Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

As Escolas de Música Nas Bandas Filarmónicas



 

Seminário com o Prof. Carlos Marques
 

No próximo dia 18 de Abril, pelas 09h00, terá lugar na Escola Superior de Educação “Jean Piaget” de Vila Nova de Gaia um seminário intitulado "As Escolas de Música Nas Bandas Filarmónicas".

Este seminário será da responsabilidade do professor Carlos Marques e as inscrições encontram-se abertas até ao próximo dia 11 de Abril.

São destinatários privilegiados desta acção os alunos de licenciaturas nas áreas da Música e da Educação Musical; Maestros de Bandas Filarmónicas; Directores de Bandas Filarmónicas; Professores de Educação Musical e áreas afins.

A Ficha de Inscrição encontra-se disponível aqui.

Para mais Informações deverá ser contactada a Escola Superior de Educação Jean Piaget: Campus Académico de V. N. Gaia, Rua António Sérgio, Apartado 551 4410-269 Canelas VNG.
 

ACDP - BANDA DO PAÚL

Historial

Fundada supostamente a 30 de Abril de 1815, a Banda Filarmónica do Paul, do concelho da Covilhã, é uma secular instituição com um passado e historial rico. A sua designação social, até 1977, era Sociedade Filarmónica Recreativa Paulense, mas após publicação em Diário da República de 12 de Maio do mesmo ano, passou a designar-se ACDP – Associação Cultural e Desportiva Paulense.

Não se conhece ao certo os seus fundadores, todavia, segundo rezam as crónicas escritas relativamente à época, terão sido Luiz Soares Gil e João da Fonseca que, em 1864, deram impulso decisivo à Banda. Acolheu no seu seio mestres, tais como, D. Filipe Perez, Ribeirinho, António José de Almeida, Sousa, Assis, João Valente, António Quintela e António Manuel Duarte André. Neste momento é dirigida pelo Maestro Renato Andrade.

A Banda Filarmónica do Paul tem, de algum modo, conseguido fazer a simbiose perfeita entre gerações tão distintas e faixas etárias diferenciadas, assentando nela uma vitalidade e o garante de uma entidade com um prestimoso trabalho desenvolvido em prol da comunidade Paulense e da região, preservando, acima de tudo, a identidade cultural de um povo.

A Banda Filarmónica do Paul tem, nos últimos anos, renovado o seu repertório, sempre com a preocupação de interpretar peças musicais de boa qualidade, que para além de agradar a um leque alargado de preferências do público, seja um meio pedagógico musical.

A vitalidade e o garante desta Banda assentam num quadro de músicos, onde várias gerações convivem entre si, num tom de companheirismo. Pois só o amor pela arte e a amizade os concentra neste lar.

Tem sido solicitada para vários eventos em todo o país, deixando uma boa prestação. Deixou em 1997, o seu espólio musical registado numa edição áudio, intitulada “ Harmonias mágicas “.

Para além de promover eventos musicais e de manter a Escola de Música, a ACDP – Banda Filarmónica do Paul também aposta noutras actividades culturais e desportivas. Fruto desse investimento são o I e II Tunesband ( Festival de Tunas e Bandas Filarmónicas. 1999 e 2000), as edições do Futmusic (Torneio de Futsal. 1998, 2000, 2001 e 2002), uma Acção de formação em manutenção de Instrumentos Musicais (2004), 3 edições de Pedais Musicais (passeios / convívios de BTT. 2004 - 2006), uma Romaria em Honra à Santa Cecília (padroeira dos músicos) em 2004, um Baile de Carnaval (2005) e o Iº Master Class - Clarinete e Tuba (2005). Realizou também em 2004 o VI Festival de Bandas Filarmónicas no Paul e, em 2005, o VII Festival de Bandas Filarmónicas no Jardim do Lago (Covilhã) em parceria com a Câmara Local, entre muitas mais actividades. Cooperou na formação da Federação Regional de Bandas Filarmónicas do Distrito de Castelo Branco, da qual é, actualmente, sócio – fundadora.

Consta no seu prestimoso historial passagens pela França e Suíça, assim como a participação em programas televisivos. Participa em romarias, festas e concertos, para além de organizar e participar em encontros, intercâmbios e festivais de Bandas Filarmónicas.

 

INATEL - Plano de Apoios Nacionais 2009 - quase a terminar o prazo!

 

 

Apresentação de candidaturas até 31 de Março.Sede e Agências da Fundação INATEL. Constituindo elemento essencial no relacionamento directo com os Centros de Cultura e Desporto, e dirigido exclusivamente a estes, permite-lhes a obtenção de meios essenciais às suas actividades culturais, como apoios financeiros para a aquisição de trajes e calçado, instrumentos musicais ou equipamento necessário para a produção de peças teatrais.

 

in Blog Banda da Covilhã

Reportagem: 1º Curso de Reparação e Manutenção UBCC 2009

 


Decorreu no passado sábado na bonita Vila de Unhais da Serra, e na esplêndida sede da Filarmónica Estrela de Unhais da Serra o 1º Curso de Reparação e Manutenção de Instrumentos de Sopro – UBCC 2009, tendo contado com a presença do técnico oficial da YAMAHA, e um representante da empresa Cardoso e Conceição, e ainda uma exposição de instrumentos e material diverso. Foram cerca de três dezenas de participantes que assistiram e puderam usufruir de uma informação válida e imprescindível para o funcionamento de qualquer filarmónica. Estiveram presentes as seguintes bandas; Filarmónica Estrela de Unhais da Serra, Banda da Covilhã, Filarmónica Cortense, Filarmónica Eradense e Banda de Gouveia. Ficam algumas frases: - Um instrumento musical é um objecto muito delicado – o pior inimigo de um músico é o seu próprio instrumento – os instrumentos não devem ser reparados, verificados caseiramente – a vaselina utilizada na cortiça, por exemplo dos clarinetes é péssimo – o pó é mortal para todos os metais – duraglit utilizado muitas vezes na limpeza exterior de um instrumento é um veneno abrasivo para os mesmos. Foi possível visualizar ainda alguns filmes mostrando como é feito um instrumento. A UBCC agradece a participação de Todos e em particular dos que apoiaram a iniciativa.
 
Artigo retirado do blog da Banda da Covilhã.
 

HOJE, SÁBADO EM UNHAIS DA SERRA

A YAMAHA em parceria com a União de Bandas do Concelho da Covilhã organiza já no próximo sábado (dia 21 de Março) o 1º Workshop de Reparação e Manutenção de Instrumentos de Sopro na sede da Filarmónica Estrela de Unhais da Serra contando com a presença do Técnico oficial da Yamha - Sr.º Edegar Valério. O programa foi dividido em: 14:00 – 15:30 – Metais - 15:30 - 17:00 – Madeiras. Todos podem e devem participar - o Curso é Gratuito.

Bandas da Covilhã - Filarmónica Recreativa Carvalhense

 

 

Filarmónica Recreativa Carvalhense

 

A FRC (Filarmónica Recreativa Carvalhense) foi fundada a 1 de Janeiro do ano de 1908 por um grupo de homens vocacionados para a arte musical, tendo como lema " Ao serviço da cultura de um povo ". Este grupo foi encabeçado pelo Reverendo Pároco da freguesia, da então Aldeia do Carvalho, hoje Vila do Carvalho, Padre Parente tendo este sido o seu primeiro maestro. Ao longo dos anos, esta formação musical começou a crescer numericamente e artisticamente, chegando aos nossos dias com cerca de 50 elementos com uma média de 25 anos de idade todos amadores e formados na sua Escola de Música, com um alto nível artístico reconhecido por todos quantos já tiveram oportunidade de o testemunhar.

Hoje a cargo do reconhecido maestro João Bouceiro a FRC tem-se deslocado a inúmeros palcos nacionais e internacionais de que se destacam os seguintes:

 

 

1982, 1983, e 1990, respectivamente deslocou-se a Faverges, Tourcoing e Draveil (França), onde participou no décimo Festival do Carnaval desta última cidade;
1987, isenta de qualquer objectivo político, foi convidada para a abertura da Festa do Avante, em Lisboa;

 

1989, Ciudad Rodrigo (Espanha), onde actuou nas festas de Santa Cecília, Padroeira dos músicos, em representação do concelho. Nesse mesmo ano participou no 1 Encontro Nacional de Bandas Civis realizado em Coimbra, em representação do distrito de Castelo Branco;  
1991, Lisboa, 1 Encontro Nacional de Bandas Filarmónicas em representação do Distrito de Castelo Branco. Outubro do mesmo ano, atribuição do Estatuto de Utilidade pública.
1992, Torres Novas, integrada nas festas da cidade em representação do Concelho.
1994, Esteve presente na Feira popular de Lisboa, no dia dedicado às casas regionais, representando para esse efeito a Casa da Covilhã;
1995, Realização de um curso de improvisação e composição colectivo de Jazz, dirigido por Patrick Brennan, destinado a músicos da região.
1995, actuou em Lisboa no encerramento da Feira popular em Brejos de Azeitão (Setúbal na Feira do artesanato).
2000, Comemorações do dia da Cidade da Covilhã, Atribuição da Medalha de Mérito Cultural.
2001, Presença na Semaine Euroopéenne Portugaise em St. Genis Laval (França).
2002, 1 Curso Regional de Regência de Bandas Filarmónicas – (Parceria c/ INATEL) Monitores: Tristão Nogueira, Carlos Marques e José Pedro Figueiredo.
2005, isenta de qualquer objectivo político, foi convidada para o encerramento da Festa do Avante, em Lisboa.
2006, no contexto das Festividades do Centenário da Banda de Loriga foi convidada a realizar um concerto para todos os Loriguenses. Em Maio do mesmo ano foi convidada para a cerimónia de abertura do XXIV Olímpico Jovem, realizado na cidade da Covilhã, deslocando-se ainda ao Crato (Portalegre) para um encontro de bandas em representação do concelho da Covilhã e distrito de Castelo Branco.

2007, inserida nas comemorações do Tratado de Roma, a Filarmónica Recreativa Carvalhense ingressou no programa “O que nos toca” do Parlamento Europeu, tocando em sincronia com todas as outras Bandas da União Europeia o Hino da Europa.

Tem participado também em muitos Festivais de Música Popular promovidos pelo INATEL.

 
 
Ao longo dos seus 100 anos de existência a FRC, tem desempenhado com dignidade um papel importante no desenvolvimento sócio cultural da região, o que lhe tem dado um enorme prestígio, reconhecido com a atribuição do estatuto de pessoa colectiva de utilidade pública aprovado em Conselho de Ministros e publicado em Diário da República 2ª série, n.º 243 de 22 de Outubro de 1991 e pela atribuição da Medalha de Mérito Municipal da Câmara Municipal da Covilhã em 20 de Outubro de 2000. 

Pág. 1/3