Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio


Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

O “Y – Festival de Artes Performativas” apresentará nas cidades da Covilhã e Castelo Branco, entre 23 de novembro e 02 de fevereiro de 2018, dez espetáculos de música, teatro, dança e performance, anunciou a organização.

“Queremos dar visibilidade às diferentes disciplinas artísticas e fizemo-lo de uma maneira mais ou menos equilibrada, [pelo que teremos] quatro espetáculos de dança, quatro de teatro, um de música e outro que é dividido entre o teatro e a dança”, referiu Rui Sena, da Quarta Parede, associação com sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco, que realiza este certame há 13 anos.

Destacando o “grande esforço” que tem sido feito para “manter vivo” este festival, Rui Sena também frisou a importância de este se realizar em cidades do Interior do país.

No que concerne à programação, o “Y – Festival de Artes Performativas” continuará a aliar o cruzamento das diferentes disciplinas artísticas com uma aposta nos novos criadores de arte contemporânea em Portugal e tem ainda a preocupação de integrar estruturas da região.

O festival conta ainda um eixo de programação artística pedagógica, denominado “Y – Públicos”, que integra encontros/reflexões entre espetadores e artistas, num conjunto de iniciativas que procuram afirmar o público como elemento participante, conforme referiu Sílvia Pinto Ferreira, assistente de programação.

Estão ainda previstas oficinas dramatúrgicas e ações de formação destinadas quer ao público em geral, quer para o público estudantil, desde o pré-escolar ao ensino superior.

Uma das ações prevê um encontro entre seniores e jovens, e outra desenvolver-se-á nas escolas do ensino pré-escolar, com especial incidência nas instituições que estão fora do núcleo urbano da cidade.

Nesta edição, optou-se também por estender a programação entre novembro e fevereiro, de modo a evitar uma oferta concentrada no tempo que, por motivos de agenda ou até mesmo económicos, pudesse dificultar a distribuição dos espetadores pelas diferentes apresentações.

Os espetáculos na Covilhã serão apresentados no auditório do Teatro das Beiras e a programação arranca no dia 23, às 21:30, com “Noiserv”, seguindo-se, no dia 29, à mesma hora, o espetáculo “Canas 44” pela Amarelo Silvestre.

No dia 05 de dezembro, às 14:30, realce para a apresentação de “Viúva Papagaio”, por Graça Ochoa e Alberto Carvalhal, e, no dia 07, às 21:30, a Companhia Paulo Ribeiro apresenta “Um solo para a Sociedade”.

A 16 de janeiro de 2018, às 14:30, Pé de Pano apresenta o espetáculo “Danças a Nascer” e, no dia 18, às 21:30, Hotel Europa sobe ao palco com “Portugal Não é um País Pequeno”.

Para dia 27 de janeiro, às 21:30, está marcado o espetáculo “Adapted to Y&Y”, de João Cardoso & Victor Gomes, e Mafalda Saloio apresenta “Brisa ou Tufão”, no dia 31 de janeiro, às 21:30.

Em Castelo Branco, as apresentações são às 21:30 no Cine-Teatro Avenida e estão marcadas para dia 19 de janeiro e 02 de fevereiro, respetivamente com Rui Horta e o espetáculo “Vespa” e com Mafalda Saloio e o espetáculo “Brisa ou Tufão”.

O orçamento desta 13.ª edição do “Y – Festival de Artes Performativas” é de 55 mil euros e conta com o apoio da Direção Geral das Artes e das Câmaras da Covilhã e de Castelo Branco.

O bilhete para o espetáculo de Noiserv custa 10 euros, com desconto de 50% para menores de 25 e maiores de 65 anos, estudantes e profissionais do espetáculo. Para os restantes espetáculos, o preço é de seis euros, sujeito aos mesmos descontos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cultura em rede das Beiras e Serra da Estrela

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 16.08.17

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela está a implementar um pacote de programação designada “Cultura em rede das Beiras e Serra da Estrela” através de uma candidatura aprovada no montante de um milhão e 300 mil euros.

O referido programa contempla animação dos centros históricos dos 15 concelhos da Comunidade intermunicipal, num formato de festival, nas áreas de teatro, dança e música, programadas em rede até 2020. Entre outros, "a iniciativa contempla realização de espectáculos comunitários itinerantes, visitas guiadas e encenadas, promovendo a valorização da cultura, história e costumes do território".

O Conselho Técnico da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela reuniu na Casa da Cultura em Seia para fazer o ponto da situação deste programa, tendo sido nomeado um grupo restrito de trabalho composto por programadores de seis municípios, com coordenação de Mário Branquinho. Este responsável que é também Director do CineEco fez na ocasião a apresentação da proposta de descentralização do festival de cinema de ambiente aos municípios da Comunidade. Foram confirmados os contactos dos municípios para a articulação conjunta da iniciativa tendo em vista articular as acções deste alargamento ao território desta Comunidade Intermunicipal.

O CineEco é um festival organizado pelo município de Seia, que este ano realiza a sua 23ª edição de 14 a 21 de Outubro e que a partir de agora será alargado aos concelhos da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Festival da Juventude e da Natureza. 12 a 14 AGO, Manteigas.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 07.08.17

Foto de The Sweet Childreen.

De 12 a 14 e Agosto serão promovidas iniciativas particularmente dirigidas aos mais jovens, não faltando música, desporto, descoberta e diversão.

O Festival da Juventude e da Natureza de Manteigas recebe participantes que "poderão desfrutar das maravilhas do Parque Natural da Serra da Estrela com actividades em espaço aberto. Poderão assistir a sessões de cinema e teatro também ao ar livre. Em complemento, a música será uma constante do Festival".

Pretende-se que o Festival "mobilize pessoas de toda a Região e promova dois valores fundamentais: a natureza e os jovens" refere a Câmara de Manteigas que espera receber "cerca de 2500 pessoas" neste Festival da Juventude e da Natureza de Manteigas de 12 a 14 de Agosto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concertos com os The Gift e Mário Zambujo são alguns dos destaques da agenda cultural do município de Castelo Branco para o segundo trimestre de 2017.

Além destes concertos, a Agenda Cultura Vibra inclui ainda um conjunto vasto de atividades para os meses de abril, maio e junho, onde se incluem, o teatro, exposições, dança ou ‘workshop’ de modelação 3D e laboratórios de arte digital.

"Como é habitual, a programação que aqui desvendamos cobre as mais diversas áreas artísticas e assume um ecletismo que é uma das matrizes identitárias da nossa oferta", explica o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

Na vasta programação cultural para os próximos três meses, o autarca destaca ainda os espetáculos de António Zambujo e dos Artistas Unidos, dois espetáculos enquadrados no centenário do Santuário de Fátima, um de música pelo Vox Angelis e outro de dança contemporânea, pela Vórtice Dance Company.

António Zambujo sobe ao palco do Cineteatro Avenida no dia 23 de abril, às 18:00, para apresentar ao vivo o seu último disco "Até Pensei Que Fosse Minha", onde o músico presta uma homenagem em forma de disco, exclusivamente composto por canções de Chico Buarque e gravado no Brasil sob a alçada do próprio mestre da música popular brasileira, que chega a colaborar com António Zambujo num dos temas, "Joana Francesa".

Ainda no campo musical, os Vox Angelis vão atuar na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, no dia 29 de abril, pelas 21:30, sendo que este grupo de 16 músicos profissionais promove a divulgação da música clássica, sobretudo a música sacra, e interpreta obras que vão do século XV ao século XX.

Os The Gift atuam no Cineteatro Avenida no dia 05 de maio, às 21:30, para apresentarem o seu mais recente álbum, "Altar", um disco de 10 canções feitas durante dois anos.

Para maio estão agendados dois espetáculos de dança dos Vórtice Dance Company, que atuam nos dias 12 e 13 de maio, no Cineteatro Avenida às 21:30, com o espetáculo "Fátima - O Dia em que o Vórtice Sol Dance Bailou".

A 27 de maio, O Cineteatro Avenida recebe o Festival Nacional de Folclore de Primavera, e, no dia 09 de junho, às 21:30, decorre o espetáculo de teatro "Cânticos de Barbearia" de Carlos Tê e com encenação de Luísa Pinto.

A 18 de junho, a escola de dança Art Kompany atua no Cineteatro Avenida às 17:00.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olh'á Florbela - Unidos do Tortosendo 

DOMINGO, 12 MARÇO, ÀS 16H, NO UNIDOS DO TORTOSENDO

BILHETES: 10 RISOS À VENDA NA SEDE DO UNIDOS DO TORTOSENDO E JUNTA DE FREGUESIA DO TORTOSENDO

Informações e reservas: bilheteira.ufct@gmail.com

SINOPSE “Ol(h)'á Florbela” é uma revista à portuguesa que têm percorrido todo o país desde Setembro e o acolhimento não poderia ser melhor. O público aplaude o regresso de FLORBELA QUEIROZ aos palcos (no ano em que festeja 60 anos de carreira), acompanhada por VERA MÓNICA (que nesta revista, para além de atriz, é também a atração do fado), MARISA CARVALHO, RAQUEL CANECA e GONÇALO BRANDÃO. “Olh'á Florbela” é uma revista escrita por jovens e talentosos autores - Flávio Gil, Renato Pino e Marisa Carvalho – onde os números são acompanhados por atrativas projeções de vídeo que tornam ainda mais reais as representações dos atores. “Alentejana” ou o “Tropa”, protagonizado por Florbela Queiroz, têm levado o público às gargalhadas, tal como o quarteto “Casa de Fados” o “Pau de Selfie” ou a “Pizza” protagonizados pelos jovens Raquel Caneca e Gonçalo Brandão. Por sua vez, Marisa Carvalho, responsável pelo quadro sério da revista – " A Nova Emigração” tem sido aplaudida de pé, de forma efusiva, entre muitos “bravos”. A música é também um aspeto a destacar neste espetáculo pois Vera Mónica interpreta dois fados belíssimos que o público sai do teatro a trautear. Com encenação de Isabel Damatta, apresenta-se com um guarda-roupa de luxo, assinado por Carlos Mendonça (premiado em inúmeras edições das marchas populares de Lisboa). Um espetáculo com duas horas para matar saudades do Parque Mayer.

ELENCO: FLORBELA QUEIROZ VERA MÓNICA MARISA CARVALHO RAQUEL CANECA GONÇALO BRANDÃO

AUTORES DE TEXTO: FLÁVIO GIL RENATO PINO MARISA CARVALHO

AUTOR DE MÚSICA: CARLOS DIONÍSIO

ENCENAÇÃO: ISABEL DAMATTA

PRODUÇÃO: JOÃO NUNO BAPTISTA RICARDO MIGUEL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Amor Electro, Aurea e Rita Redshoes actuam em Festival de Castelo Branco 

Espectáculos com Amor Electro, Aurea, Rita Redshoes e a Companhia Nacional de Bailado, que comemora os seus 40 anos em Castelo Branco, são alguns dos destaques da agenda cultural da cidade para o primeiro trimestre de 2017.

Além dos concertos, a Agenda Cultura Vibra, de Castelo Branco, inclui outras actividades, como teatro, exposições, dança, cinema e oficinas em fotografia e produção audiovisual.

"Com propostas para gostos diversificados", a agenda cultural do município procura "chegar a mais pessoas, solidificando o nosso trabalho neste eixo estratégico da nossa ação em prol da população residente e dos visitantes", afirmou presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

O grupo Amor Electro sobe ao palco do Cineteatro Avenida no dia 14 de Janeiro, a partir das 21:30, sala onde no sábado seguinte, 21 de Janeiro, à mesma hora, actuará a Companhia de Dança Contemporânea de Évora.

Ainda no campo musical, Aurea também actuará no Cineteatro Avenida, a 11 de Fevereiro, pelas 22:00, poucos dias antes de, também neste palco, ter início a quinta edição do Festival de Guitarra, o que acontecerá pelas 21:30 do dia 25 de Fevereiro.

Para Março estão agendados espectáculos pela Companhia de Dança de Almada e de Rita Redshoes, dias 04 e 25, respectivamente.

O espectáculo com que a Companhia Nacional de Bailado assinala o 40.º aniversário está programado para o dia 30 de Março, no Cineteatro.

A soprano Ana Quintans actuará no dia seguinte, 31 de Março, no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB), no Concerto di Cavalieri, dirigido por Marcelo di Lisa.

O programa destaca também o jazz, com os Kolme e os ZERO, octeto liderado por João Guimarães, a 13 de Janeiro e 23 de Fevereiro, respectivamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

TMG apresenta Agenda para o 1º trimestre

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 09.01.17

O TMG apresentou a Agenda do primeiro trimestre do ano com destaques para o concerto dos Criatura a 21 de janeiro e de António Zambujo a 10 de março, a "esquizofrenia vocal" do humorista Luís Franco-Bastos a 28 de fevereiro e o regresso do Síntese - Ciclo de Música Contemporânea da Guarda organizado pelo Síntese GMC com o apoio da CMG/TMG e que decorrerá no mês de março com concertos, ensaios abertos, tertúlias e o Concurso Nacional de Interpretação Contemporânea. Ainda este trimestre prossegue o Ciclo Relavrar dedicado aos novos valores da música contemporânea de raiz tradicional que contará com 6 concertos, 3 oficinas e 1 instalação sonora. No teatro destaque para a nova criação em residência artística no TMG dos Gambozinos e Peobardos, "Ofício", em cena de 16 a 18 de fevereiro e na Galeria de Arte, espaço para a Pop Arte do artista plástico Pedro Amaral.
Prosseguem ainda este trimestre  as iniciativas Famílias ao Teatro com espetáculos de teatro e marionetas; o Cinema com a colaboração do Cineclube da Guarda, destacando-se a extensão do CINE' ECO - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, com a apresentações dos filmes premiados na edição de 2016.  E no Serviço Educativo destaque para a Oficina de Cinema de Animação "Anima com Plasticina"  e continuam ainda as iniciativas OfiCena, o Plano Nacional de Cinema, a oficina "Viagem Sonora" e as Visitas Guiadas ao TMG.
E estes são apenas alguns dos destaques, toda a programação pode ser consultada aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

TMG apresenta Peter Murphy. 15 OUT.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 12.10.16

Peter Murphy é o destaque do mês de outubro, atua no Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda, no dia 15. O ex-vocalista dos lendários Bauhaus vem apresentar “Stripped”, espetáculo que inclui temas da banda britânica e também temas da sua carreira a solo.

Os bilhetes estão à venda a partir de hoje na bilheteira online e a partir de 30 de agosto na Bilheteira do TMG.

Peter Murphy foi vocalista e líder dos Bauhaus, mítica banda pós-punk inglesa que obteve enorme sucesso na primeira metade dos anos 80. Os Bauhaus marcaram uma geração com temas icónicos como “Bela Lugosi is Dead”, “She’s in Parties”, “Kick in the Eye”, “Telegram Sam”, “Passion of Lovers” ou a recriação do clássico “Ziggy Stardust” de David Bowie. Em 1984, Peter Murphy enceta um projeto chamado Dali’s Car com Mick Karn, ex-membro do grupo Japan. Após esta breve experiência, em 1986 Murphy abraça uma promissora carreira a solo com o primeiro álbum “Should The World Fail To Fall Apart”, afastando-se do estilo musical dos Bauhaus e explorando uma via mais pop que lhe granjeou novos admiradores em todo o mundo. Mas foi apenas com o segundo álbum, “Love Hysteria”, em 1988, que a popularidade de Murphy subiu em flecha. Canções de sucesso como “All Night Long”, “Indigo Eyes” e “Cuts You Up” revelaram o talentoso compositor que Peter Murphy é.

Neste concerto da digressão “Stripped”, no Teatro Municipal da Guarda, Peter Murphy vai subir ao palco acompanhado com a sua banda para uma noite certamente memorável, tocando não só temas da sua carreira a solo como também dos Bauhaus, banda que atravessou gerações.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Hoje a "Clave Cultural" da FRC apresenta: "Mar de Ilusões".
Um espetáculo de VARIEDADES completamente diferente do que já viram, composto por quadros (sketches) de teatro, drama, revista à portuguesa, cabaret, fado, música popular portuguesa, matrafonas, stand up comedy, mímica, dança diversificada e muito mais, num desempenho de mais de duas horas.

Entrada Livre!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Clave Cultural apresenta: "Mar de Ilusões".
Um espetáculo de VARIEDADES completamente diferente do que já viram, composto por quadros (sketches) de teatro, drama, revista à portuguesa, cabaret, fado, música popular portuguesa, matrafonas, stand up comedy, mímica, dança diversificada e muito mais, num desempenho de mais de duas horas.

Com Entrada Livre!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Algarve Cultural de Outubro a Maio com mais de 600 espectáculos

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 18.08.16

Algarve Cultural de Outubro a Maio com mais de 600 espectáculos

O Governo apresentou em Lagos, o programa Algarve Cultural, com um orçamento de milhão e meio de euros, para mais de 600 espectáculos de forma a dinamizar a região durante a época baixa.

Já a iniciar em Outubro e até Maio do próximo ano, os 16 concelhos do Algarve vão contar com 626 espectáculos, entre teatro, música, literatura ou gastronomia, num programa com um investimento de 1,5 milhões de euros. A verba veio foi disponibilizada pelo Turismo de Portugal, com mais de 90% do orçamento destinado à programação.

Um festival em torno do contrabando em Alcoutim, uma festa de anos do "tavirense" Álvaro de Campos, jazz nas adegas de vinho de Silves, o regresso do Festival Internacional de Música do Algarve ou uma iniciativa que alia arte contemporânea com gastronomia de autor são algumas das 48 propostas aceites para a primeira edição edição do Algarve Cultural.

"Interessa-nos o desencadear de acções, de projectos e programas que depois se possam multiplicar", referiu o ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, que falava aos jornalistas à margem da apresentação do programa, que decorreu hoje ao final da tarde, no centro de Ciência Vivia de Lagos.

Apesar de esta iniciativa ter um orçamento mais reduzido do que aquele que foi destinado ao programa Allgarve (chegou a ter cinco milhões de euros), o ministro frisou que o programa se mede "pela participação e pela construção de um tecido, de uma actividade comum entre autarquias, criadores locais e o Estado" e não pelo dinheiro com que arranca.

De acordo com a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o programa surgiu como uma resposta "à necessidade de o Algarve ter vida nos meses de Outubro a Maio", uma lacuna apontada pelos operadores internacionais.

O desafio foi lançado em Junho aos agentes culturais locais e às 16 autarquias da região, sendo que, no espaço de dois meses, foram seleccionadas 48 propostas.

Para Ana Mendes Godinho, a iniciativa pretende transformar-se num "motivo complementar para que as pessoas optem" pela região na época baixa, considerando ser necessário mostrar um outro Algarve que não o mar e o sol: "há muito mais para fazer".

O programa divide-se em diferentes áreas de actuação, nomeadamente literatura, memória, património material e imaterial, música, teatro, gastronomia e paisagem.

Em Alcoutim, em Março realiza-se o Festival do Contrabando, em Maio na vila de São Brás de Alportel há uma "viagem" até ao início do século XX, mas em Tavira haverá já em Outubro Festa de Anos de Álvaro de Campos (heterónimo de Fernando de Pessoa, que "nasceu" em Tavira) e em Silves vai-se aliar o jazz às provas de vinho.

No programa, está também previsto o regresso do Festival Internacional de Música do Algarve (FIMA), entre Março e Maio, que vai decorrer em sete concelhos da província algarvia.

Entre outras propostas, a iniciativa conta ainda com vários concertos, mostra de cinema e um festival de teatro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

AD HOC Ensembles da EPABI. 17 JUN, 21h30, Teatro das Beiras.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 16.06.16

EPABI-cartaz_ad hoc ensembles.jpg

Concerto AD HOC Ensembles da EPABI, grupos de câmara constituídos para o efeito, com direção do Professor Francisco Luís Vieira e que se apresentarão ao público amanhã, sexta-feira, 17 de junho, pelas 21h30m, no Teatro das Beiras (Covilhã).

O concerto resulta de uma parceria entre a EPABI e o Teatro das Beiras e tem entrada gratuita.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concertos com Deolinda, Orquestra Gulbenkian e Mário Laginha, Olga Prats e Alejandro Oliva são os destaques da agenda cultural da Câmara de Castelo Branco para o segundo trimestre de 2016.

A Agenda Cultura Vibra divulgada hoje inclui ainda um conjunto vasto de outras atividades, como teatro, exposições, dança ou cursos de formação em fotografia e design editorial e paginação.

Os Deolinda sobem ao palco do Cine-Teatro Avenida, amanhã, dia 08 de abril, a partir das 21:30 e a Orquestra Gulbenkian, acompanhada de Mário Laginha, atua neste espaço no dia 07 de maio, às 21:30.

Ainda no campo musical, Olga Prats e Alejandro Oliva têm presença marcada para o dia 11 de maio, às 21:30, no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB).

À semelhança do que aconteceu no primeiro trimestre do ano, a agenda “Cultura Vibra Castelo Branco” procura valorizar as estruturas de criação locais e regionais em todos os campos da cultura.

No teatro, o destaque vai para a apresentação da peça “Al Pantalone”, pelo Teatro Meridional, com texto de Mário Botequilha, encenação e desenho de luz a cargo de Miguel Seabra e a interpretação é de Guilherme Noronha, Rui M Silva, Sofia Correia e Vitor Alves da Silva.

A peça, que retrata a história de um embuste, sobe ao palco a 28 de abril, às 21:30, no Cine-Teatro Avenida.

No dia 20 de maio, às 21:30, a Companhia de Dança Contemporânea de Évora apresenta “Terra Chã”, no Cine-Teatro Avenida, um espetáculo onde os sonetos de Florbela Espanca falam da beleza e da alma do Alentejo.

Através de um olhar contemporâneo trabalha-se a fusão entre a música de Ólafur Arnalds e as modas do Cante Alentejano.

A agenda de primavera inclui ainda Os Dias Templários de Castelo Branco, que decorrem na zona do Castelo, entre os dias 02 e 05 de junho.

Durante os quatro dias, os visitantes têm a oportunidade de viajar até à época medieval e conhecer o mercado de artesãos, as tavernas medievais e assistir a espetáculos de fogo e de animação com os grupos Flamma Luna, Sons do Castelo, Fazenda dos Animais e Tok Avakalhar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nicolau Breyner aos 28 anos, no Festival da Canção.

Começou a cantar com 12 anos e queria ser cantor de ópera.

Em 1968, com 28 anos, Nicolau Breyner subia ao palco no Festival RTP da Canção para cantar "Pouco Mais". Ficaria em quarto lugar.

O ator e realizador não deixa a voz como principal legado, mas, como destacou Simone de Oliveira, foi "porque não quis", optando por seguir o chamamento dos palcos e das câmaras. "Chegámos a fazer os dois uma peça em que ambos cantávamos", lembra Simone de Oliveira. "Eu tinha 25 e ele 23 anos".

Numa entrevista ao jornal DN em 2014, o ator, que morreu esta segunda-feira aos 75 anos, afirmava que, em criança, não pensava em ser ator. Começou a cantar com 9 anos, por cima dos discos de vinil, e queria ser cantor de ópera. "Sabendo que estava decidido a ser cantor de ópera, o meu pai aconselhou-me então uma preparação em teatro", afirmou Nicolau Breyner.

Mas o tempo no Conservatório serviu para lhe apontar outra direção. A ópera tinha demasiadas regras. "As leis da ópera são de alta competição: não beber, não fumar, não apanhar sol, ter cuidado com a alimentação, não namorar muitas meninas. Foi quando disse: «Nem pensem nisso.» Eu queria viver".

"Os atores ou são bons ou maus"A vocação de ser cantor ficou para trás. Deixaria um amplo legado de representação na televisão, no teatro e no cinema português, e viria mesmo a realizar os seus próprios filmes. Desde ser o Sr. Contente para o Sr. Feliz de Herman José até ao Joaquim dos Imortais, mostrou a sua enorme versatilidade enquanto ator.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A agenda Cultura Vibra de Castelo Branco inicia a nova temporada no sábado, com a programação do primeiro trimestre a ficar marcada pelo teatro e por concertos de David Fonseca e Tiago Bettencourt.

A abertura da temporada começa no Cine-teatro Avenida nesta noite de sábado, pelas 21:30, sob o signo da reflexão, a partir de Franz Kafka, com a peça “É Impossível Viver”, com encenação e dramaturgia de Ana Luena e que tem como protagonistas os atores João Lagarto e Sérgio Praia.

“É uma forma de assinalar o destaque do teatro na nossa programação, que terá outro momento importante, mais tarde, a 26 de fevereiro, com a apresentação de António e Maria, de António Lobo Antunes, com dramaturgia e adaptação de Rui Cardoso Martins e com a interpretação de Maria Rueff. Será a estreia do Teatro Meridional em Castelo Branco”, afirma o programador e coordenador de produção, Carlos Semedo.

Este responsável explica que um dos eixos que determinam a programação do Cine-teatro Avenida e a agenda “Cultura Vibra Castelo Branco” é a valorização das estruturas de criação locais e regionais.

“Esta agenda não é exceção. Teremos Primeira Infância: Um Fabulário, pela Terceira Pessoa Associação e, também em fevereiro, Ofélia, pela Pé de Pano-Projectos Culturais, estruturas sediadas em Castelo Branco”, adiantou.

O ator José Graça trará o seu “A Vida da Morte” ao auditório do Centro Cultural de Alcains no dia 18 de fevereiro e o Teatro das Beiras, companhia da Covilhã, apresenta “Rádio Cabaret”, no dia 02 de março.

A 17 de março, Elmano Sancho apresenta “I Can’t Breathe”, peça na qual contracena com Ana Monte Real.

Carlos Semedo adianta ainda que, em 2016, Castelo Branco tem o tubista Sérgio Carolino, como artista residente, o que significa que todos os trimestres este músico apresenta um dos seus projetos.

No campo musical, no final de janeiro, o pianista António Rosado faz uma curta residência artística, com um recital a solo, uma “master class” para alunos do Conservatório Regional de Castelo Branco e Escola Superior de Artes Aplicadas e um concerto com o João Roiz Ensemble.

O violinista Florian Deuter e o cravista Ketil Haugsand farão recitais integrados na Série Ibérica de Música Antiga.

David Fonseca dá um concerto a 16 de janeiro no Cine-Teatro Avenida e Ana Bela Chaves, violetista solista na Orchestre de Paris vai estar no dia 09 de fevereiro no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco.

A 03 de fevereiro, o clarinetista António Saiote atua no Museu Francisco Tavares Proença Júnior e, no dia 13 de fevereiro, Tiago Bettencourt, dá um concerto no Cine-Teatro Avenida, que a 05 de março, recebe o músico brasileiro Cícero.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bendada promove semana cultural com dezenas de artistas.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 22.12.15

Aldeia do Sabugal promove semana cultural com dezenas de artistas

A Casa da Música da freguesia de Bendada, no concelho do Sabugal, distrito da Guarda, está a promover uma Semana Cultural de Natal que envolve "várias dezenas de artistas".

A iniciativa começou no domingo e inclui espetáculos musicais, teatro, exposições e a exibição de um documentário.

Concertos de guitarra clássica, piano, violino, violoncelo, flauta e cânticos tradicionais de Natal vão marcar esta semana de intensa atividade cultural, com o ponto alto num concerto à beira do madeiro, no adro da igreja, pelas 23:00» de quinta-feira.

O evento começou no domingo com a inauguração de uma exposição de escultura de Carlos Pinto e com um concerto pela Escola de Música de Bendada.

Segunda feira segui-se a inauguração de uma exposição de fotografia do jornalista Vítor Andrade, com o tema: "Bendada. Pessoas, lugares e tradições". O mesmo autor também apresentará, pelas 21:00 de terça-feira, o documentário em vídeo "Bendada, 30 anos de memórias".

No teatro, o destaque da programação vai para o "Auto de Natal", pelo Grupo de Teatro da Bendada, que será representado pelas 16:00 do dia de Natal. No dia seguinte, às 16:00, o Grupo de Teatro de Caria, representa a peça "As Lavadeiras".

Na vertente musical, estão agendados vários concertos, sendo que, segundo a organização, "a maioria dos jovens músicos que vão marcar presença na Semana Cultural de Natal são talentos criados e formados na Escola de Música da Bendada, dirigida por Luís Andrade e Filipe Fernandes".

«Alguns deles seguem já carreiras internacionais nas suas especialidades, com destaque para Diogo Andrade, atualmente a frequentar o conservatório de Maastricht, na Holanda, na área da guitarra clássica», refere, indicando que o músico dará um concerto pelas 21:30 de quarta-feira.

Inês Andrade, que interpretará um concerto de piano, pelas 21:00 do dia de Natal, frequenta atualmente o doutoramento de Artes Musicais na Universidade de Boston, nos Estados Unidos da América, depois de ter concluído o mestrado na Universidade de Nova Iorque.

Na tarde do dia de Natal, o programa inclui um momento de fado por Laetitia Alves, que integra atualmente um projeto musical denominado 'ZOP'.

A iniciativa termina no domingo com um concerto de violoncelo e flauta transversal, agendado para as 22:00.

«O mais surpreendente é que toda esta semana de intensa programação cultural se passa numa aldeia no fim da estrada, com menos de 300 habitantes, num dos concelhos (Sabugal) mais marcados pela interioridade, pelo abandono e pelo esquecimento», refere a organização.

Os promotores da Semana Cultural de Natal referem ainda que «o lema da Casa da Música da Bendada - e dos seus promotores Filipe Fernandes e Luís Andrade - é simples: 'Aqui, combatemos a desertificação com cultura'».

«A Bendada quer ser, desta forma, um exemplo para o resto das aldeias desertificadas do interior do país», rematam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Convite C. M. Covilhã - A Saga de Pêro da Covilhã. 4 SET, 21h30, Covilhã.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 03.09.15

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concerto de Natal TC Alpedrinha com Jorge Palma. 20 DEZ, 22h.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 19.12.14

 photo cartazesbccedilonet_zpsf2ad5dc3.jpg

 
Concerto: Dia 20 de Dezembro 2014 às 22h00m
Entradas: 15€ Sócios / 20€ Ñ-Sócios - Lotação Limitada!
Após o concerto, Dj-set pela noite dentro…
Bilhetes: pré-venda Teatro Clube de Alpedrinha
Contactos Bilheteira: 96 343 08 73/ 96 763 08 17
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

António Zambujo em Castelo Branco. 22 NOV, 21h30, Cine-Teatro Avenida.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 19.11.13

Editado em Abril de 2012, “Quinto”, a primeira aventura discográfica de António Zambujo sob a chancela da Universal Music Portugal, entrou directamente para o 2º lugar do top nacional de vendas, depois de ter liderado o top iTunes. Do Alentejo para o mundo, a obra de António Zambujo foi elogiada nos quatro cantos do globo, louvada, por exemplo, no Brasil (com apoiantes tão ilustres quanto Caetano Veloso ou Jô Soares) ou nos Estados Unidos (onde contou com rasgados aplausos do incontornável The New York Times). A viagem de “Quinto” pelos palcos começou pouco depois da sua edição e, nem um mês após o lançamento do disco, António Zambujo já conquistava o Grande Auditório da Gulbenkian, sendo mesmo obrigado a actuar numa segunda noite, depois de ter esgotado a primeira data. Em Maio, e na sua terra natal, António Zambujo é agraciado com a Medalha de Honra de Beja, depois de um concerto no Pax Julia Teatro Municipal, integrado nas Festas da Cidade. Depois do inesquecível e aclamado concerto no Coliseu dos Recreios, em Dezembro de 2012, António Zambujo continua a percorrer as salas de espectáculo portuguesas, de Norte a Sul do país. 

Entrada: €15,00, Primeiros 100 Bilhetes - €12,00

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio