Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Fundação INATEL - Apoio à Cultura Amadora. Plano de Apoio com novo formato.

A Fundação Inatel quer agilizar o apoio dado aos associados e adaptar a formação às necessidades. O grande objectivo é ainda que toda a sua estrutura passe a funcionar em rede.

 

fotoTendo em vista um melhor conhecimento das realidades culturais, bem como o estabelecimento de parcerias com entidades públicas e privadas no âmbito da cultura, a administradora para a área cultural da Fundação Inatel, Cristina Paula Baptista, efectuou uma visita de trabalho a vários distritos, entre eles Castelo Branco.

Nesta visita foi acompanhada por responsáveis da Direcção Cultural, bem como no caso do nosso distrito, pela directora das Agências da Covilhã e Castelo Branco da Fundação Inatel, Drª. Margarida Pereira.

Nesta reunião, que ocorreu a 12 de Março e onde a FRC esteve presente, Cristina Baptista explicou que a Fundação Inatel tem como acção prioritária o apoio às práticas culturais amadoras e à cultura tradicional e popular, pelo que, o contacto local com os Centros de Cultura e Desporto (CCD), em especial com os que se dedicam à etnografia, folclore, música e teatro amadores constitui um dos objectivos principais destas reuniões que têm estado a ser realizadas em todo o país. Pretendende-se assim, conhecer melhor as realidades locais e estabelecer uma maior proximidade com as estruturas da Fundação e com os CCD.

Este périplo surge por força da alteração do estatuto jurídico do Inatel, que deixou de ser Instituto e passou a ser Fundação, o que vai permitir que os associados sejam mais beneficiados, ao se melhorar o método de trabalho.

Foram feitas mudanças ao regulamento para atribuição de pequenos subsídios, uma alteração que tem sido bem aceite e os CCD estão a adaptar-se bem, o que não significa que, no futuro, sejam necessários alguns ajustes.

Mas 2010 trouxe também novidades ao nível do apoio à cultura amadora. Até aqui havia três planos de apoio, um à Etnografia e Folclore, um à Música e um para o Teatro Amador. Em conformidade com as necessidades dos CCD, avançou-se para um Plano Nacional de Apoio à Cultura Amadora. Este novo plano vai funcionar de forma regionalizada e rotativa, ou seja, este ano as regiões Sul, Lisboa e Vale do Tejo e Ilhas podem candidatar-se aos apoios à Etnografia e Folclore, a região Norte ao Teatro Amador e a região Centro à Música, sendo que este esquema no próximo ano vai rodando, e assim consecutivamente.

O Inatel tem também agora um apoio específico à aquisição de partituras.

Uma outra nova área em que vão também avançar é nas bolsas de estudo para alunos de pós-graduação em áreas relacionadas com as actividades desenvolvidas pelo Inatel, em que este ano será atribuída na área da Etnomusicologia, um curso a realizar em Lisboa, na Universidade Nova, em horário pós-laboral.

A formação é agora adaptada às necessidades transmitidas pelos CCD, realizada em parceria com entidades locais e credenciadas.

No Verão será realizado um curso para jovens músicos, no Conservatório Regional de Seia, aberto a todos os associados da Região Centro.

Quem quiser inteirar-se melhor dos apoios e das alterações aos procedimentos, pode consultar a página da Fundação Inatel, em www.inatel.pt.