Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Livre Trânsito #17. Download.

São mais de três dezenas (31), os temas a constar no alinhamento do “Livre Trânsito #17. O “Livre Trânsito” é uma compilação digital de periodicidade mais ou menos mensal, composta por temas de artistas e bandas nacionais divulgados n’a trompa durante as semanas mais recentes. Esta compilação tem fins meramente promocionais e foi criada com base em temas disponibilizados a título gratuito na Internet pelos respectivos autores e/ou editoras.

 

Alinhamento:
01 Osso Vaidoso – Animal
02 Carl Mendes – Cheer Up Gloom
03 A Jigsaw – I’ve Been Away For So Long
04 Best Youth – Honey Trap
05 Biancard – Mimadona
06 Lucas Bora-Bora – Deus na Rádio
07 Minta & The Brook Trout – A song to celebrate our love
08 Tambor – O Meu Tambor 2011
09 Thomas Anahory ft Ana Fonseca – Santa Claus Is coming To Town
10 Necrosymphonic Allstars – Natal dos Hospitais
11 Os Capitães da Areia – Canção de Natal
12 Nuno Sanches – Que Pequenino
13 Os Passos em Volta – (São) Nicolau Breyner
14 TV Rural – Correr de Olhos
15 Lydia’s Sleep – Out of Reach
16 Final Happiness – Archangel
17 New Kind of Mambo – New Kind of Mambo
18 Kumpania Algazarra – Wild Zone
19 Stereoboy – Ceremony
20 Killimanjaro – Uncle Pope
21 Aspen – Autopsy Headcrush
22 Unzen Pilot – Turtle
23 Piiano – Marfud
24 Chullage – Já Não Dá
25 Madkutz ft NGA – Fuzileiro
26 Stray (DarkSunn’s Lilith Remix) – O Demónio
27 Suisso ft Drino – Deixa-me Sossegado
28 Haka & Sarcasmo – Eu Preciso de Um Euro
29 A.S2 ft New Max – Nada e Tudo
30 Venial Sin – A New Rose
31 Nuno Maltez – Noise Depositorium

 

Download Legal de “Livre Trânsito #17″ | Outras “Livre Trânsito”

 

capa de Livre Trânsito 17

In: A Trompa

"Uma Prenda, Um Sorriso" - Campanha Solidária da FRC. Contributos até 20 DEZ.

 

A Filarmónica Recreativa Cortense, e face ao êxito das edições anteriores, colocou em marcha a 3ª edição da campanha "Uma Prenda, Um Sorriso".

É uma campanha solidária que visa a angariação de artigos infantis, juvenis e de adulto (brinquedos, livros, vestuário, etc.), em bom estado e de que já não façam uso, que posteriormente irão ser entregues instituições de apoio a crianças, jovens e pessoas mais necessitados.

 

Os contributos podem ser entregues até dia 20 de dezembro, a qualquer elemento da banda ou na sede da FRC.

 

COLABORE e APOIE quem mais necessita!!!

Instrumentos de uma Orquestra Sinfónica - Segue o LINK e descobre!

 

 
Instrumentos de uma Orquestra Sinfónica.
Passe o ponteiro do rato para os ficar a conhecer.
Lúdico e, para quem gosta, muito interessante ver e ouvir o som de cada instrumento, e sua função dentro desse mundo de possibilidades sonoras, que é uma orquestra.
Por último acione o maestro.
 
LINK: http://www.fsspx-brasil.com.br/mjcb/downloads/Orquestra_sinfonica.swf
 

Manifesto para evitar "desastre" na Cultura

Um grupo de personalidades ligadas à área cultural, entre elas, José Barata-Moura, lançou ontem, quinta-feira, dia 15 de Dezembro, em Lisboa, um “Manifesto em Defesa da Cultura” cujo actual rumo qualificam como um “desastre”.

O manifesto divide-se em seis pontos e critica “as políticas de agressão à Cultura seguidas pelos últimos governos criaram uma situação insustentável”.

A apresentação do manifesto pelos signatários realiza-se quinta-feira, dia 15 de Dezembro, às 19:30, no bar Adufe do bairro lisboeta de Alfama. Entre eles contam-se o historiador António Borges Coelho, a escritora Alice Vieira e o compositor João Madureira, o cineasta João Botelho, os arqueólogos Jacinta Bugalhão, Santiago Macias e João Zilhão, o escritor Manuel Gusmão, os catedráticos Helena Serôdio e Vítor Serrão, os músicos Manuel Pires da Rocha e Samuel Quedas.

Para arqueólogos, artistas plásticos, cineastas e actores é “tempo de protesto e de recusa. Tempo de mobilização de toda a inteligência, de toda a
criatividade, de toda a liberdade, de toda a cólera contra uma política que chama ‘austeridade’ à imposição de um brutal retrocesso histórico em todas as áreas da vida social”.

“A Cultura que, tal como a emancipação do trabalho, é parte essencial do património do futuro”, escrevem os autores do manifesto.

Os subscritores do texto consideram que o Plano de Redução e Melhoria da Administração Central (PREMAC), anunciado pelo actual Governo, “vai ainda mais longe nos aspectos negativos do PRACE (Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado) apresentado pelo anterior executivo do Partido Socialista.
“Com o Governo PSD/CDS, aos cortes cegos seguiu-se a reestruturação cega”, lê-se no manifesto que afirma que “o PRACE do Governo PS gerou uma estrutura ineficiente e enfraquecida, em diversos aspectos irracional, que colocou serviços e instituições à beira da paralisia e do colapso, situação
que os sucessivos PEC’s agravaram brutalmente”, lê-se no documento.

Para os 52 promotores, o actual panorama da Cultura é de “destruição e perversão do princípio de serviço público, estrangulamento financeiro,
desmantelamento, redução e desqualificação de serviços, centralização e agregação burocrática de instituições e mercantilização”.

Os subscritores criticam também a intervenção da troika considerando que “a situação de estrangulamento financeiro, que já colocara o orçamento para a Cultura muito abaixo do nível da subsistência, agrava-se com novos cortes agora sob a bandeira da ‘austeridade’ imposta pela troika e servilmente aceite por PS, PSD e CDS”.
“Para o Governo e a troika, a Cultura situa-se no plano de um adereço da sociedade ou de um privilégio das elites”, escrevem os subscritores.

“O Orçamento do Estado/2012 prevê para toda a Cultura cortes que agravam os de 2011, reduzindo todo o financiamento do Estado às artes e à Cultura a 6,7% do que até agora o Estado já entregou à banca, nomeadamente para dar cobertura ao buraco do BPN”, afirmam os autores da iniciativa que consideram ser “desonesto e absurdo” o argumento da anterior ministra, Gabriela Canavilhas, e do actual secretário de Estado, Francisco José Viegas, que “justificavam este estrangulamento com o patético argumento de uma distribuição equitativa entre as diferentes áreas de Governo”.

Consideram os subscritores que “austeridade na Cultura não destrói só o que existe, destrói o que fica impedido de existir” e chamam a atenção para “a
criação contemporânea”, afirmando que “os apoios aos teatros nacionais e ao cinema encaminham-se para uma ainda maior desresponsabilização do Estado e para a simples entrega aos mecanismos do mercado”.

“Para as áreas do Património Edificado, dos Museus, dos Sítios Arqueológicos, das Bibliotecas, dos Arquivos, a catástrofe é iminente” e “desenha-se uma radical redução do número de instituições que integram os Museus Nacionais, redução que, sendo previsivelmente conduzida segundo os cegos critérios do PREMAC, nada terá a ver com o reforço, o equilíbrio e a requalificação cultural e científica”, lê-se no documento assinado entre outros pelo letrista João Monge, o escritor e encenador Jorge Feliciano, o historiador Paulo Varela Gome e o director artístico do Festival Alkantara, Thomas Walgrave. Outras personalidades que assinam o texto são Aida Tavares, adjunta da direcção Artística do São Luiz Teatro Municipal, Alberto Gordillo, escultor, Alexandre Branco Weffort, músico, Ana Luísa Amaral, poetisa, António Carmo, pintor, Arlindo Fagundes, artista gráfico, Carlos Mota Soares, catedrático, Carlos Oliveira, director do Teatrinho de Santarém, Carlos Vidal, professor da Faculdade de Belas Artes de Lisboa, Cláudia Dias, bailarina e coreógrafa, Domingos Lobo, escritor, Fernando Casaca, director do Teatro do Elefante, e Hugo Santos, escritor.

 

EPABI - Concerto de Natal. Igreja de S. Tiago, 16 DEZ, 21h30.

Aproxima-se o Natal, época de partilha de sentimentos e de acontecimentos… A EPABI – Escola Profissional de Artes da Covilhã, envolvida no espírito natalício e nos seus valores universais, assinala esta quadra de uma forma simbólica, partilhando com V/ Ex.(as) o que sabemos fazer de melhor e que de melhor temos para v/ oferecer: um Concerto de Natal, a realizar na Igreja do Sagrado Coração de Jesus (Igreja de S. Tiago), da Paróquia de S. Pedro – Covilhã, localizada no centro histórico da cidade e a ter lugar no dia 16 de Dezembro (sexta-feira), pelas 21h30m. O concerto estará a cargo da Orquestra Sopros Júnior, dirigida pelo maestro Professor Carlos Salazar e da Orquestra Sinfónica, dirigida pelo maestro Professor Rogério Peixinho. A actividade contará também com a participação especial dos Coros do Conservatório Regional de Música da Covilhã.

 

Kumpania Algazarra – “Ao Vivo FMM 2011″. Download Gratis.

Gravado por João Paulo Nogueira durante o encerramento da 13ª edição do FMM Sines, “Ao Vivo FMM 2011″ marca o regresso aos discos da trupe Kumpania Algazarra. O EP foi misturado e masterizado por Beat Laden.

Contando já com um longo percurso nacional e internacional, os Kumpania Algazarra mantêm-se fieis as suas raízes de saltimbancos, levando a festa e a animação por onde passam. Contam já com 7 anos de estrada e mais de 500 actuações, sendo referidos como sinónimo de euforia. A sua música multicultural junta ingredientes da “world music” às sonoridades contemporâneas, unindo várias culturas e gerações, não deixando ninguém indiferente.” (1)

Os Kumpania Algazarra são formados por Luís Barrocas (voz, guitarra e saxofone), Hugo Fontainhas (bateria), Helder Silva (percussão e electrónica) Pedro Pereira (baixo), Gil Gonçalves (tuba), Jean Marc (acordeão), Francisco Amorim (trombone), Ricardo Pinto (trompete), Paul Robert (trompete) e Luís Bastos (saxofone Tenor e clarinete).

 

Download Legal de “Ao Vivo FMM 2011″

 

capa de Ao Vivo FMM 2011
Kumpania Algazarra – “Ao Vivo FMM 2011″ (Optimus Discos, 2011)

| WORLD MUSIC |
kumpaniaalgazarra.no.sapo.pt
ww.myspace.com/kumpaniaalgazarra
pt-br.facebook.com/pages/Kumpania-Algazarra/50163417405
optimus.blitz.pt/discos

In: A Trompa

 

Conservatório de Música de S. José da Guarda - Semana de Audições, 12 a 16 DEZ.

Para o público interessado, deixamos o programa das audições a realizar de 12 a 16 de dezembro 2011, onde se poderá assistir ao talento dos alunos, das diversas classes instrumentais, do Conservatório de Música de S. José da Guarda.

Todas as audições têm entrada livre e realizam-se no Auditório do Conservatório nos dias e horários marcados.

 

SEG | 12 DEZ
18h Audição de Piano
19h15 Audição de Guitarra
21h Audição de Piano
 
TER | 13 DEZ
17h Audição de Acordeão
18h Audição de Oboé e Trompete
19h15 Audição de Clarinete
21h Audição de Violino
 
QUA | 14 DEZ
17h Audição de Violoncelo
18h Audição de Piano
19h15 Audição de Canto
21h Concerto de Inverno
 
QUI | 15 DEZ
17h Audição de Violino
18h Audição de Coro Infantil
19h15 Audição de Saxofone
 
SEX | 16 DEZ
17h Audição dos alunos de Pré-Escolar
18h Audição de Flauta Transversal
19h15 Audição de Flauta Transversal
21h Audição de Guitarra
 

A Clave - Setembro 2011

Jornal da  Filarmónica Recreativa Cortense, A Clave, edição de setembro de 2011.

 

Colaborem com esta publicação cultural e de informação, com periodicidade mensal, enviando artigos e/ou sugestões para reportagem.

Faça-se assinante e saiba em "primeira mão" as atividades a desenvolver pela FRC. Contate-nos!

 

Uma boa leitura e apreciação dos conteúdos!