Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio


Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

Nobel vai para um músico frustrado: Kazuo Ishiguro

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 09.10.17

Depois de Dylan, o escritor nipo-inglês satisfaz a nova fixação da Academia Sueca: a música. Ishiguro escreveu letras e queria ser músico. Ficou pelo caminho e publicou oito livros.

Depois de Bob Dylan tudo poderia acontecer ontem no anúncio do mais recente vencedor do Prémio Nobel da Literatura. Pelo menos, venceu um "escritor", Kazuo Ishiguro, mesmo que como alguns logo disseram seja um autor cada vez mais fascinado pelo fantástico na sua obra, como é o caso do último romance (e de outro de 2005) em que efabula sobre uma Inglaterra distópica. Que não é japonês como o nome dá a entender, mas inglês por viver desde tenra idade na ilha devido aos seus pais terem ido habitar para a Inglaterra e, posteriormente, ter optado por esta nacionalidade.

Quem é Kazuo Ishiguro? A secretária permanente da Academia sueca descreveu-o como sendo uma nebulosa que anda por aí no universo literário: "Se misturarmos Jane Austen e Franz Kafka, encontramos Ishiguro de uma forma resumida. Será preciso acrescentar a esta mistura um pouco de Marcel Proust, e sem se misturar muito, temos a sua escrita. Que é ao mesmo tempo um escritor de grande integridade e que desenvolveu um estilo muito próprio". Minutos antes, Sara Danius tinha justificado a escolha de Ishiguro assim: "Alguém, que em romances de uma grande força emocional, não esconde o abismo entre o sentido do ilusório e a sua ligação para o mundo".

O site do Nobel deu imediatamente início a um inquérito em que se opta por já leu ou não Kazuo Ishiguro? Os gráficos eram explícitos na relativa ignorância do autor, pois em duas mil respostas nas duas horas seguintes só 39% referia que conhecia a obra do ex-nipónico e agora inglês. Mas há muitos leitores que gostam da sua obra e acompanham o seu percurso, é o caso de Salman Rushdie, seu amigo e um dos que mais uma vez perdeu a corrida do Nobel, que logo twitou: "Muitos parabéns ao meu velho amigo Ish, cujo trabalho eu amo e admiro desde que li A Pale View of Hills (As Colinas de Nagasáqui). E ele toca guitarra e compõe canções, também! Roll over Bob Dylan".

Poder-se ia dizer que estava revelada a principal razão da escolha do júri liderado por Sara Danius, que no ano passado impôs o músico norte-americano aos seus colegas, o facto de haver música em força no escritor. O que é assumido pelo próprio pois ainda há uns tempos escreveu um artigo no jornal The Guardian, ilustrado por uma fotografia dele a tocar guitarra, em que contava como a canção de Ruby"s Arms de Tom Waits serviu de inspiração para escrever a versão final do seu romance mais conhecido e premiado, Os Despojos do Dia.

Vale a pena passar os olhos por essa confissão recente, pois Kazuo Ishiguro refere no texto que "as pessoas acham que o escritor deve trabalhar muitas horas", mas ele contrapõe que mais de "quatro horas de escrita contínua diminui o rendimento". Ora, isto dá imediatamente algum suporte às primeiras opiniões que torceram o nariz a esta escolha da Academia Sueca, afinal até as preferências dos apostadores nas agências colocavam no Top 10 escritores com outra dimensão, principalmente com mais obra e muito mais horas de dedicação à escrita. É que Ishiguro não escreveu até ao momento sequer uma dezena de livros, rivalizando esta produção com um número maior de contos e de guiões. Ou não seja o seu livro mais famoso uma espécie de Downton Abbey do passado, onde Emma Thompson e Anthony Hopkins transcendem o texto com as suas interpretações do "aclamado" Os Despojos do Dia.

Biblio e biografia

A própria biografia fornecida pela Academia confirma esse breve percurso, valorizando o facto de que "além dos seus oito livros tem escrito vários guiões para cinema e televisão". Não deixa de potenciar a sua vertente de escritor de fantástico, como é o caso do romance que se passa numa Inglaterra distópica ao dizer sobre ele: "Ishiguro introduz uma corrente fria subterrânea de ficção científica na sua escrita, bem como várias influências musicais." Está mais uma vez explicada a preferência na nova Academia Sueca em relação ao Nobel: há sonoridade musical na sua carreira literária.

A sua obra está traduzida em cerca de três dezenas de países e o jornal The Times colocou-o em 2008 como o 32º autor mais importante entre os 50 escritores britânicos desde 1945. Ishiguro foi nomeado para quatro prémios Man Booker, que venceu na edição de 1989 com o romance Os Despojos do Dia . Um dos vários romances que usam o passado como cenário antes de se dedicar a uma espécie de ficção científica, livros que destacam de preferência os falhanços das pessoas e que, dizem, nunca chegam a lado nenhum porque as personagens enovelam-se entre o passado por resolver e o presente angustiado, escolhendo como final uma "resignação melancólica".

Um comportamento que tem muito de um modo de ser japonês, mesmo que Ishiguro numa entrevista com o Nobel de 1994 desse país, Kenzaburo Oe, tivesse afirmado que os cenários dos seus dois romances iniciais -o do Japão - eram pura imaginação: "Em Inglaterra, onde cresci, mantive sempre uma imagem muito forte do meu país de origem, com o qual sempre tive um ligação emocional".

Ishiguro nasceu em Nagasaki mas viveu quase sempre na Inglaterra. Tornou-se cidadão inglês em 1982 e antes de se dedicar à escrita, queria ser músico - compôs para Stacey Kent -, mas não foi aceite por nenhuma editora a quem enviou as suas composições. A sua formação académica foi nas universidades inglesas de Kent e East Anglia, licenciando-se em Inglês e Filosofia em 1978. Participou no curso de escrita criativa dos escritores Malcolm Bradbury e Angela Carter, que terminou em 1980.

Nas suas próprias palavras quis ser "um escritor que deseja escrever novelas internacionais".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mariana Sousa da ESART distinguida com o Prémio Círculo Richard Wagner

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 29.09.17

Mariana Sousa da ESART distinguida com o Prémio Círculo Richard Wagner 

Mariana Pereira de Sousa, aluna do Mestrado em Música e licenciada em Canto na Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, foi este ano distinguida pelo Círculo Richard Wagner Portugal e pelo Instituto Goethe Portugal com o Prémio Círculo Richard Wagner.

A presidente do Círculo Richard Wagner Portugal, Maria Teresa Cochito, em parceria com a diretora do Instituto Goethe Portugal, Claudia Hahn-Raabe, atribuíram a bolsa internacional que se destina a jovens talentosos e que visa apoiar o desenvolvimento e o aperfeiçoamento da língua alemã.

Esta experiência decorreu no Instituto Goethe de Berlim de 28 de agosto a 23 de setembro.

Natural do Porto, Mariana Sousa iniciou-se no canto na Academia de Música de Paços de Brandão, na classe da professora Mafalda Leite.

Em 2012 ingressou na Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB, na classe das professoras Elisabete Matos e Dora Rodrigues, terminando a licenciatura com 19 valores e recebendo o Prémio de Mérito – Educação Magazine, pela média mais elevada. De momento encontra-se a terminar o mestrado na ESART – IPCB.

Cantou a solo com a Orquestra ESART, dirigida pelo maestro João Paulo Santos.

Foi solista em obras como “Stabat Mater”, Pergolesi; “Glória” e “Nisi Dominus”, Vivaldi. Interpretou as seguintes personagens: Cherubino, Sesto, Romeo, Desdemona.

Frequentou Masterclasses com José Oliveira Lopes, Isabel Alcobia, Elisabete Matos e Norma Enns.

Mariana participou ainda no projeto “Luisa Todi – Jovens Clássicos”, em 2015 e ganhou o 1.º prémio no Concurso Internacional Cidade do Fundão, nos anos 2013 e 2016.

Em dezembro de 2016 cantou “A Portuguesa”, para o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, por ocasião da sua visita ao Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concerto para Eduardo Lourenço. 8 SET, 21.30, BMEL

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 07.09.17

Concerto para Eduardo Lourenço 

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL), na Guarda, anunciou que vai promover na sexta-feira um concerto dedicado a Eduardo Lourenço, por ocasião da entrega do prémio que tem o nome do ensaísta.

O “Concerto para Eduardo Lourenço”, pelo Síntese – Grupo de Música Contemporânea da Guarda, está agendado para as 21:30 de sexta-feira, para a Sala Tempo e Poesia da BMEL.

A fonte refere que o grupo Síntese dará um concerto “que viaja pelo repertório de alguns dos compositores mais significativos da música de câmara dos séculos XX e XXI, europeia e portuguesa”.

“Com estéticas contrastantes, ouviremos o compositor britânico Ralph Vaughn-Williams, a compositora russa Sofia Gubaidolina e os compositores portugueses João Pedro Delgado e Eduardo Luís Patriarca”, acrescenta.

Segundo a BMEL, o ponto alto do concerto será a estreia de uma nova obra de Patriarca, escrita especialmente para este concerto – “Auat VI [Memento]” -, sobre poemas de Gastão Cruz e Maria Teresa Horta.

O “Concerto para Eduardo Lourenço” é organizado no mesmo dia em que a BMEL também acolhe, pelas 17:00, a sessão de entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2017 ao jornalista, escritor e cronista Fernando Paulouro Neves.

Instituído em 2004 pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI), com sede naquela cidade, o prémio, no montante de 7.500 euros, destina-se a galardoar personalidades ou instituições com “intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas”.

O CEI adianta em comunicado que o seu diretor honorífico, Eduardo Lourenço, marcará presença na sessão, estando o elogio ao premiado a cargo de Arnaldo Saraiva, docente da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Em 2017, o júri do Prémio Eduardo Lourenço reconheceu “a projeção cultural e ibérica” de Fernando Paulouro Neves e a sua “notória vocação cultural e cívica, desenvolvida ao longo dos últimos 50 anos no Jornal do Fundão, órgão de referência na história da imprensa nacional, onde foi jornalista, chefe de redação e diretor”.

O galardão, com o nome do ensaísta Eduardo Lourenço, mentor e diretor honorífico do CEI, que tem sede na cidade mais alta do país, já distinguiu várias personalidades de relevo de Portugal e de Espanha.

Nas edições anteriores receberam o Prémio Eduardo Lourenço a professora catedrática Maria Helena da Rocha Pereira, o jornalista Agustín Remesal, a pianista Maria João Pires, o poeta Ángel Campos Pámpano, o professor catedrático de direito penal Jorge Figueiredo Dias, os escritores César António Molina, Mia Couto, Agustina Bessa-Luís e Luís Sepúlveda, o teólogo José María Martín Patino e os professores e investigadores Jerónimo Pizarro e Antonio Sáez Delgado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

MTV Vídeo Music Awards 2017: Kendrick Lamar ganhou em quase todas as categorias para que estava nomeado 

O rapper norte-americano foi o cantor com mais nomeações na edição 2017 dos prémios da MTV, incluindo as categorias de Vídeo do Ano, Artista do Ano e Melhor Fotografia. Concluindo: estava nomeado para oito e arrecadou seis.

De todas as nomeações, Kendrick Lamar apenas não venceu as categorias de Artista do Ano e Melhor Coreografia. Mas foi-lhe entregue o grande prémio da noite: o Vídeo do Ano.

Katy Perry foi a apresentadora de serviço.


Conheça todos os vencedores dos MTV Vídeo Music Awards 2017 que foram entregues a 27 de Agosto, no The Forum, em Inglewood, na Califórnia.

Vídeo do ano: Kendrick Lamar – “HUMBLE.”

Artista do ano: Ed Sheeran

Melhor Artista Revelação: Khalid

Melhor Colaboração: Zayn Taylor Swift – “I Don’t Wanna Live Forever (Fifty Shades Darker)

Melhor Vídeo Pop: Kendrick Lamar – “HUMBLE.”

Melhor Vídeo de Dança: Zedd and Alessia Cara – “Stay”

Melhor Vídeo de Rock: Twenty One Pilots – “Heavydirtysoul”

Melhor Luta Contra o Sistema: todos os nomeados foram honrados

Logic feat. Damian Lemar Hudson – “Black SpiderMan”

The Hamilton Mixtape – “Immigrants (We Get the Job Done)”

Big Sean – “Light”

Alessia Cara – “Scars To Your Beautiful”

Taboo feat. Shailene Woodley – “Stand Up / Stand N Rock #NoDAPL”

John Legend – “Surefire”

Melhor Fotografia: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Scott Cunningham)

Melhor Realização: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Dave Meyers the little homies)

Melhor Direcção de Arte: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Spencer Graves)

Melhores Efeitos Visuais: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” ( Timber/Lead: Jonah Hall)

Melhor Coreografia: Kanye West – “Fade” (Teyana Taylor, Guapo, Jae Blaze Derek ‘Bentley’ Watkins)

Melhor Edição: Young Thug – “Wyclef Jean” (Ryan Staake Eric Degliomini)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Coro Misto da Beira Interior medalhado em Torun

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 30.06.17

Foto de Associação Cultural da Beira Interior.

Coro Misto da Beira Interior conquista 2 Medalhas de Ouro e 2 Medalhas de Prata no concurso Per Musicam ad Astra na cidade de Torun na Polónia. As medalhas de Ouro foram conquistadas nas categorias de Coros Mistos e Música Pop e as de Prata nas categorias de Música Sacra e Música Popular. Foi o vencedor da categoria B1.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aluna da ESART/IPCB, Tânia Trigo, vence concurso em Salzburgo

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 09.06.17

Aluna da ESART/IPCB, Tânia Trigo, vence concurso em Salzburgo 

A violetista Tânia Trigo ganhou o 1° Prémio no International Music Competition “Salzburg” – Grand Prize Virtuoso 2017, categoria sénior.

Aluna da professora Joana Pereira na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Tânia Trigo foi convidada a atuar no Mozarteum, em Salzburgo, a 11 de julho de 2017.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Verão da Casa da Música conta com cerca de 120 concertos, 60 deles gratuitos

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 31.05.17

Image result for Casa da Música

A programação de verão da Casa da Música, que arranca quinta-feira e vai até 16 de setembro, conta com cerca de 120 concertos, metade dos quais de entrada gratuita, e com vários eventos fora do Porto.

Na conferência de imprensa de apresentação da programação do ciclo de verão deste ano, o diretor artístico da Casa da Música, António Jorge Pacheco, disse que a instituição conta receber "120 mil pessoas" para a totalidade dos eventos e sublinhou os "60 concertos de entrada livre" a decorrer no palco interior e exterior do café do espaço.

O Verão na Casa, um "período particularmente intenso da programação" e um ciclo que "marca a agenda cultural da cidade de forma significativa", arranca com "Tablao", um espetáculo de flamenco com Ana Pinhal e Catarina Ferreira, bem como uma atuação da banda brasileira Aláfia, de entrada livre, no primeiro dia do mês de junho.

O ciclo inclui concertos ao ar livre e atuações do pianista Alexander Romanovsky com a Orquestra Sinfónica do Porto (09 de junho) e da soprano Magdalena Anna Hofmann com o mesmo agrupamento (17 de junho), o programa para a noite de São João com a Banda Sinfónica Portuguesa num concerto "aberto à cidade", ou ainda o "Piano Caos", ponto de encontro da música eletrónica e clássica através da exploração das "enésimas possibilidades de composição em suporte tecnológico" que a Digitopia Collective leva a palco a 10 de junho.

De regresso estão os concertos dos agrupamentos associados ao ar livre, em Vila Nova de Gaia (22 de junho) e na Maia (14 de julho), com a Orquestra Sinfónica, e no Porto, na avenida dos Aliados, a 08 de setembro, com o Remix Ensemble a juntar-se aos Mão Morta (depois dos vários concertos que deram juntos no ano passado), antes de um concerto da Orquestra Sinfónica, no dia seguinte.

Na praça Guilhermina Suggia, em Matosinhos, a 29 de julho, a orquestra junta-se ao norte-americano Gregory Porter, colaboração que já tinha acontecido em 2015.

Organizado de dois em dois anos, o Prémio Internacional Guilhermina Suggia vai para a quinta edição e leva à Casa da Música sete alunos de violoncelo de várias escolas europeias, dos quais sairão três finalistas, que tocarão com a Orquestra Sinfónica a 07 de julho antes do anúncio do vencedor.

Ainda integrado na celebração do legado da violoncelista Guilhermina Suggia (1885-1950), o dia seguinte fica marcado pela maratona de estudantes de violoncelo, que nos anos anteriores atraiu mais de 100 jovens praticantes.

O ciclo vai abranger a estreia da Orquestra de Câmara Portuguesa na Casa da Música, a 25 de junho, no ano que assinala o 10.º aniversário do grupo, sob direção musical de Pedro Carneiro, para além do concerto de comemoração do centenário do Conservatório de Música do Porto, no domingo.

No café, ao longo do verão, vão atuar artistas como Ana Deus e Luca Argel (22 de junho), Slimmy (01 de julho), Paraguaii (22 de julho), Demian Cabaud Quarteto (24 de agosto) ou JP Simões (09 de setembro), entre outros.

O serviço educativo da instituição volta a produzir, em conjunto com a Câmara Municipal de Matosinhos, o espetáculo "Romani 2.0", segundo momento de um trabalho teatral entre a comunidade cigana daquele concelho e o Balleteatro, com estreia inicialmente prevista para 18 de junho de 2016, mas então cancelado, estreando-se agora a 20 de junho.

A programação do trimestre inclui ainda nomes como Patxi Andión, que revisita músicas de José Afonso na sexta-feira, Annette Peacock (07 de junho), o vencedor da Eurovisão Salvador Sobral (05 de julho, já esgotado, e 18 de julho) ou Manhattan Transfer (22 de julho), enquanto o II Congresso Europeu de Saxofone (EurSax) decorre de 11 a 14 de julho na Casa, com organização da Associação Portuguesa de Saxofone.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alunos da Academia Premiados em Fátima e Coimbra

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 25.05.17

Foto de Academia de Música e Dança do Fundão.

Dois alunos da Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF) foram este fim-de-semana premiados em concursos de música realizados em Fátima e Coimbra.

Marco Garcia Massano aluno de guitarra na AMDF conquistou o primeiro prémio no escalão B do XII Concurso Nacional de Guitarra do Conservatório de Música e Artes do Centro (Fátima).

Na mesma prova mas no escalão A os alunos Margarida Lourenço, Henrique Carvalho e José Eduardo Pereira conquistaram menções honrosas.

Em Coimbra no XII Concurso de Piano de São Teotónio, a aluna Matilde Carapito da Conceição foi segunda classificada no nível B. Nos escalões C e D a AMDF levou ao concurso os alunos Maria João Pacheco e António Antunes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Salvador Sobral venceu o Festival Eurovisão da Canção e arrebatou a Europa

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 15.05.17

Salvador Sobral venceu o Festival Eurovisão da Canção

O cantor português Salvador Sobral venceu a final do Festival Eurovisão da Canção disputada, em Kiev, na Ucrânia, com a música "Amar pelos dois".

Salvador Sobral conseguiu a pontuação máxima - 758 pontos - na votação combinada dos júris nacionais e do público. A mais alta pontuação de sempre num Festival da Eurovisão.

A final do Festival Eurovisão da Canção foi disputada no Centro Internacional de Exposições de Kiev, na Ucrânia, por 26 países. O vencedor foi decidido pelo voto do público e por um júri profissional de cada um dos países participantes.

Trajeto até à final

Salvador Sobral tinha já emocionado o centro de exposições de Kiev na primeira semifinal. Confirmando o favoritismo que lhe atribuíam as casas de apostas e a imprensa internacional, o cantor português conquistou o apuramento para a final na passada terça-feira.

Também na primeira semifinal, Moldávia, Azerbaijão, Grécia, Suécia, Polónia, Arménia, Austrália, Chipre e Bélgica conquistaram o apuramento para a final. A este grupo juntaram-se dez outros países oriundos da segunda semifinal: Bulgária, Bielorrússia, Croácia, Hungria, Dinamarca, Israel, Roménia, Noruega, Holanda e Áustria.

França, Itália, Reino Unido, Espanha e Alemanha seguiram diretamente para a final, uma vez que são os principais financiadores do concurso. Como país anfitrião, a Ucrânia também beneficiou do apuramento direto.

"Amar pelos dois"
Composta pela irmã Luísa Sobral, a música “Amar pelos dois” rapidamente se distinguiu, somando visualizações e partilhas nas redes sociais. Foi selecionada para representar Portugal no dia 5 de março, dia da final do Festival RTP da Canção.

“Amar pelos dois” marca o regresso de Portugal a uma final do Festival Eurovisão da Canção, o que tinha acontecido pela última vez em 2010. Nesse ano, Filipa Azevedo chegou à final com “Há Dias Assim”, tendo ficado em 18º lugar. Em 2016, Portugal não participou no festival europeu.

Portugal estreou-se no Eurovision Song Contest em 1964, ano em que António Calvário interpretou o tema “Oração”, que não obteve qualquer voto. Em 1996, Portugal alcançou um sexto lugar com a canção “O meu coração não tem cor”, uma música cantada por Lúcia Moniz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bob Dylan vai receber Nobel este fim de semana

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 31.03.17

Bob Dylan vai receber o Nobel da Literatura este fim de semana, avançou a Academia. O músico está na Suécia para três concertos e aproveita a ocasião para encerrar o processo, que dura desde a atribuição do prémio pela academia sueca, à qual o músico demorou vários dias a reagir e a cuja cerimónia, em dezembro, não compareceu.

Segundo a secretária perpétua da Academia Sueca, Sara Danius, escreveu no blogue a cerimónia será privada e sem a presença de comunicação social. Só estarão Bob Dylan e membros da Academia, por desejo do artista.

O cantor norte-americano tem até 10 de junho para reclamar o valor monetário do Nobel da Literatura, que lhe foi atribuído pela Academia Sueca em 2016 e a cuja cerimónia de entrega, em dezembro, decidiu faltar.

"Não tivemos nenhuma conversa telefónica com Bob Dylan nos últimos meses. Dylan está ciente que até 10 de junho deve ser realizada a 'palestra Nobel', de modo a obter o pagamento", escreveu a secretária perpétua da Academia Sueca, Sara Danius, no seu blogue oficial.

O Prémio Nobel da Literatura atribuído a Bob Dylan consiste numa medalha de ouro, um diploma e um cheque de oito milhões de coroas suecas (824 mil euros). A tradição exige que o laureado ofereça um discurso aos seus benfeitores, chamado 'palestra Nobel', não importa em que formato, pode até ser um vídeo ou uma canção. Esta 'palestra' tem que decorrer no espaço de seis meses, a contar do dia em que decorreu a cerimónia de entrega do prémio (10 de dezembro).

Bob Dylan tem dois concertos marcados em Estocolmo, já neste fim de semana, e um outro em Lund, no dia 09.

Aos 75 anos, Bob Dylan foi distinguido com o Nobel da Literatura "por ter criado novas formas de expressão poéticas no quadro da grande tradição da música americana".

Na altura, em outubro do ano passado, o músico e poeta avisou a Academia Sueca de que não estaria presente na cerimónia de entrega do galardão, a 10 de dezembro em Estocolmo, por ter outros compromissos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Prémio Jovens Músicos 2017 - 31ª Edição. Inscrições até 31 MAR.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 15.03.17

Prémio Jovens Músicos 2017 | Regulamento Prémio Jovens Músicos 2017 | Regulamento

Preencha o Formulário de Inscrição disponível em www.rtp.pt até 31 de Março de 2017!

Categorias e Programas para as provas aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alunos da EPABI premiados.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 11.03.17

Foto de Pedro Leitão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Academia Nacional de Artes de Gravação e Ciência dos EUA atribuiu prémios em 84 categorias.

O produtor André Allen Anjos venceu um Grammy de Best Remixed Recording (Melhor Gravação Remisturada), tornando-se assim no primeiro português a ser distinguindo com um destes prémios de música, foi anunciado no domingo.

Os vencedores de algumas das 84 categorias dos prémios atribuídos pela Academia Nacional de Artes de Gravação e Ciência dos Estados Unidos foram divulgados no 'site' oficial dos Grammy.

André Allen Anjos, que em 2005 trocou o Porto pelos Estados Unidos, é um dos vencedores da 59.ª edição dos Grammy, cuja cerimónia decorre em Los Angeles (com início no domingo e continuação já na madrugada de hoje, no horário português), na categoria de Best Remixed Recording com uma 'remix' (remistura) do tema "Tearing me up", de Bob Moses.

"Há dez anos iniciei este projeto no quarto do dormitório [da universidade] e nunca pensei que estaria aqui. Isto é de loucos", afirmou, ao receber o prémio.

O produtor português é um dos fundadores do coletivo RAC (Remix Artist Collective) e esta foi a sua segunda nomeação nos Grammy.

A primeira tinha sido em 2015, na mesma categoria, com uma remistura do tema "Say My Name", uma colaboração da dupla de eletrónica norte-americana Odesza com a inglesa Zyra.

Numa entrevista ao 'site' P3, publicada em 2012, André contou que durante dois anos "tentou vingar na indústria musical em Portugal, mas as suas tentativas nunca deram resultados, pelo menos a curto prazo, por isso não hesitou quando teve a oportunidade de continuar os seus estudos no estrangeiro".

Na altura, recordou que a primeira remistura dos RAC foi do tema "Sleeping Lessons", dos The Shins. Entretanto, no currículo dos RAC estão remisturas de músicas de, entre outros, Yeah Yeah Yeahs, Kings of Leon, Lana del Rey, Two Door Cinema Club, Radiohead e Lady Gaga.

Em 2014, o fadista Carlos do Carmo foi distinguido com um Grammy Latino de Carreira, atribuído pela Academia Latina de Artes de Gravação e Ciência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Grammy: Adele principal vencedora e protesto contra Trump marcaram a gala

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 14.02.17

Grammy: Adele principal vencedora e protesto contra Trump marcaram a gala

Adele foi a principal vencedora dos Grammy 2017, vencendo as três principais categorias da noite: melhor música e gravação, com "Hello", e álbum do ano, com "25".

A cantora inglesa apresentou-se duas vezes: abrindo a cerimónia com a música premiada e numa homenagem a George Michael, com "Fast love". Na segunda parte, enganou-se e pediu para começar a música de novo.

A gala de entrega dos Grammy aconteceu no Staples Center, em Los Angeles, sendo apresentada por James Corden, conhecido pelo número de televisão "Carpool Karaoke". O estreante deu mais leveza e renovou a cerimónia, após cinco anos seguidos comandados por LL Cool J.

No começo da apresentação, Adele, que parecia muito emocionada e fora de tom em alguns versos, pediu para começar de novo e ainda soltou um palavrão. “Sinto muito por começar de novo. Podemos começar de novo? Desculpe, não posso f... tudo por ele" (George Michael), no final foi muito aplaudida.

A principal concorrente de Adele nas principais categorias era Beyoncé, que venceu na categoria de melhor videoclip, por "Formation" e de melhor álbum urbano contemporâneo, por "Lemonade". Beyoncé também cantou um medley de músicas de "Lemonade". A sua filha, Blue Ivy, estragou a intervenção de James Corden , ao entrar em palco quando o apresentador chamou vários artistas para cantar com ele uma versão de "Carpool Karaoke".

David Bowie: vencedor após a morte

David Bowie, falecido no início de 2016, ganhou, de maneira póstuma, os primeiros Grammy da sua carreira.

O cantor ganhou nas categorias de melhor actuação rock, melhor álbum de música alternativa, melhor design de capa de disco (partilhado com o director artístico Jonathan Barnbrook) e melhor álbum de música clássica (em conjunto com Tom Elmhirst, Kevin Killen, Tony Visconti e Joe LaPorta), todos pelo seu último disco, "Blackstar".

Lady Gaga com Metallica e outros concertos

Além do reinício de Adele, outra falha na entrega do Grammy foi o microfone de James Hetfield, dos Metallica. Falhou durante o dueto da banda de heavy metal com Lady Gaga, quando cantaram a música "Moth to the flame", do álbum mais recente do grupo, "Hardwired to self-destruct". James acabou cantando de rosto colado com a cantora para aproveitar o seu microfone durante grande parte do tema.

Katy Perry estreou a música "Chained to the rhythm", com teor político. Bruno Mars, além da apresentação solo, participou no espectáculo dedicado a Prince, a segunda homenagem póstuma da gala. Os Daft Punk regressaram após sete anos de interregno, para mostrar a parceria com The Weeknd, "Starboy". A dupla luso-francesa teve um cenário que lembrava geleiras com um objecto luminoso nas mãos e tocaram em duas mesas de som que mais pareciam comandos de naves.

Apesar de algumas citações a Donald Trump por James Corden, o espectáculo de Tribe Called Quest, Busta Rhymes e Anderson contou com palavras dedicadas a Donal Trump. "Gostaríamos de dizer a todas as pessoas à do mundo que rejeitam quem está no poder a representá-las, nós representamos-vos", disse Q-Tip.

"Só quero agradecer ao 'President Agent Orange' - em referência ao uso de uma herbicida perigosa usada na Guerra do Vietnam - por perpetuar todo o mal que tem perpetuado nos Estados Unidos. Quero agradecer ao 'President Agent Orange' por sua infrutífera tentativa da proibição muçulmana", disse Busta Rhymes, outro cantor que se juntou à banda, em tom irónico.

O grupo, então, atravessou um muro improvisado - em alusão ao que Trump espera construir - antes que pessoas de várias nacionalidades subissem ao palco e formassem uma linha. "Todos os negros devem ir. Todos os mexicanos devem ir", cantou o grupo em tom de protesto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concurso Grande Marcha de Lisboa 2017.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 04.02.17

Foto de EGEAC Cultura Em Lisboa.

Até 22 de Fevereiro, a EGEAC convida todos os autores a compor a letra e a música da Grande Marcha de Lisboa 2017.

Há várias décadas que a canção que se ouve pela cidade durante as Festas de Lisboa é o resultado de um concurso que leva autores e compositores a criar, ano após ano, a música e letra da Grande Marcha de Lisboa.

Para a composição de 2017, a letra deverá, obrigatoriamente, incluir os temas «Lisboa» e ainda «Atlântico, mar de encontros», no âmbito de «Passado e Presente – Lisboa, capital ibero-americana de Cultura».

Além de um prémio de €5.500 (Cinco mil e quinhentos euros), a composição vencedora será interpretada por todas as marchas participantes nas três exibições no Meo Arena e no desfile das Marchas Populares, na noite de 12 de Junho de 2017, na Avenida da Liberdade.

As propostas deverão ser entregues até ao dia 22 de Fevereiro de 2017.

Todas as informações e condições de participação no Concurso da Grande Marcha de Lisboa 2017 devem ser consultadas no regulamento disponível no link abaixo:
condicoes-do-concurso-para-2017

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Boom Festival de Idanha-a-Nova foi distinguido pela quinta vez com o “Outstanding Greener Festival Award”, prémio internacional atribuído a festivais na área da sustentabilidade.

“Há um esforço crescente e uma preocupação da nossa parte para promover a consciencialização através do festival. E este prémio é o resultado de um trabalho árduo desenvolvido por uma equipa constituída por muitas pessoas, de um público fantástico, não esquecendo o apoio logístico que nos tem sido providenciado pelo município de Idanha-a-Nova”, refere, em comunicado, Artur Mendes, da organização do Boom Festival.

O Boom Festival, que decorreu em Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, entre 11 e 18 de agosto de 2016, foi distinguido pela quinta edição consecutiva com o prémio “Outstanding Greener Festival Award”, uma iniciativa internacional que tem como objetivo premiar eventos exemplares para a indústria através das suas práticas de sustentabilidade.

“Esta distinção máxima foi atribuída a apenas dois festivais em todo o mundo, sendo o Boom Festival um deles”, lê-se no documento.

A organização do evento foi ainda convidada a integrar o painel de discussão do “Green Events & Innovations”, uma conferência que decorre no mês de março, em Londres, cujo objetivo é discutir a sustentabilidade na indústria musical e de eventos.

O Boom festival foi distinguido em 2008, 2010, 2012, 2014 e agora em 2016, com o “Outstanding Greener Festival Award”, o prémio mundial mais importante de eventos sustentáveis e o único desta área onde os avaliadores se deslocam ao festival com uma matriz de avaliação extensa e minuciosa.

Foi ainda, a convite da “United Nations Environment Programme” (UNEP), organismo pertencente à ONU, membro da iniciativa “United Nations Music & Environment Stakeholder Initiative”.

Ganhou também o “European Festival Award 2010 – Green’n’Clean Festival” e o “Green Inspiration Award 2012”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Setenta jovens pianistas reúnem-se em Encontro Mundial em Coimbra

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 16.01.17

O Encontro Mundial de Piano em Coimbra vai reunir mais de 70 jovens pianistas de todo o mundo, entre 01 e 07 de fevereiro, num evento onde vão estar presentes algumas das “maiores promessas” do panorama internacional.

O encontro, que teve a sua primeira edição em 2016, vai receber pianistas dos 13 aos 40 anos de países como Japão, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Suíça, Alemanha ou Rússia, contando com algumas das “maiores promessas” da cena internacional, disse à agência Lusa o responsável pelo evento, Manuel Araújo, da Academia Internacional de Música Aquiles Delle Vigne, que organiza o encontro.

“Estarão em Coimbra vários jovens premiados internacionalmente” e formados nos conservatórios de Moscovo, Tóquio ou Calgary, sublinhou.

Dos mais de 70 inscritos no evento, apenas sete jovens pianistas são portugueses, notou Manuel Araújo, frisando que o encontro tem tido bastante procura internacional face à “qualidade dos professores, que são da primeira linha mundial”.

O pianista russo Andrey Pisarev, do Conservatório de Moscovo (Rússia), Gerlinde Otto, da Universidade de Música Franz Liszt Weimar (Alemanha), Angeline Chang, da Universidade de Cleveland (Estados Unidos), e Pasquale Iannone, do Conservatório de Bari, (Itália) são alguns dos professores que participam no encontro.

De acordo com Manuel Araújo, o evento está dividido em três atividades: “aulas, concertos diários e concurso”.

Os finalistas do prémio Franz Liszt do Encontro Mundial vão ser acompanhados pela Orquestra Filarmonia das Beiras, na final do concurso, que vai decorrer a 05 de fevereiro no Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz, onde os jovens terão de interpretar obras do compositor austro-húngaro do século XIX, explanou.

Ao longo do evento, haverá concertos diários no Grande Auditório do Conservatório de Coimbra e um no Centro Cultural Gil Vicente, na vila de Sardoal, Santarém.

No último dia, 07 de fevereiro, serão escolhidos os vencedores, com o concerto de encerramento no Conservatório de Coimbra a ser composto por solos dos seis melhores participantes, referiu Manuel Araújo.

Todos os concertos são de entrada gratuita, com exceção da final do prémio Franz Liszt, na Figueira da Foz.

In: Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Conhecidos os nomeados para os Globos de Ouro

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 20.12.16

Conhecidos os nomeados para os Globos de Ouro

Já são conhecidos os nomeados para os Globos de Ouro, bem como o seu apresentador que será Jimmy Fallon

O musical “La La Land” parece ser o grande favorito das nomeações para a edição dos 74º Globos de Ouro, pela Hollywood Foreign Press Association.

Ao todo o filme de Damien Chazelle conquistou sete nomeações, incluindo a de melhor fotografia, melhor realizador e melhor actriz e a tor para os protagonistas Ryan Gosling e Emma Stone, respectivamente.

Também os filmes “Manchester By The Sea” e “Moonlight” estão nomeados para o melhor drama, juntamente com “Hacksaw Ridge”, “Hell or Highwater” e “Lion”.

Nomeadas para as melhores séries na categoria de drama, entre as várias, está a “Guerra dos Tronos” e “The Crown”.

Na gala que terá lugar a 08 de Janeiro, apresentada por Jimmy Fallon, o destaque vai também para Meryl Streep que irá receber o prémio “Cecil B DeMille”. Uma distinção que premeia a sua carreira de actriz.

Segue a lista completa dos nomeados:

Melhor drama:
Hacksaw Ridge
Hell or High Water
Lion
Manchester by the Sea
Moonlight

Melhor actor para filme de drama:
Casey Affleck, Manchester by the Sea
Joel Edgerton, Loving
Andrew Garfield, Hacksaw Ridge
Viggo Mortensen, Captain Fantastic
Denzel Washington, Fences

Melhor actriz para filme de drama:

Amy Adams, Arrival
Jessica Chastain, Miss Sloane
Isabelle Huppert, Elle
Ruth Negga, Loving
Natalie Portman, Jackie

Melhor actor em comédia / músical:

Colin Farrell, The Lobster
Ryan Gosling, La La Land
Hugh Grant, Florence Foster Jenkins
Jonah Hill, War Dogs
Ryan Reynolds, Deadpool

Melhor actriz em comédia / músical:

Annette Bening, 20th Century Women

Lily Collins, Rules Don't Apply

Hailee Steinfeld, Edge of Seventeen

Emma Stone, La La Land

Meryl Streep, Florence Foster Jenkins


Melhor actor secundário:

Mahershala Ali, Moonlight

Jeff Bridges, Hell or High Water

Simon Helberg, Florence Foster Jenkins

Dev Patel, Lion

Aaron Taylor Johnson, Nocturnal Animals


Melhor actriz secundária:

Viola Davis, Fences

Naomie Harris, Moonlight

Nicole Kidman, Lion

Octavia Spencer, Hidden Figures

Michelle Williams, Manchester by the Sea

Melhor realizador:

Damien Chazelle, La La Land

Tom Ford, Nocturnal Animals

Mel Gibson, Hacksaw Ridge

Barry Jenkins, Moonlight

Kenneth Lonergan, Manchester by the Sea


Melhor argumento:

Damien Chazelle, La La Land

Tom Ford, Nocturnal Animals

Barry Jenkins, Moonlight

Kenneth Lonergan, Manchester by the Sea

Taylor Sheridan, Hell or High Water


Melhor animação:

Kubo and the Two Strings

Moana

My Life as a Zucchini

Sing

Zootopia


Melhor filme estrangeiro:

Divines

Elle

Neruda

The Salesman

Toni Erdmann


Melhor banda sonora:

Moonlight, Nicholas Brittell
La La Land, Justin Hurwitz

Arrival, Jóhann Jóhannsson

Lion, Dustin O'Halloran Hauschka

Hidden Figures, Benjamin Wallfisch, Pharrell Williams and Hans Zimmer


Melhor música:

Can't Stop the Feeling, Trolls

City of Stars, La La Land

Faith, Sing Gold from Gold

How Far I'll Go, Moana


Melhor série de drama:

The Crown (Netflix)

Game of Thrones (HBO)

Stranger Things (Netflix)

This Is Us (NBC)
Westworld (HBO)


Melhor comédia ou série musical:

Atlanta (FX)
Black-ish (ABC)

Mozart in the Jungle (Amazon)

Transparent (Amazon)

Veep (HBO)


Melhor filme ou mini série para televisão:

American Crime (ABC)

The Dresser (Starz)

The Night Manager (AMC)

The Night Of (HBO)

The People v. OJ Simpson: American Crime Story (FX)


Melhor actor para série de drama:

RamiMalek (Mr. Robot)

Bob Odenkirk (Better Call Saul)

Matthew Rhys (The Americans)

LievSchreiber (Ray Donovan)

Billy Bob Thornton (Goliath)


Melhor actriz para série de drama:

Caitriona Balfe (Outlander)

Claire Foy (The Crown)

Keri Russell (The Americans)

Winona Ryder (Stranger Things)

Evan Rachel Wood (Westworld)


Melhor actor em série de comédia:

Anthony Anderson (Black-ish)

Gael Garcia Bernal (Mozart in the Jungle)

Donald Glover (Atlanta)

Nick Nolte (Graves)

Jeffrey Tambor (Transparent)


Melhor actor em série de comédia:

Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)

Julia Louis-Dreyfus (Veep)

Sarah Jessica Parker (Divorce)

Issa Rae (Insecure)

Gina Rodriguez (Jane the Virgin)

Tracee Ellis Ross (Black-ish)

 

Melhor ator em filme ou mini série para televisão:

Riz Ahmed (The Night Of)

Bryan Cranston (All the Way)

Tom Hiddleston (The Night Manager)

John Turturro (The Night Of)

Courtney B. Vance (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)


Melhor actriz em filme ou mini série para televisão:

Felicity Huffman (American Crime)

Riley Keough (The Girlfriend Experience)

Sarah Paulson (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

Charlotte Rampling (London Spy)

Kerry Washington (Confirmation)


Melhor actor secundário em série, filme para televisão ou mini série:

Sterling K. Brown (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)

Hugh Laurie (The Night Manager)

John Lithgow (The Crown)

Christian Slater (Mr. Robot)

John Travolta (The People v. O.J. Simpson: American Crime Story)


Melhor actriz secundária em série, filme para televisão ou mini série:

Olivia Colman (The Night Manager)

Lena Heady (Game of Thrones)

Chrissy Metz (This Is Us)

Mandy Moore (This Is Us)

Thandie Newton (Westworld)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rock na Vila de Rei entre os principais Festivais da Península Ibérica

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 14.12.16

Rock na Vila de Rei entre os principais Festivais da Península Ibérica

O Festival Rock na Vila volta a estar em destaque na segunda edição dos Iberian Festival Awards, iniciativa que pretende distinguir os melhores festivais de música de Portugal e Espanha.

Promovidos e regulados pelos Festival Awards, Ltd, a iniciativa pretende premiar e reconhecer várias vertentes da realização de festivais de música em Portugal e Espanha e criar sinergias para que estes prémios sejam igualmente um chamariz para toda a indústria musical do ponto de vista ibérico.

O Festival Rock na Vila é um dos festivais em evidência nesta segunda edição dos Iberian Festival Awards, encontrando-se nomeado nas categorias de “Best Medium Size Festival”, “Best Touristic Promotion” e “Best Camping Site”.

O público irá definir o vencedor de 10 das 19 categorias de prémios. Pode-se votar no Festival Rock na Vila em https://pt.surveymonkey.com/r/VJJY7DL e as votações vão estar abertas até ao dia 22 de janeiro.

A entrega de prémios ocorrerá no dia 16 de março, durante o Talkfest – International Music Festivals Forum, no Museu de Arte Contemporânea de Barcelona.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Saiba quem são os nomeados aos Grammy 2016

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 09.12.16

Image result for 59 Grammy awards

Duelo entre Beyoncé e Adele. Revelados os nomeados para as quatro principais categorias, as duas artistas têm três nomeações.

Meghan Trainor, vencedora do Grammy para Artista Revelação em 2015, anunciou os nomeados das principais categorias da 59.ª edição dos Grammys. Ao vivo, na CBS, recordou a sua vitória no ano passado como Artista Revelação. Uma categoria que não quis comentar: "Não é justo, conheço estas pessoas todas". E sobre o possível vencedor, que será revelado na 59.ª Gala dos Grammy, a 12 de fevereiro no Staples Centre em Los Angeles, a cantora confessou-se incapaz de fazer uma previsão.

Apesar de ausente das principais categorias, Blackstar, de David Bowie, o último trabalho do artista, lançado dias antes da sua morte, aparece nomeado por três vezes: Melhor Canção Rock, Melhor Performance Rock e Melhor Álbum de Música Alternativa. Mas poderá ainda surgir numa das 84 categorias deste prémio.

Canção do Ano

Formation - Beyoncé

Hello - Adele

I Took a Pill in Ibiza - Mike Posner

Love Yourself - Justin Bieber

7 Years - Lukas Graham

Álbum do ano

25 - Adele

Lemonade - Beyoncé

Views - Drake

Purpose - Justin Bieber

A Sailor's Guide To Earth - Sturgill Simpson

Gravação do Ano

Hello - Adele

Formation - Beyoncé

7 Years - Lukas Graham

Work - Rhianna Featuring Drake

Stressed Out - Twenty One Pilots

Artista Revelação

Kelsea Ballerini

The Chainsmokers

Chance The Rapper

Maren Morris

Anderson Paak

Melhor Performance a solo

Hello - Adele

Hold Up - Beyoncé

Love Yourself - Justin Bieber

Piece By Piece (Idol Version) - Kelly Clarkson

Dangerous Woman - Ariana Grande

Melhor Performance Pop Dueto/Grupo

Closer - The Chainsmoker

7 Years - Lukas Graham

Work - Rhianna Featuring Drake

Cheap Thrills - Sia Featuring Sean Paul

Stressed Out - Twenty One Pilots

Melhor Álbum Vocal Tradicional

Cinema - Andrea Bocelli

Fallen Angels - Bob Dylan

Stages Live - Josh Groban

Summertime: Willie Nelson Sings Gershwin - Willie Nelson

Encore: Movie Partners Sing Broadway - Barbra Streisand

Melhor Álbum Vocal Pop

25 - Adele

Purpose - Justin Bieber

Dangerous Woman - Ariana Grande

Confident - Demi Lovato

This Is Acting - Sia

Melhor Álbum Dance/Eletrónica

Skin - Flume

Electronica 1: The Time Machine - Jean-Michel Jarre

Epoch - Tycho

Barbara Barbara, We Face A Shining Future - Underworld

Louie Vega Starring...XXVIII - Louie Vega

Melhor Perfomance Rock

Joe (Live From Austin City Limits) - Alabama Shakes

Don't Hurt Yourself - Beyoncé Featuring Jack White

Blackstar - David Bowie

The Sound Of Silence (Live On Conan) - Disturbed

Heathens - Twenty One Pilots

Track from: Suicide Squad: The Album 

Melhor Performance Metal

Shock Me - Baroness

Silvera - Gojira

Rotting In Vain - Korn

Dystopia - Megadeth

The Price Is Wrong - Periphery

Melhor Canção Rock

Blackstar - David Bowie, songwriter (David Bowie)

Burn The Witch - Radiohead

Hardwired - James Hetfield & Lars Ulrich, songwriters (Metallica)

Heathens - Tyler Joseph, songwriter (Twenty One Pilots)

My Name Is Human - Rich Meyer, Ryan Meyer & Johnny Stevens, songwriters (Highly Suspect)

Melhor Álbum Rock

California - Blink-182

Tell Me I'm Pretty - Cage The Elephant

Magma - Gojira

Death Of A Bachelor - Panic! At The Disco

Weezer - Weezer

Melhor Álbum de Música Alternativa

22, A Million - Bon Iver

Blackstar - David Bowie

The Hope Six Demolition Project - PJ Harvey

Post Pop Depression - Iggy Pop

A Moon Shaped Pool - Radiohead

Confira a lista dos nomeados nas 84 categorias

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio