Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Filarmónica Recreativa Cortense

Filarmónica Recreativa Cortense

Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

Primeiro álbum a solo de Nuno Silva

  O clarinetista Nuno Silva da Metropolitana, lançou o primeiro álbum a solo, “Swing.pt”, em que grava pela primeira vez em Portugal obras de autores como McAllister, Morton Gould, Gershwin e Bernstein.
A experiência com este reportório veio do seu estágio na Califórnia, mas os músicos são nacionais, do Exército Português, regidos por Mitchell Fennell, ex-professor do clarenetista da Metropolitana.
De Scott McAllister foi gravada a peça “Black Dog”, a favorita de Nuno Silva, de Morton Gould foi escolhida “Derivations”, de George Gershwin a conhecida “Summertime” a partir dos arranjos de Richard Stolzmann, e ainda “Prelude, Fugue and Riffs”, de Leonard Bernstein.
“Black Dog” é a peça favorecida de Nuno Silva "por ser intimista e ao mesmo tempo um pouco expansiva. Tem a ver com o meu carácter
e maneira de tocar o clarinete, de ser intimista e expansiva ao mesmo tempo”, disse á imprensa o músico.

O álbum, editado pela Numérica, foi gravado no ano passado e a acompanhar o clarinetista está a Banda do Exército, dirigida por Mitchell Fennell, professor de Nuno Silva quando este estudou na California State University, nos Estados Unidos.
Gravado no Quartel do Exército em Queluz e no Salão Nobre do Conservatório de Lisboa, o álbum “demonstra bem a excelente música norte-americana escrita para a formações exclusivamente compostas por instrumentos de sopro”, contou.
“Este repertório foi escrito para o grande Bennny Goodman e está um bocadinho na fronteira entre o swing, o jazz e a música clássica. Estas peças têm aliás uma grande estrutura de música clássica e o clarinete navega bem nas duas águas”, afirmou.
A este propósito, o músico referiu que “é pouco comum escreverem na Europa para um solista e um grupo de sopros, que é sempre visto de soslaio ou até com desprezo, muito ao contrário do que se passa nos Estados Unidos, onde há bom repertório escrito para este tipo de formação”.
Por outro lado, “é uma área que vem desde os meus tempos de criança quando tocava numa banda e mais tarde numa big band.
Esta é a minha memória infantil, apesar de não ser a minha música do dia a dia”.
Ainda sobre "Swing.pt", Nuno Silva afirmou que a ideia remonta a 2004, quando fez uma digressão pelos Estados Unidos com a California State Uiversity Wind Ensemble, sob a batuta de Fennell.
O álbum inclui um "booklet" com biografias dos participantes e várias notas sobre cada uma das
peças escolhidas, assinadas na maioria pelo musicólogo Rui Leitão, à excepção de “Black Dog”, sobre a qual foi incluído um texto do próprio compositor, McAllister.
Nuno Silva, primeiro clarinetista da Orquestra Metropolitana de Lisboa, venceu o concurso de Clarinete e Música de Câmara da Juventude Musical Portuguesa (1988) e o Concurso Nacional de Clarinete de Setúbal (1989), recebeu o 1.º Prémio de Clarinete e Música de Câmara (nível superior) no Prémio Jovens Músicos 1991, o 1.º Prémio dos Jovens Solistas (1992) e o 1º Prémio no concurso Cultura e Desenvolvimento (1996). Internacionalmente, foi semi-finalista do Concurso Valentino Bucchi em Roma, em 1992, e laureado no Concurso Aurelian Popa, em 1993, e semi-finalista no Concurso de Cracóvia, em 1994.

Nuno Silva participa regularmente no Congresso Mundial de Clarinetistas e já dirigiu várias masterclasses tanto em Portugal como na China, Austrália e Brasil.

In:Hardmúsica

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.