Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Maestro Martin André será o próximo director artístico do S. Carlos


O maestro Martin André será o próximo director artístico do S. Carlos, substituindo Christophe Dammann nomeado em Março de 2007, anunciou o Ministério da Cultura.

O coreógrafo e director do Teatro Municipal S. Luiz, Jorge Salavisa, será o próximo presidente do OPART (Organismo de Produção Artística), foi também anunciado.
O OPART foi criado em finais de 2006 para gerir o Teatro Nacional de S. Carlos e a Companhia Nacional de Bailado (CNB).
Jorge Salavisa substitui Pedro dos Santos Moreira, que ocupava o cargo desde Maio de 2007.
Numa nota enviada à comunicação social, o Ministério esclarece que "estão concluídas as negociações para rescisão do contrato do director artístico do Teatro Nacional de S. Carlos, Christoph Dammann, que cessará funções no próximo dia 30 de Abril, data em que será assinado o acordo de rescisão".
Sobre o novo director a mesma nota informa que o maestro inglês é detentor de um "vasto currículo internacional e com ampla experiência no repertório operático".
Esta não será a primeira vez que Martin André trabalha em instituições nacionais: foi "responsável, em 1991 e 1992, pela formação da Orquestra Sinfónica Portuguesa", tem sido convidado com regularidade para dirigir a Orquestra Nacional do Porto e criou a orquestra de jovens estudantes portugueses Momentum Perpetuum.
O próximo director do teatro lírico lisboeta foi maestro residente na Welsh National Opera e trabalhou na Royal Opera House, Glyndebourne Touring Opera, Scottish Opera, English National Opera, e da Opera Northern Ireland.
Segundo a mesma nota, Martin André que também foi director musical da English Touring Opera, "tem dirigido produções líricas nos principais teatros de ópera, um pouco por todo o mundo".
Martin André inicia funções no São Carlos a 01 de Agosto, por um período de três anos.
"Entre Maio e Julho será consultor artístico junto do OPART, dando início de imediato à preparação da próxima Temporada do TNSC, enquanto termina outros compromissos internacionais já assumidos", refere a mesma nota.
Quanto ao novo presidente do OPART, Jorge Salavisa, 70 anos, iniciou os estudos de dança com Anna Máscolo, e em 1960 ingressou no Grand Ballet du Marquis de Cuevas.
Integrou várias companhias, tendo trabalhado com Bronislava Nijinska, Robert Helpmann, Daniel Seillier, Nicholas Beriosoff, Maria Fay, Roland Petit, entre outros.
Com uma vasta carreira internacional, em 1975 abandonou a dança em palco tendo sido nomeado mestre de bailado e assistente do director do New London Ballet.
Pelas suas aulas passaram figuras como Galina Samsova, Lynn Seymour, Margot Fonteyn, Ivan Nagy, David Wall, Robert North, entre outros.
Em 1977 regressou a Portugal, a convite da Fundação Calouste Gulbenkian, como mestre de bailado do Ballet Gulbenkian, tendo sido também nomeado director artístico, cargo que desempenhou até 23 de Março de 1996.
Em 1994 Jorge Salavisa foi responsável artístico pela programação de Dança de Lisboa 94 - Capital Europeia da Cultura, e até 1998 foi professor coordenador da Oficina Coreográfica da Escola de Dança do Conservatório Nacional.
Em Junho de 1996 foi convidado para reestruturar a CNB, tendo assumido em Setembro a presidência do Instituto Português do Bailado e da Dança, associação cultural que tutelava a companhia.
Director da CNB entre 1998 e 2001, desempenha desde Fevereiro de 2002, as funções de director do Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa.

In: Hardmúsica