Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Escola de Música, Valores e Talentos da Banda da Covilhã - Audição de Abril

 
No âmbito do plano de actividades da Escola de Música, Valores e Talentos terá lugar na próxima quinta-feira (dia 23 de Abril), pelas 18:00 a Audição de Abril, correpondente ao trabalho desenvolvido no 2º período lectivo - este ano numa vertente diferente, uma vez que, além da audição propriamente dita, será também feita uma breve alocução ao 25 de Abril.

Prémio Jovens Músicos 2009 - 23ª Edição - Inscrições Abertas!

 
O Prémio Jovens Músicos 2009 é um concurso promovido anualmente pela RTP através da Antena 2, com o objectivo de descobrir novos talentos e promover os jovens intérpretes nacionais (ou residentes em Portugal) na área da música erudita. A 23ª edição deste prémio está já a decorrer, contemplando as seguintes secções a concurso:* Solistas / nível superior - saxofone, clarinete, tuba, viola de arco e guitarra;* Solistas / nível médio – trompa e violoncelo;* Música de Câmara / níveis médio e superior. As provas Eliminatórias irão decorrer no novo edifício da Escola Superior de Música de Lisboa, entre 19 e 25 de Julho, numa série de recitais abertos ao público e que também poderão ser acompanhados através da Antena 2. Serão escolhidos um máximo de três finalistas em cada secção a concurso, que se apresentarão depois no Porto, na Casa da Música, para a realização das provas decisivas, no início do mês de Setembro. O Concerto de Laureados terá lugar no dia 1 de Outubro – Dia Mundial da Música, com a Orquestra Gulbenkian dirigida pela Maestrina Joana Carneiro. As inscrições para a presente edição do Prémio podem ser feitas on-line até ao dia 8 de Maio de 2009, através deste formulário de inscrição (clique para aceder). Consulte aqui o Regulamento desta edição do Prémio Jovens Músicos 2009

CURIOSIDADES - FREGUESIA DE MATA - LOCAL ONDE ESTAREMOS A ACTUAR NA 2ª FEIRA DE PÁSCOA

Presidente
Joaquim Manuel Antunes Faustino

Junta de Freguesia
Rua da Fonte - 6005-250 Mata
Telefone - 272 467196

 
  Região habitada desde tempos muito remotos. Esta antiga freguesia era curato da apresentação dos fregueses, no termo de C. Branco. Orago – Santa Margarida. Até finais do séc. XV, inicio dos século XVI estava dependente da freguesia de Escalos de Cima. Em 1757 tinha 45 fogos. Em 1960 – 1132 habitantes e 365 fogos.

 

   
 
 

Toponímia: Designação ligada ao povoamento florestal da área.

Património Cultural :

Igreja Matriz, Capela de S. Pedro e cruzeiro

Gastronomia: Serrabulho ou laburdo, arroz de tripas, enchido, cabrito no forno, borrachões, bolos de azeite, broas de mel, bolos de ovos e cavacas

Doçaria: Filhós Fritas, Biscoitos de Azeite, Broas de Mel, Bicas, etc...

Festas e Romarias: S. Domingos (4 de Agosto) e Nossa Senhora das Neves (5 de Agosto)

Orago – Santa Margarida.

 

O cobrão é o nome que o povo dá a uma doença de pele caracterizada pelo aparecimento de pequenas vesículas que surgem, segundoa a crença, devido à circunstância das roupas interiores, quando se encontram a secar, terem estado em contacto com qualquer bicho peçonhento: cobra, osga, lagarto ou lagartixa, bichos esses que nelas deixaram, como se diz em Cebolais de Cima, o seu rastejo. É o veneno contido nesse rasto que, em contacto com a pele, desencadeia a doença.

Para curar o doente repetia-se esta fórmula:

 

Eu te rezo cobrão,
Com palha de alho
E gume de navalha
E gume de malho,
Para que não cresças,
Não enverdeças
Não ajuntes o rabo com a cabeça

(A.A.C.)

A curandeira reza em seguida um padre-nosso e uma Avé-Maria, oferece as orações a S. Silvestre, acrescentando: "em louvou de S. Silvestre/para que este cobrão seque".
Depois reza outro Padre nosso e outra Avé-Maria e oferece-os em "louvor das pessoas divinas da Santíssima Trindade, que se elas quiserem, pode curar este cobrão para que este corpo viva em liberdade".
Reza-se por fim outro Padre nosso e outra Avé-Maria e oferece-os em "louvor das chagas de Cristo Nosso Senhor", dizendo: "Jesus Cristo, cura este cobrão tem curado, como se curaram as tuas cinco chagas em Belém. Fico por conta de Deus. Amén."
Todo este formulário se repete durante três dias e mata-se o cobrão também por três vezes batendo com um malho num pau.
Neste fórmula as últimas palavras" não ajuntes o rabo com a cabeça" evidenciam o tumor da crença que a pessoa morrerá se o cobrão fechar um anel em volta da parte do corpo atingida pelo mal. O gesto enfeitiçante ou de possessão para desligar a pessoa da doença é aqui feito pelo bater três vezes com um malho num pau. A eficácia dos ritos verbais depende da sua repetitividade . Nesta fórmula, o número de vezes que as palavras devem ser repetidas, bem como o gesto enfeitiçante para que a sua eficácia se manifeste é de três – número de perfeição segundo alguns autores, símbolo sexual para Freud, número ligado às três pessoas da Santíssima Trindade, para outros autores.

Feliz Páscoa

 

 
 

 

Uma feliz Páscoa são os votos de todos os Músicos, Direcção e Maestro da Filarmónica Recreativa Cortense.

 

 

Aproveitamos ainda este meio para relembrar a todos os músicos que relativamente às actuações do fim de semana, é para estar, no Domingo, às 9:00 na sala de ensaios, e na 2ª feira às 7:00.

 

A Direcção.

I FESTIVAL de MÚSICA da Covilhã - 1 Monumento - 1 Concerto 2009

 

A Câmara Municipal da Covilhã comemora este ano a segunda edição do Dia do Património. O Objectivo desta iniciativa é dar a conhecer uma cidade cheia de história e tradição a todos aqueles que tenham interesse em participar numa festa dedicada única e simplesmente ao Património Local. Este ano, a Autarquia aliou a "música" ao património arquitectónico, permitindo conhecer a Covilhã através de concertos, percursos e exposições, com a especial colaboração da BANDA DA COVILHÃ. Um fim-de-semana com muitas propostas e diversificadas a não perder mesmo!

PROGRAMA:
Dia 18, Sábado
14h30 - Igreja da Misericórdia - Quinteto de Metais da EPABI
16h00 - Igreja de Santa Maria Maior - Coro Gregoriano do Porto
18h00 - Salão Nobre dos Paços do Concelho - Ensemble Português de Tubas e Eufónios: How Low Can You Go (Sérgio Carolino)
Dia 19, Domingo
14h30 - Museu de Arte e Cultura - Quarteto Lusófono - Quarteto de Cordas da ESART
16h00 - Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Coro Mozart - Coro Juvenil de Viseu
21h30 - Casa das Morgadas - Bruno Paralta - Guitarra Clássica a Solo
Antes de cada Concerto haverá uma breve exposição oral sobre o local/obras em termos históricos. Na próxima semana daremos conta do programa completo. Esteja atento. In: http://www.cm-covilha.pt/
 
 

Filarmónica Recreativa Eradense

 
 
 

Foi em 1922 que José Bernardino natural da Erada e residente em Lisboa veio viver para a sua terra e montou um comércio, era casado com D. Glória artista de teatro e ele um grande violinista.

Foi neste mesmo ano que ele convida um grupo de gente nova e fundou uma Tuna com instrumentos de corda, os músicos eram, Sr. João Valente, Sr. Francisco Alves Fonseca, Sr. José Alves Fonseca e o Sr. Bonifácio, a quota mensal que pagavam para a manutenção dos instrumentos era de 10 tostões.

Com a continuação e o interesse musical destes Eradenses foi em 1923 que o Sr. J. Joaquim Henrique, Sr. José Pinto e Sr. João M. Valente resolveram comprar 14 instrumentos de sopro os quais foram custeados pelos mesmos, simultaneamente nasceu a primeira escola de música, pagando cada elemento 2$50 para a sua manutenção.

Foi em Junho de 1924 que resolveram fundar a Filarmónica Recreativa Eradense e fazer a sua inauguração a 1 de Novembro do mesmo Ano, o seu primeiro mestre, Francisco Velha, depois deste seguiram-se muitos outros, como o sr. Casimiro, Sr. Henriques de Casegas e contra mestre Sr. Francisco Alves da Fonseca.

Em 1926 ficou como regente o Sr. João António Valente, mas nesta altura a Filarmónica passou um mau bocado por razões financeiras, o que a obrigou a diversa paragem nos anos seguintes. Foi em 1931 que alguns músicos convidaram o Sr. Francisco Alves da Fonseca para saírom à rua dia de Ano Novo, e daí formou-se uma nova comissão à qual presidia o Sr. João António Valente, e em simultaneo a regia também mas ao fžm de algum tempo recebeu um convite de outra banda e foi-se embora. Em 1941 Formou-se uma nova comissão à qual pertenciam os Srs. José Pinto Vicente, e João Paz António Antunes que convidaram o Sr. Alfredo Alves Valente que na altura se encontrava na banda de Silves, foi nesta altura que a nossa banda foi considerada pelas autoridades a segunda melhor do conselho da Covilhã, nesta altura os sócios já pagavam 5$00 de quota mensal.

Eram tempos difíceis, os músicos quando iam fazer alguma festa a outras povoações tinham de se deslocar a pé carregando a sua merenda e ainda o instrumento que tocavam. A primeira bandeira foi oferecida pelo Sr. José Mendes residente em água alta Covilhã a 14 de Janeiro de 1946.

Percorridos diversos Anos a nossa filarmónica teve sempre os seus altos e baixos tendo como Presidentes os Srs. António Valente, José Paulo, José Gonçalves e Carmino dos Santos Jesus, acabando mesmo por parar a sua actividade durante alguns períodos de tempo.

Até ao Ano de 1980 esta Filarmónica nunca teve músicos do sexo feminino, o Sr. João Abílio vindo de Lisboa propôs fazer uma nova direcção à qual ficou a presidir o Sr. José da Costa Pinto, e como regente o Sr. António da Silva Valente, foi nesta altura que a filarmónica teve o seu ponto de referência compondo nas fileiras cerca de 40 elementos de ambos os sexos, acabando mais uma vez passados seis anos por parar a sua actividade.

Com o decorrer dos anos em 1990 a comissão da Sra. dos Milagres pediu aos músicos se podiam fazer a festa, para a qual já tinham falado com o regente Sr. Américo Duarte, e os músicos corresponderam em grande número, para se fazer a festa, no final formou-se de imediato uma comissão presidida pelo Sr. José Manuel Justo Honorato, o qual a abandonou passados dois Anos sendo substituído pelo Sr. João Ramos Almeida o qual se propôs com a ajuda dos restantes directores a remodelar o instrumental completo desta filarmónica o qual o conseguiu, tendo como regente o Sr. António da Silva Valente, foi também nesta altura que a filarmónica teve no se auge com 43 músicos no efectivo, mas em 1999 teve nova paragem devido à falta de massa humana, que foram saindo por motivos particulares (imigração, estudos etc.).

Desde ai até esta data tem estado parada.

No ano de 2004 uma nova direcção presidida pelo Sr. João Ramos Almeida entrou, e vai tentar de novo colocar esta colectividade no lugar que ela merece omeçando pela escola de música que já está a funcionar e que tem como professora a Sra. Sílvia Santos Paulo.

Contactos
Rua da Junta de Freguesia
6215 ERADA - COVILHÃ
Castelo Branco
Portugal

Telefone: 275 962 255 / 966 863 825

Eis a mais jovem Banda Filarmónica do nosso país



 

A prova de que o universo filarmónico está a crescer.
 

"A dia 29 de Agosto de 2007 deram-se as primeiras aulas de Solfejo e Formação Musical"

A Fundação da Banda e Escola de Música da Sociedade Recreativa de Casaínhos deve-se à iniciativa do seu primeiro Maestro e Professor o 1º Sargento Músico da G. N. R., Luciano Filipe Alves Franco. Em Maio de 2007, desenvolveu contactos com um grupo de pessoas, às quais apresentou o seu projecto e que, constituindo-se como comissão de fundadores, foram dando os passos necessários para a constituição de uma Associação Musical sem fins lucrativos...

Parabéns Luciano Franco e muitas felicidades para o projecto.

Sociedade Recreativa de Casaínhos Banda e Escola de Música

 

in bandasfilarmónicas.com

Pág. 1/2