas do prémio “Álbum Europeu Independente do Ano”.
Na lista dos nomeados do prémio atribuido pela IMPALA, Associação de Empresas de Música Independente da Europa, figuram os álbuns da bandas Sigur Rós, Nick Cave & The Bad Seeds ou Woodkid.
O álbum em questão foi lançado pela editora independente PAD, fundada pelos próprios peixe:avião, e faz parte dos 24 álbuns finalistas.
Em declarações à Lusa, o guitarrista André Covas revelou que o novo albúm, o terceiro dos peixe:avião, é o que melhor representa a identidade da banda, ao fim de seis anos de existência.
Dos finalistas da quarta edição do prémio fazem ainda parte álbuns como "Kveikur", dos Sigur Rós, "Push the sky away", de Nick Cave & The Bad Seeds, "The golden age", primeiro álbum de Woodkid, "Pale Green", de John Grant, e "Sound of System", de Alborosie.
O objetivo do galardão é distinguir o melhor albúm do ano lançado por editoras independentes europeias.
Nas edições anteriores estiveram nomeados "Mel Azul", do guitarrista Norberto Lobo, e "Building Waves", dos Glockenwise.
No ano passado, o prémio foi atribuído ao álbum "Coexist", dos britânicos The XX.
A organização IMPALA, que reúne mais de quatro mil membros, pequenas e médias editoras independentes, vai anunciar o vencedor em Março.
 

Camané em Castelo Branco. 14 MAR, 21h30, Cine-Teatro Avenida.

Com uma carreira iniciada há mais de década e meia, com a gravação, em 1995, do disco “Uma noite de fados”, Camané conquistou rapidamente um lugar muito próprio no clube restrito dos grandes intérpretes portugueses e, em particular, no difícil, exigente e concorrido mundo da chamada “canção nacional”.

Basta percorrer a já extensa discografia do cantor, desde o referido disco de estreia, passando por obras como “Na linha da vida”, “Pelo dia dentro” ou “Sempre de mim”, até ao último trabalho de estúdio, “Do amor e dos dias”, para perceber as razões que levaram Camané a integrar o reduzido leque de fadistas intemporais, ao lado de Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro ou Carlos do Carmo.

Mas é tempo agora para uma reflexão musical, com o lançamento de “O Melhor – 1995|2013” que reúne grandes clássicos da sua carreira. Mas como a arte de Camané é a procura constante de boas canções, de contar histórias e o que nelas está escondido, este trabalho contempla também alguns temas novos, inéditos e surpreendentes.

Entrada: €15,00 | Primeiros 100 bilhetes €12,00

 

NOISERV - Almost Visible Orchestra. 1 MAR, 21h30, Cine-Teatro Avenida.

Criado em meados de 2005 pelo músico David Santos, Noiserv tem vindo a afirmar-se como um dos mais criativos e estimulantes projectos musicais, de entre os surgidos em Portugal na última década. O seu percurso tem sido marcado pela criação de canções capazes de atingir cada individuo na sua intimidade, relembrando-lhe vivências, momentos e memórias intrincadas entre a realidade e o sonho.
Noiserv, a quem já chamaram “o homem-orquestra” ou “banda de um homem só”, conta no seu currículo com o bem sucedido disco de estreia “One Hundred miles from thoughtlessness” [2008], o EP “A day in the day of the days” [2010], mais de 4 centenas de concertos por Portugal e resto do Mundo e ainda uma série colaborações em Teatro e Cinema.
Em Outubro de 2013 noiserv edita o seu novo disco de nome “Almost Visible Orchestra”. Este é o disco em que Noiserv deixa o preto e branco e nos apresenta o seu mundo a cores. Um disco mais denso e complexo que os anteriores, mas nunca perdendo a identidade pela qual se deu a conhecer há quase dez anos.
Entrada: €5,00
 

Pág. 3/3