Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

“Fado Solidário” - SCMF. 23 OUT, 21h30, Fundão.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 20.09.17

Fado Solidário

A Santa Casa da Misericórdia do Fundão (SCMF) realiza no dia 23 de setembro às 21.30 horas, na Quinta Pedagógica do Fundão,uma noite de fado com a artista Raquel Peters.
O espetáculo iniciar-se-á com a apresentação da orquestra da Academia de Música e Dança do Fundão (AMDF). Seguir-se-á a atuação da jovem fadista Raquel Peters.
O espetáculo “Fado Solidário” visa angariar apoios para a renovação do mobiliário no lar da Misericórdia.
Os interessados em assistir à noite de Fado Solidário deverão adquirir o bilhete ao “preço simbólico de 7,5 euros” na secretaria da SCMF, na AMDF e no Posto de Turismo do Fundão.
O espetáculo promovido em parceria com Santa Casa da Misericórdia de Albufeira tem a colaboração do Município do Fundão e da União de Freguesias do Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo.

# Raquel Peters é uma fadista portuguesa natural de Albufeira, tem várias participações em espetáculos e discos. Do percurso da jovem fadista destaque-se o primeiro prémio na Grande Noite do Fado de Lisboa (2005), organizada pela Casa da Imprensa ou a participação no disco “Divas do Fado Novo” ao lado de nomes como Ana Moura, Kátia Guerreiro e Cristina Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Salvador Sobral faz pausa na música para “entregar o corpo à ciência”

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 08.09.17

 

O vencedor do último festival Eurovisão da canção anunciou que vai fazer uma pausa na música devido à sua “saúde frágil” e diz ter chegado a altura de “entregar o corpo à ciência”.

Um vídeo publicado no YouTube por Salvador Sobral poderia fazer prever o lançamento de um novo êxito musical que poria todos os portugueses a amar pelos dois outra vez.

“Hello, até já” é assim que se chama o vídeo e nele o músico explica que, em vez de lançar uma música, vai fazer uma pausa na carreira. “Já não é segredo para ninguém que a minha saúde é frágil”, começa por dizer.

Salvador, conta, vai entregar o corpo à ciência” e, por isso, fazer uma pausa na música “e nos concertos em geral”.

Além de agradecer aos fãs por todo o apoio, o irmão de Luísa Sobral promete voltar “em breve”, apesar de “não saber quão em breve”, e pede que respeitem a sua privacidade e a da sua família, não deixando de fazer uma crítica aos “meios de comunicação social que dizem que tenho três meses de vida”.

O último concerto de Salvador Sobral, antes de abandonar, por agora, os palcos é hoje, sexta-feira, às 21h30, na FIC – a Feira Internacional de Cultura -, nos Jardins do Casino Estoril e o cantor avança que “vai ser bonito e especial. É uma despedida temporária“.

No final do vídeo, para não fazer a desfeita aos fãs que gostam mesmo é de o ouvir cantar, Salvador despede-se ao piano com um excerto da “melhor banda do mundo”, como o próprio classifica – Os Beatles – e assim justifica o título do vídeo “Hello, até já”, já que a música interpretada se chama “Hello, Goodbye”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pedro Abrunhosa e Teresa Salgueiro no TMG

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 06.09.17

Concertos de Pedro Abrunhosa e de Teresa Salgueiro, além do Festival Internacional One Man Band, destacam-se na programação do Teatro Municipal da Guarda (TMG) para os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.

O Festival Internacional One Man Band, que coloca em palco músicos que tocam vários instrumentos, vai decorrer nos dias 22 e 23 de setembro, a partir das 22:00, no café concerto do TMG.

No dia 22, uma sexta-feira, atuam Thee Rag N Bone (Escócia), Casuar (Portugal) e Edith Crash (França/Estados Unidos da América) e no dia seguinte, um sábado, Belly Hole Freak (Itália), O Gajo (Portugal) e Dollar Bill (Inglaterra).

Na música, destaque para concertos do sueco Jay-Jay Johanson (dia 13 de outubro), Teresa Salgueiro (28 outubro) e Pedro Abrunhosa & Comité Caviar (27 novembro).

Ainda na música, o público da cidade tem oportunidade de assistir a concertos de Talabarte (14 setembro), 10 000 Russos (15), Louisa Lyne & Yiddishe Kapelye (07 outubro), Trouble Trash (20), Cabeça de Peixe (26), Click (27), Norton (03 novembro), Odaiko & Vanesa Muela (17), Sean Riley & The Slowriders (02 dezembro), entre outros.

O TMG recebe também o espetáculo de contos e música intitulado "Contos e trovões, rezas e galináceos", da Calafrio - Associação Cultural (09 setembro).

No teatro, realce para as peças "Rua da Alegria" pelo Teatro das Beiras (21 outubro), "Jardim Zoológico de Vidro" pelos Artistas Unidos (04 novembro), "Poetas & Etcetera" pelo Aquilo Teatro (09 e 10 de novembro) e "O homem que não tinha inimigos e outras fábulas fantásticas" pelo Teatro do Calafrio (13 a 16 de dezembro).

A galeria de arte do Teatro da Guarda recebe as exposições "Escura", de Adriana Molder, entre 07 de outubro e 26 de novembro, e de fotografia "Transversalidades", organizada pelo Centro de Estudos Ibéricos (02 de dezembro a 28 de janeiro).

O programador do TMG, Victor Afonso, disse que a programação para os últimos quatro meses do ano inclui 62 sessões, com artistas de oito nacionalidades.

O responsável anunciou também que aquele equipamento vai ter em breve uma nova página na internet e uma nova bilheteira 'online'.

Victor Afonso disse ainda que nos últimos quatro anos (entre 2013 e julho de 2017) a programação do TMG incluiu 794 atividades e teve um total de 102.574 espetadores.

"Parece-me um balanço positivo", assumiu.

O vereador da Cultura da Câmara Municipal da Guarda, Victor Amaral, disse que a programação do TMG para os últimos meses do ano continua a ser "global" e "cada vez mais plural e abrangente", indo ao encontro "de todos os públicos".

Quanto ao balanço dos últimos quatro anos de atividade, referiu que "atesta a aposta política" que o atual executivo fez no equipamento cultural que considera "âncora" e uma referência nacional e internacional.

In: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Madonna confirma que está a viver em Lisboa

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 04.09.17

É oficial: Madonna está mesmo a viver em Lisboa. Apesar de já não haver muitas dúvidas da presença da superestrela na capital, a cantora confirmou este sábado através da publicação de uma fotografia no Instagram que está a viver em Portugal.

«Antes era um caso perdido, mas agora vivo em Lisboa», escreveu a cantora norte-americana na legenda da fotografia de uma cozinha onde estão pendurados cestos de palha.

Ainda não se sabe qual a nova morada da cantora, mas tem sido avançado pela imprensa que estará hospedada temporariamente num hotel em Alcântara antes de se mudar para uma quinta comprada em Sintra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Salvador Sobral cancela concertos devido a questões de saúde

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 31.08.17

O músico português cancelou três concertos "para controlo da sua condição de saúde"

Salvador Sobral cancelou três concertos devido a indicação médica. O músico português emitiu um comunicado no Facebook, em que explicava que terá de parar a sua atividade por alguns dias "para controlo da sua condição de saúde".

O cantor só deverá regressar aos palcos no dia 8 de setembro, no Festival Internacional de Cultura de Cascais.

Desta forma, ficam sem efeito os concertos agendados para o Festival F, em Faro, nos dias 31 de agosto e 01 de setembro, além do concerto em Anadia, no dia 02 de setembro, para o qual será anunciada uma nova data brevemente.

No comunicado o músico agradece ainda a compreensão do público e dos parceiros dos respetivos espetáculos.

Recorde-se que Salvador Sobral, vencedor do Festival da Eurovisão, assumiu sofrer de graves problemas de coração.

Autoria e outros dados (tags, etc)

MTV Vídeo Music Awards 2017: Kendrick Lamar ganhou em quase todas as categorias para que estava nomeado 

O rapper norte-americano foi o cantor com mais nomeações na edição 2017 dos prémios da MTV, incluindo as categorias de Vídeo do Ano, Artista do Ano e Melhor Fotografia. Concluindo: estava nomeado para oito e arrecadou seis.

De todas as nomeações, Kendrick Lamar apenas não venceu as categorias de Artista do Ano e Melhor Coreografia. Mas foi-lhe entregue o grande prémio da noite: o Vídeo do Ano.

Katy Perry foi a apresentadora de serviço.


Conheça todos os vencedores dos MTV Vídeo Music Awards 2017 que foram entregues a 27 de Agosto, no The Forum, em Inglewood, na Califórnia.

Vídeo do ano: Kendrick Lamar – “HUMBLE.”

Artista do ano: Ed Sheeran

Melhor Artista Revelação: Khalid

Melhor Colaboração: Zayn Taylor Swift – “I Don’t Wanna Live Forever (Fifty Shades Darker)

Melhor Vídeo Pop: Kendrick Lamar – “HUMBLE.”

Melhor Vídeo de Dança: Zedd and Alessia Cara – “Stay”

Melhor Vídeo de Rock: Twenty One Pilots – “Heavydirtysoul”

Melhor Luta Contra o Sistema: todos os nomeados foram honrados

Logic feat. Damian Lemar Hudson – “Black SpiderMan”

The Hamilton Mixtape – “Immigrants (We Get the Job Done)”

Big Sean – “Light”

Alessia Cara – “Scars To Your Beautiful”

Taboo feat. Shailene Woodley – “Stand Up / Stand N Rock #NoDAPL”

John Legend – “Surefire”

Melhor Fotografia: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Scott Cunningham)

Melhor Realização: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Dave Meyers the little homies)

Melhor Direcção de Arte: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” (Spencer Graves)

Melhores Efeitos Visuais: Kendrick Lamar – “HUMBLE.” ( Timber/Lead: Jonah Hall)

Melhor Coreografia: Kanye West – “Fade” (Teyana Taylor, Guapo, Jae Blaze Derek ‘Bentley’ Watkins)

Melhor Edição: Young Thug – “Wyclef Jean” (Ryan Staake Eric Degliomini)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Concerto de Rodrigo Pinheiro na Moagem. 1 SET, 21h30.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 29.08.17

Foto de Município do Fundão.

A Moagem – Cidade do Engenho e das Artes, no Fundão recebe no próximo dia 1, sexta-feira, às 21:30h, o concerto a solo do pianista Rodrigo Pinheiro.
Este concerto, com entrada gratuita, será o resultado de uma residência que o pianista irá realizar, de 28 de agosto a 1 de setembro, na Moagem e cujo objetivo é a gravação do seu primeiro disco a solo.
Rodrigo Pinheiro nasceu na Covilhã em 1973, começou a estudar piano aos 5 anos no Conservatório de Música da Covilhã e mais tarde no Conservatório de Música de Lisboa. Partindo de “uma abordagem intuitiva à improvisação e exploração tímbrica do piano na sua abordagem mais clássica e pela utilização de técnicas extensivas, a sua música caracteriza-se pela energia, polirritmia e contrastes, tendo para isso contribuído os vários workshops de improvisação e composição em que participou com músicos como Carlos Zíngaro, Peter Kowald, Gunther Muller e Patrick Brennan”.
Em 2010, juntamente com Hernâni Faustino e Gabriel Ferrandini, formou o *RED* trio, que tem sido o seu principal projeto nos últimos anos, com oito álbuns editados em editoras como a Clean Feed e Nobusiness Records. É, também, membro do quarteto *Clocks & Clouds*.
Tocou com músicos como Hernâni Faustino, Gabriel Ferrandini, Per Anders Nilsson, John Zorn, Nobuyasu Furuya, Nate Wooley, John Butcher, Lotte Anker, Joe McPhee, Keir Neuringer, Rodrigo Amado, Ernesto Rodrigues, José Oliveira, Nuno Torres, Ricardo Jacinto, Blaise Siwula, Nuno Rebelo, Jason Stein, Hiroshi Kobayashi, Cristin Wilboltz, Pedro Sousa, Albert Cirera, Gerard Lebik, Piotr Damasiewicz, João Camões, Miguel Mira, Luís Vicente, Marco Franco, entre muitos outros.

Tem tocado e gravado em países como Portugal, Estados Unidos da América, Holanda, Alemanha, Áustria, Polónia, Noruega, Sérvia, Roménia, Lituânia e Rússia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Brasileira resgata música dos conventos do Porto

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 28.08.17

Há quinze anos que a cantora lírica Rosana Orsini segue os passos de compositores dos séculos XVII/XVIII para melhor interpretar as suas partituras. Uma viagem que a trouxe para Portugal, em 2007.

Filha de um engenheiro civil que nem ouvia música, Rosana Orsini começou a ter aulas de piano aos 4 anos, em Vitória, no Brasil, onde nasceu. "Fazia parte de uma boa educação no Brasil, naquela época, que os filhos estudassem algo de música", explica. Mas para ela foi mais forte do que isso. "Dizem que a música é uma vocação como a religiosa, é um chamado a que a gente não consegue fugir."

"Quando quis seguir [os estudos em música], o meu pai entrou em desespero. Demorou um pouquinho, mas depois ele acabou por perceber e aceitar bem." Licenciou-se em música na Universidade de Minas Gerais, no Brasil, de onde saiu com 22 anos, para ir fazer um mestrado em canto lírico em Nova Iorque, na Manhattan School of Music. Aí juntou dois dos seus grandes interesses: música e história. "Durante o mestrado, comecei a apaixonar-me por determinados compositores do século XVIII e queria conhecer os seus percursos. Dentro da minha conceção, só ia conseguir cantar bem determinado compositor se conhecesse o lugar onde ele nasceu, a casa dele, a rua onde andava, a igreja e o teatro onde trabalhava." Foi por isso que em 2004 rumou à Áustria, a Salzburgo, onde frequentou a Mozarteum Summer Academy para percorrer os caminhos de Mozart (1756-1791) e no ano seguinte a Londres, para fazer uma pós-graduação na Royal Academy of Music, seguindo os passos de Händel (1685-1759) e Purcell (1659-1695).

Foi por essa altura também que descobriu uma série de teatros históricos de Minas Gerais, no Brasil do século XVIII. "Isso me fascinava. Como é que numa colónia e numa região de mineração, onde a ideia era mesmo tirar o ouro e trazer para Portugal, foram fundados esses teatros, quem cantava lá, quem assistia?" Para dar resposta a tantas questões, Rosana Orsini decidiu fazer um doutoramento sobre teatros de ópera na América portuguesa. "Comecei na Sorbonne, em Paris, e quando lá estava apercebi-me de que precisava da fonte. Não podia estar a falar da América portuguesa sem conhecer Portugal." Adivinha-se o passo seguinte.

"Em 2007 consegui uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para estudar um ano em Lisboa." Antes, e para conhecer a cidade, planeou uns dias de férias. "Viemos uma semana e me apaixonei. Vim passar férias e nunca mais sai daqui." O plural surge porque nesta data já partilha o interesse com o marido, o organista italiano Marco Brescia. Ainda antes de terminar o doutoramento, em 2011 conhece a sua "grande paixão" quando o maestro brasileiro Ricardo Bernardes a convidou para fazer um concerto. "Deu-me uma partitura absolutamente maravilhosa, muito difícil de cantar, de António da Silva Leite. Perguntei-lhe quem era e se tinha mais músicas." E tinha. Rosana descobriu mais de cem obras do compositor na Biblioteca Nacional, muitas delas escritas para conventos como o de Santa Clara, no Porto, já extinto. Em 2012, mudou-se para a cidade Invicta onde investigou obras desse compositor e outros seus contemporâneos, que escreveram obras por encomenda dos conventos do Porto. O álbum Angels and Mermaids, gravado em 2016, com partituras que pertenciam ao Mosteiro de São Bento de Avé-Maria (atual Estação de São Bento) e do Convento de Santa Clara, resulta dessa investigação.

"Quando me convidam para tocar fora, ofereço dois ou três reportórios, mas coloco sempre o português em primeiro porque acho que tenho um tesouro nas mãos. É um tesouro que quero mostrar ao mundo." A 9 de setembro será partilhado com os espectadores do Festival Espazos Sonoros, em Pontevedra, e a 20 de outubro com o público português, no Ciclo de Concertos de Órgão, no Mosteiro de Santo Tirso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O novo álbum dos portugueses Moonspell, "1755", numa relação com o terramoto, a ser editado a 03 de novembro, é totalmente cantado em português e tem o fadista Paulo Bragança como convidado, disse à Lusa o vocalista Fernando Ribeiro.

Gravar um álbum totalmente cantado em português, ao fim de 25 anos de carreira, "foi uma decisão artística, como tudo nos Moonspell". "A razão foi extremamente simples. O disco liricamente é sobre Lisboa, sobre o que aconteceu na cidade [o terramoto de 1755] e sobre o que aconteceu em Portugal. Utilizamos não só expressões idiomáticas portuguesas, como muitas vezes dizemos Lisboa e Portugal e não queríamos dizer isso em inglês", explicou Fernando Ribeiro em declarações à Lusa.

Nas letras há muitos "nomes e coisas de cá, tipicamente portuguesas", daí a banda recorrer, "pela primeira vez, de forma absoluta, ao português como língua para um disco". "Na nossa cabeça faz todo o sentido", disse.

O disco sai em novembro e o primeiro 'single', assim como o respetivo vídeo, deverá ser divulgado em setembro.

In: Lusa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vodafone Paredes de Coura'17. 16 a 19 AGO.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 14.08.17

Image result for vodafone paredes de coura 2017

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Tais Quais" no Festival Cale & Sangriagosto. 13 AGO, 22h, Fundão.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 09.08.17

 Image result for tais e quais

O evento insere-se no Festival Cale & Sangriagosto no dia 13 de Agosto, pelas 22H, no Largo do Calvário, concerto dos "Tais Quais".

O Alentejo ocupa a grande espaço do reportório deste grupo formado por João Gil, Vitorino, Tim, Vicente Palma, Celina da Piedade, Paulo Ribeiro e Sebastião. As violas o acordeão, a percussão, quem sabe uma viola campaniça e um coro de arrepiar. Mas, pelo meio, há também Jorge Serafim, conhecido contador de histórias, que aqui aparece como o anfitrião de um lugar ficcional chamado "A Venda do Isaías", e que partilha as suas pérolas de sabedoria desfiando histórias, anedotas, contos populares.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bruno Borralhinho grava novo trabalho este ano.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 03.08.17

Rádio Cova da Beira

Bruno Borralhinho vai regressar a estúdio ainda este ano para gravar um novo CD para violoncelo e piano. O violoncelista covilhanense, radicado na Alemanha há mais de uma década, regressou à sua cidade natal para um colóquio sobre a sua vida e obra que decorreu no salão nobre dos paços do concelho.

Para além da sua atividade profissional dividida entre a orquestra de Dresden, o “Ensemble Mediterrain” e a direcção de orquestra, Bruno Borralhinho está actualmente a terminar o doutoramento em gestão cultural e prepara-se para gravar um novo trabalho que deve chegar aos escaparates em 2018 “entre Outubro e Novembro vou regressar a estúdio para gravar um novo trabalho que deve estar pronto no próximo ano. É um CD para violoncelo e piano, com um reportório de compositores alemães. É uma experiência nova porque até agora só gravei compositores portugueses e nesse aspecto tenho a consciência tranquila porque tenho a minha missão cumprida de divulgar a música portuguesa lá fora”.   
O violoncelista covilhanense espera também poder deslocar-se à Covilhã para apresentar este novo trabalho, talvez até no novo palco do teatro municipal “será um prazer enorme poder voltar a tocar naquela sala; toquei muitas vezes ainda no teatro actual e acredito que a sua requalificação vai ser um grande momento para a Covilhã. A cidade precisa efectivamente de uma casa das artes e da cultura que possa reunir as pessoas e servir de ponto de encontro aos vários tipos de arte”.  
Uma conferência em que Bruno Borralhinho enalteceu o trabalho desenvolvido por várias instituições sediadas na Covilhã na área da música, o que tem permitido que cada vez mais jovens Portugueses se evidenciem em todo o mundo “muitas vezes tenho amigos que me perguntam o que se passa na Covilhã para existirem tantos músicos e tão bons. É quase um fenómeno. Penso que isso resulta do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo de vários anos por instituições como a Epabi, a Acbi ou o Conservatório e que trabalham muito bem”. 
Jorge Torrão, vereador com o pelouro da cultura na câmara da Covilhã, destaca a enorme qualidade que Bruno Borralhinho tem evidenciado ao longo da sua carreira e não será possível, no futuro, escrever a história da cultura da Covilhã sem citar o seu nome “os políticos passam, a vida na política é efémera mas a vida dos artistas vai marcar todo o sempre. Acredito que o Bruno vai ser reconhecido pela sua importância nas artes e na cultura como uma das figuras da história da Covilhã”.
O autarca refere que, mais ou cedo ou mais tarde, o violoncelista vai ser distinguido com a medalha de mérito cultural da Covilhã pelo contributo que tem dado à divulgação do nome do concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

MEO Sudoeste. Começa hoje!

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 01.08.17

Foto de MEO Sudoeste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bruno Borralhinho - Percurso e Carreira. 31 JUL, 21h00, Covilhã

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 31.07.17

.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Filarmónica Recreativa Cortense

Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!


Contatos

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *


Morada

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã


Endereço eletrónico

filarmonicacortense@iol.pt

Deixe a sua mensagem: