Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

João Pedro Oliveira (compositor português) distinguido com dois prémios internacionais.

O compositor português João Pedro Oliveira foi distinguido com o primeiro prémio no Concurso Internacional de Composição Franco Evangelisti e o prémio Internacional de Excelência em Composição.
O Concurso Internacional de Composição Franco Evangelisti organizado pela associação de música contemporânea Nuova Consonanza, realizou-se em Itália, em Novembro.
As obras destinadas a este concurso deveriam ser compostas para piano e sons electrónicos.

Das três obras seleccionadas para a final, duas foram de João Pedro Oliveira (In Tempore, composta em 2000, e Mosaic, composta em 2010), tendo sido o primeiro prémio atribuído à obra Mosaic.

A obra, que ao abrigo deste concurso, será publicada pela editora italiana Suvini Zerboni, foi encomendada pelo Conservatório de Música de Viseu, tendo sido estreada pela pianista Madalena Soveral em Outubro de 2010.

O Prémio Internacional de Excelência em Composição de 2010, organizado pela Academia Nacional de Música, nos Estados Unidos da América, e pelo Conservatório de Música de Neapolis e Conservatório de Música de Sykies, na Grécia, destina-se a premiar obras que se destacam pela sua excelência artística e utilidade no ensino do instrumento e decorreu em Dezembro.

A obra Hokmah, para clarinete e piano, composta em 2009 foi uma das obras que recebeu o prémio de excelência na categoria de nível avançado. Esta obra foi encomendada e estreada pelo clarinetista Nuno Pinto e pianista Elsa Silva.

Além destes dois prémios, o compositor também recebeu em 2010 o prémio para a melhor obra europeia atribuído pela International Computer Music Association e o primeiro prémio no III Concurso Internacional de Composição Francisco Escudero.

"Estou feliz como é obvio", disse João Pedro Oliveira, adiantando que estes prémios constituem um reconhecimento do trabalho que tem vindo a desenvolver. "A pessoa sente que o trabalho que vai fazendo tem algum impacto a nível internacional e daí vem a energia para continuar a enviar trabalhos para festivais e concursos", acrescentou.

O compositor, que conta na sua carreira com vários prémios internacionais, realçou ainda a importância destas distinções para a música portuguesa, considerando que se trata da "nossa embaixada cultural noutros países".

"Quando há autores portugueses que vão ganhando prémios ou participando em festivais, obviamente estamos a levar a cultura portuguesa para além das nossas fronteiras", justificou.

João Pedro Oliveira adiantou ainda que em 2011 vai deixar a Universidade de Aveiro, onde ensina Composição, Análise e Música Eletroacústica, para dar aulas na Universidade Federal de Minas Gerais, no Brasil.
João Pedro Oliveira nasceu em 1959 e estudou composição, órgão e arquitectura em Lisboa. De 1985 a 1990 esteve nos Estados Unidos com uma bolsa da Fundação Gulbenkian e da Comissão Cultural Luso-Americana.