Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Novo álbum para novo capítulo da vida dos Norton

Os Norton, banda de Castelo Branco, lançam no dia 28 o seu novo álbum. O disco sai simultaneamente em Portugal e no Japão.

Os Norton reemergem no universo indie como um projecto que se cumpre na procura do objecto canção (não confundir com canção objecto), indo ao âmago desta construção em Two Points, o primeiro single conhecido do novo álbum. Sente-se a essência, a fragrância de uma música pop, mas esta é uma canção sem tentações facilitistas, de refrão que promete momentos de uníssono fora do palco e que força a comprometimentos neste enlear acústico.

Eis que é chegado “Layers of Love United”, o novo álbum nos Norton, com lançamento marcado, simultaneamente em Portugal e Japão, para o dia 28 de Março. O epicentro dos Norton é, sabemos, Castelo Branco. Mas a música já corre mundo. A banda disponibilizou o download gratuito de “Two Points” no seu site www.nortonmusic.net e o vídeo ofcial do tema já corre no Youtube. Entretanto, é numa esplanada em Castelo Branco que Rodolfo Matos (baterista) e Pedro Afonso (vocalista e guitarrista) se demoram sobre o novo álbum de originais. “Nós queríamos fazer canções. Antes nós tinhamos músicas, mas não tínhamos refrãos e Layers of Love United é um disco de refrãos. Quase todas as músicas têm um refrão pop e essa foi uma das metas que queríamos atingir assumidamente”, sustenta Rodolfo Matos. O momento foi de subreptícia ruptura, de um guinar em novo desafio. “Queríamos aproveitar a mudança de formação que tivemos para fazer um corte com o passado e dar uma nova vida à banda”.

Pedro Afonso considera a Two Points o espelho do que o restante disco trará. “É um disco directo; aquilo que as pessoas ouvem é aquilo que está lá, sem complicações, com refrões, com letras assumidas, com vozes assumidas, com guitarras... É muito mais orgânico do que o último disco. A ideia foi, um pouco, mudar a estética e a plástica das canções”. Este trabalho é uma urgência, mais trabalhado para ser mais imediato, “pensado mais para o vivo”, dizem.

O palco será, assim, a segunda vida de Layers of Love United, uma vida que lhe dará plena forma e sentido ao álbum. Isto sem nunca perder o fundamental, “o universo de Norton, o conceito que nós temos de música”. Nesse lato consenso da banda em torno do seu universo de referências e gostos, que não é prescindível, a ideia foi também a de um “abrir a janela” com vista para o público em frente ao palco: para verem “as pessoas à nossa frente a cantar e a saltar”. E não será isso mesmo um dos grandes fundamentos da pop?

In: Jornal do Fundão