Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio


Cortes do Meio, Concelho da Covilhã, Distrito de Castelo Branco

.

"Sons à Sexta" com Valter Lobo. 16 FEV, 22h30, A Moagem.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 15.02.18

Foto de Sons à Sexta.

Em parceria com a Antena 3, o SONS À SEXTA apresenta as bandas em destaque no atual panorama musical português. Com uma programação diversificada e para todos os gostos, pretende-se a divulgação, o convívio entre o público e a celebração da música!

Próximos em palco:
VALTER LOBO

Valter Lobo é um "cantautor" e advogado nortenho que se deu a conhecer apresentando ao mundo um conjunto de cinco canções que perfizeram o “Inverno Ep” em 2012, trabalho muito bem recebido pelos media e público da nova música portuguesa. Em 2016 apresentou-nos o seu primeiro álbum, uma viagem para o “Mediterrâneo”, onde faz uma reaproximação ao calor humano e ao mar, despido de materialismos e procurando sobreviver com os bens essenci...ais... São nove temas originais compilados num trabalho conceptual e demasiado genuíno.
Deste novo trabalho, a Antena 3 já apostou em três temas: “Fora do Coração”; “Oeste” e “Mediterrâneo” que têm passado com regularidade.
Os concertos são de grande intimidade com o público tal como as canções que, com o português em punho, nos trazem uma sonoridade intensa armada de uma componente lírica muito rica que lhe são próprias e que o sugerem como um artista genuíno e um nome a seguir quando nos referimos aos novos grandes valores da música portuguesa.

Dia 16 de Fevereiro pelas 22h30m o Sons à Sexta promete provar que as notas e letras da música portuguesa estão de boa saúde com Valter Lobo no palco d´A Moagem.

Bilheteira:
A Moagem - Cidade do Engenho e das Artes, Fundão.
+Inf. 96 194 12 81 - 275 773 032

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Xana Toc Toc - Na Selva. 27 JAN, 17h30, Cine Teatro Avenida.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 25.01.18

Na sua avioneta, na sua Biclinha Buzina ou no seu Trolipop, Xana Toc Toc tem vindo a conquistar cada vez mais corações com as suas aventuras na Ilha dos Sonhos. Xana já nos abriu as portas da sua casinha e do seu ateliê, já nos apresentou a Quinta Toc Toc e já nos levou à Aldeia Colorida. Este ano, Xana Toc Toc chega à selva e convida-nos para cantar e dançar com ela de pé descalço na terra, respirando o ar puro da natureza e ouvindo pássaros exóticos que se refrescam na água da cascata. E chega com uma missão! Um pedido de ajuda que recebeu bem cedinho, certa manhã, onde, numa carta tristonha, um novo amigo desabafa que a selva está sem vida e sem cor, carente de música e alegria. Mas quem será esse novo amigo? É com a missão de alegrar a selva que Xana Toc Toc segue em direção a um lado desconhecido e misterioso da Ilha dos Sonhos, sem suspeitar que vai conhecer muitos amigos novos e viver aventuras tribais, mágicas e alucinantes. Aventura-te por entre as árvores e ao sabor do vento com a Xana Toc Toc no novo e muito aguardado DVD “Xana Toc Toc na Selva” e descobre o seu novo espectáculo. Que comece a aventura!



Entrada: €15,00; dos 3 aos 9 ANOS: €12,00

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foto de Cultura Vibra_Castelo Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Sons à Sexta" apresentam SURMA. 12 JAN, 22h30, Moagem, Fundão.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 11.01.18

Foto de Sons à Sexta.

Em parceria com a Antena 3, o SONS À SEXTA apresenta as bandas em destaque no atual panorama musical português. Com uma programação diversificada e para todos os gostos, pretende-se a divulgação, o convívio entre o público e a celebração da música!
Próximos em palco:
SURMA
Débora Umbelino é uma das artistas portuguesas em grande ascensão no universo da música independente. Por entre os loops e os samples das suas composições, Surma (o nome do seu projecto) revela uma palete de sons colorida e envolvente, que conquista o ouvido e o transporta para paisagens sónicas exóticas. Na sua música, explora o cruzamento de múltiplos géneros musicais; fazendo da electrónica a sua barca, mas não colocando de parte reinvenções e experiências com os sintetizadores.
Dia 12 de Janeiro pelas 22h30m o Sons à Sexta promete provar que a música electrónica portuguesa está de boa saúde com Surma no palco d´A Moagem.
Bilheteira:
A Moagem - Cidade do Engenho e das Artes, Fundão.
+Inf. 96 194 12 81 - 275 773 032

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Concertos de Asaf Avidan, Tiago Bettencourt, o regresso de Rui Sinel de Cordes e um espetáculo de Viviane, com uma atuação dedicada a Edith Piaf, são alguns dos nomes que compõem a agenda cultural de Castelo Branco para o primeiro trimestre de 2018.

O primeiro espetáculo infantil acontece já dia 27 de janeiro com a Xana TOC TOC na Selva, um espetáculo ansiado pelos mais pequenos.

O músico português Tiago Bettencourt é o primeiro grande concerto no palco do Cine-Teatro Avenida em 2018, dia 13 de janeiro, para apresentar o espetáculo "A Procura", título do disco lançado no final de setembro deste ano.

No dia 19 de janeiro, sobe ao palco do Cineteatro Avenida, pelas 21:30, o espetáculo de dança "Vespa" do coreógrafo Rui Horta e no dia seguinte, decorre um espetáculo de música e filme com os sons da Beira Baixa, a "Canção Raiana Perdida", fruto de uma recolha da autoria do músico e compositor Tom G. Hamilton com o apoio da ADRACES.

No campo musical, os Thirdsphere atuam no dia 03 de fevereiro, pelas 21:30, no Cineteatro Avenida de Castelo Branco, e a 14 de fevereiro, no mesmo palco, às 21:30, é apresentado o espetáculo "Deixem o Pimba em Paz", com Manuela Azevedo e Bruno Nogueira.

Em março, no dia 23, pelas 21:30, o Cineteatro Avenida recebe o espetáculo "Viviane canta Piaf".

Em Abril, dia 21, Castelo Branco é um dos dois palcos que o israelita Asaf Avidan pisará em abril na sua primeira deslocação a Portugal.

Em março, a 22 , regressa Rui Sinel de Cordes, com “London Eyes” o sexto solo de stand-up comedy.

O autarca albicastrense, Luís Correia realça que a agenda mantém uma oferta cultural cujos eixos de programação promovem os criadores e intérpretes de base local e destacados artistas no panorama nacional e internacional.

"No plano local, teremos, por exemplo, apresentações pela Pé de Pano Associação, Terceira Pessoa, concertos pelo João Roiz Ensemble, apresentação do novo disco dos Thirdsphere, um concerto pelos Castraleuca e o espetáculo pluridisciplinar A Canção Raiana Perdida", afirma o autarca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Emissão da segunda onda de bilhetes para o Festival da Eurovisão

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 20.12.17

Emissão da segunda onda de bilhetes para o Festival da Eurovisão já a caminho

A partir de hoje, dia 20 de Dezembro, está à venda a segunda série de bilhetes para a Grande Final do Festival Eurovisão da Canção 2018, que decorre em Lisboa.

Assim, vai poder escolher assistir ao vivo a um dos três espectáculos que compõem a Grande Final:

11 MAIO – GRAND FINAL JURY SHOW 19:30

Primeiro desfile das canções que vão à Grande Final. Este espectáculo realiza-se na noite anterior à Grande Final transmitida na RTP1, onde os júris de cada país assistem pela primeira vez ao desfile das canções a concurso na final.

12 MAIO – GRAND FINAL FAMILY SHOW 12:30

Espectáculo para a Família: Este espectáculo realiza-se na tarde que precede o espectáculo da Final e é dirigido às famílias, com preços mais acessíveis.

12 MAIO – GRAND FINAL LIVE SHOW 19:30

Espectáculo no dia 12 de Maio. Espectáculo ao vivo com emissão em directo na RTP1, onde serão atribuídas as votações finais e onde terá lugar a consagração do grande vencedor do Festival Eurovisão da Canção Lisboa 2018.

De referir que os três espectáculos são iguais, a única diferença será a votação, que só será conhecida na Grande Final transmitida em directo na RTP1 no dia 12 de Maio.

Tendo como objectivo promover um evento em família ou com amigos, os bilhetes para o Family Show e o Juri Show terão um valor mais acessível ao da Grande Final e irão permitir assistir a um espectáculo com a chancela de qualidade que já é tradição nas grandes finais dos Festivais Eurovisão da Canção.

Todas as informações sobre o sistema de venda de bilhetes em www.blueticket.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aniversário da Banda da Covilhã

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 02.12.17

Foto de Banda da Covilhã.

A Banda da Covilhã comemora os 73 anos da sua reorganização e 147 da Fundação no próximo dia 2 de Dezembro. Vai assinalar a data com concertos, homenagens e entrada de novos músicos.

As comemorações começaram no dia 1 de Dezembro em Lisboa, com a participação da banda no 6º Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas, num total de 33 na Avenida da Liberdade durante a tarde. Hoje, sábado, dia 2 de Dezembro, terá lugar o Concerto de Gala de aniversário pelas 21:30 na Igreja de S. Francisco, no Jardim Público da cidade. As comemorações terminam no domingo, dia 3 de Dezembro, com uma eucaristia de ação de graças na Igreja de S. Francisco pelas 10:00 horas e animada pelo coro e ensamble de sopros da banda, seguindo-se a tradicional romagem ao cemitério e o içar da bandeira pelas 12:00 horas na sede. Haverá ainda lugar à inauguração de fotos da história da banda, com destaque para o coro infantil e rancho folclórico que existiram na banda nos anos 80 do século passado. Segue-se o almoço de confraternização e o batismo dos 10 novos músicos.

A Banda da Covilhã tem a funcionar a sua academia de música, que este ano conta com 100 alunos. A aposta na formação é um dos pilares bases na construção do projeto pedagógico e musical, e que nos últimos anos tem contribuído fortemente para a descoberta de talentos nos sopros e percussão.

O reequipamento instrumental continua na ordem do dia, uma vez que são necessários 20.000,00€ para a sua renovação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

6º Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas "1º de Dezembro"

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 01.12.17

Foto de Movimento 1º de Dezembro.

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios. É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro, e com a parceria da CMP – Confederação Musical Portuguesa. Agradecemos também o apoio facultado pelo "Recheio" e pelo "Amanhecer".

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas "1º de Dezembro" ...foi um êxito em 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016. Será êxito maior em 2017.

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)
15h00 - Início do Desfile
16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.900 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.
17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 6ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:
Tocá Rufar (Seixal)

BANDA NACIONAL:
Banda da Armada

BANDAS FILARMÓNICAS:
Banda Musical de Figueiredo (Arouca)
Sociedade Recreativa e Filarmónica 1º de Janeiro de Castro Verde (Castro Verde)
Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)
Banda de Música da Carvalheira (Terras de Bouro)
Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)
Associação Recreativa Musical Covilhanense | Banda da Covilhã (Covilhã)
Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)
Banda Filarmónica da União de Aldeia de João Pires (Sociedade Recreativa e Musical) (Penamacor)
Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense (Sertã)
Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense (Vila Velha de Ródão)
Sociedade Musical Recreativa de Alqueidão / Filarmónica do Alqueidão (Figueira da Foz)
Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira (Montemor-o-Velho)
Sociedade Filarmónica Sangianense (Oliveira do Hospital)
Banda Filarmónica Simão da Veiga da Casa do Povo de Lavre (Montemor-o-Novo)
Sociedade Filarmónica Portimonense (Portimão)
Sociedade Recreativa e Musical Loriguense (Seia)
Sociedade Filarmónica Avelarense (Ansião)
Sociedade Artística Musical 20 de Julho de Santa Margarida do Arrabal (Leiria)
Sociedade Filarmónica Pedroguense (Pedrógão Grande)
Associação Musical e Artística Lourinhanense (Lourinhã)
Banda da Escola de Música da Juventude de Mafra (Mafra)
Banda Juvenil do Município de Gavião (Gavião)
Sociedade Musical Nisense (Nisa)
Sociedade Recreativa Musical Alegretense (Portalegre)
Sociedade Filarmónica de Crestuma (Gaia)
Sociedade Filarmónica Gualdim Pais (Tomar)
Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal)
Banda Municipal do Barreiro (Barreiro)
Banda Nova de Barroselas (Associação Banda Escuteiros de Barroselas) (Viana do Castelo)
Banda Marcial de Tarouquela e Municipal de Cinfães (Cinfães)
Banda de Música de São Cipriano “A Nova” (Resende)
Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias (Santa Comba Dão)

Será um total de 34 entidades, integrando 1 grupo de percussão, 1 banda nacional militar e 32 bandas filarmónicas civis.

Serão cerca de 1900 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país, que irão descer a Avenida da Liberdade para celebrar Portugal, a Independência e a Restauração, através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores, para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes, sob a direcção do Maestro Capitão-Tenente Délio Gonçalves, da Banda da Armada.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas. 

A apoteose final, com os músicos de todas as bandas formados em parada junto ao Monumento aos Restauradores, consiste na interpretação sequencial, como se de uma só orquestra se tratasse, dos Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

6º Festival Internacional de Músicas Antigas. 24 NOV a 9 DEZ, Idanha-a-Nova.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 22.11.17

O Fora do Lugar – Festival Internacional de Músicas Antigas realiza-se em Idanha-a-Nova, entre os dias 24 de novembro e 09 de dezembro, e apresenta nomes como Pino De Vittorio ou Danças Ocultas.

A sexta edição do Fora do Lugar volta a Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, com música, histórias, passeios, desenho, viagens, conversa, troca e aprendizagem.

“Há dois anos, o Fora do Lugar foi o palco de uma boa nova. Hoje, é novamente o palco onde celebramos o segundo aniversário enquanto Cidade Criativa da Música pela UNESCO, cruzando conceitos, práticas e territórios que refletem uma vocação integradora, visível à escala global”, explica, em comunicado, o diretor artístico da iniciativa, Filipe Faria, um dos responsáveis do projeto Arte das Musas e do agrupamento Sete Lágrimas.

Resultado da parceria entre a produtora Arte das Musas e o Município de Idanha-a-Nova, o festival conta ainda com o apoio do Ministério da Cultura e da Direção Geral das Artes, assumindo-se como uma proposta do mundo rural virado para o país, para a Península Ibérica e para a Europa.

“Recebemos, em 2017, o mestre italiano Pino De Vittorio, no encerramento, as Danças Ocultas na abertura, o pianista Filipe Raposo a acompanhar, improvisando, um outro grande mestre Charlie Chaplin e os seus ‘Tempos Modernos’, dois projetos da nova geração da Nova Música Antiga europeia – Scaramuccia e Musick’s Recreation – e um projeto especialmente concebido para o Festival, Erin/Iran? uma viagem da Irlanda ao Irão pelos seus intérpretes”, refere Filipe Faria.

A par da programação principal com Danças Ocultas (Portugal), Musick’s Recreation (Alemanha, Colômbia e Austrália), Scaramuccia (Portugal e Espanha), Erin/Iran (Irlanda, Irão, Catalunha e Hungria), Filipe Raposo e Charlie Chaplin (Portugal e Inglaterra) e Pino De Vittorio (Itália), o festival promove ainda um conjunto alargado de atividades paralelas nas áreas da natureza, desenho, programa educativo, ‘masterclasses’, ‘workshops’, gastronomia, entre outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O “Y – Festival de Artes Performativas” apresentará nas cidades da Covilhã e Castelo Branco, entre 23 de novembro e 02 de fevereiro de 2018, dez espetáculos de música, teatro, dança e performance, anunciou a organização.

“Queremos dar visibilidade às diferentes disciplinas artísticas e fizemo-lo de uma maneira mais ou menos equilibrada, [pelo que teremos] quatro espetáculos de dança, quatro de teatro, um de música e outro que é dividido entre o teatro e a dança”, referiu Rui Sena, da Quarta Parede, associação com sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco, que realiza este certame há 13 anos.

Destacando o “grande esforço” que tem sido feito para “manter vivo” este festival, Rui Sena também frisou a importância de este se realizar em cidades do Interior do país.

No que concerne à programação, o “Y – Festival de Artes Performativas” continuará a aliar o cruzamento das diferentes disciplinas artísticas com uma aposta nos novos criadores de arte contemporânea em Portugal e tem ainda a preocupação de integrar estruturas da região.

O festival conta ainda um eixo de programação artística pedagógica, denominado “Y – Públicos”, que integra encontros/reflexões entre espetadores e artistas, num conjunto de iniciativas que procuram afirmar o público como elemento participante, conforme referiu Sílvia Pinto Ferreira, assistente de programação.

Estão ainda previstas oficinas dramatúrgicas e ações de formação destinadas quer ao público em geral, quer para o público estudantil, desde o pré-escolar ao ensino superior.

Uma das ações prevê um encontro entre seniores e jovens, e outra desenvolver-se-á nas escolas do ensino pré-escolar, com especial incidência nas instituições que estão fora do núcleo urbano da cidade.

Nesta edição, optou-se também por estender a programação entre novembro e fevereiro, de modo a evitar uma oferta concentrada no tempo que, por motivos de agenda ou até mesmo económicos, pudesse dificultar a distribuição dos espetadores pelas diferentes apresentações.

Os espetáculos na Covilhã serão apresentados no auditório do Teatro das Beiras e a programação arranca no dia 23, às 21:30, com “Noiserv”, seguindo-se, no dia 29, à mesma hora, o espetáculo “Canas 44” pela Amarelo Silvestre.

No dia 05 de dezembro, às 14:30, realce para a apresentação de “Viúva Papagaio”, por Graça Ochoa e Alberto Carvalhal, e, no dia 07, às 21:30, a Companhia Paulo Ribeiro apresenta “Um solo para a Sociedade”.

A 16 de janeiro de 2018, às 14:30, Pé de Pano apresenta o espetáculo “Danças a Nascer” e, no dia 18, às 21:30, Hotel Europa sobe ao palco com “Portugal Não é um País Pequeno”.

Para dia 27 de janeiro, às 21:30, está marcado o espetáculo “Adapted to Y&Y”, de João Cardoso & Victor Gomes, e Mafalda Saloio apresenta “Brisa ou Tufão”, no dia 31 de janeiro, às 21:30.

Em Castelo Branco, as apresentações são às 21:30 no Cine-Teatro Avenida e estão marcadas para dia 19 de janeiro e 02 de fevereiro, respetivamente com Rui Horta e o espetáculo “Vespa” e com Mafalda Saloio e o espetáculo “Brisa ou Tufão”.

O orçamento desta 13.ª edição do “Y – Festival de Artes Performativas” é de 55 mil euros e conta com o apoio da Direção Geral das Artes e das Câmaras da Covilhã e de Castelo Branco.

O bilhete para o espetáculo de Noiserv custa 10 euros, com desconto de 50% para menores de 25 e maiores de 65 anos, estudantes e profissionais do espetáculo. Para os restantes espetáculos, o preço é de seis euros, sujeito aos mesmos descontos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Merak Trio. 10 NOV, 21h00, Auditório da UBI.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 08.11.17

Foto de Associação Cultural da Beira Interior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Image result for agenda cultural de castelo branco

O cantautor espanhol Patxi Andión e a banda portuguesa de heavy metal Mooonspell são os destaques da agenda cultural de Castelo Branco para o quarto trimestre do ano, onde se destaca ainda o bailado clássico Quebra Nozes.

O cantautor espanhol Patxi Andión apresenta, no dia 02 de novembro, a partir das 21:30, no Cineteatro Avenida de Castelo Branco, o espetáculo “Zeca no Coração”.

“Após oito anos de edição trimestral ininterrupta, a agenda municipal Cultura Vibra chega à sua edição número 33, com o histórico Patxi Andión na sua capa. Este é um dos destaques da edição que marca o Outono”, explica o presidente do município de Castelo Branco, Luís Correia.

Patxi Andión tem uma relação longa e profunda com Portugal, que remonta a 1969 e que passa pelo programa televisivo Zip Zip e pelo poeta José Carlos Ary dos Santos, que traduziu algumas das suas canções e as entregou à voz de Tonicha.

Nas suas visitas a Portugal, Patxi aprendeu a língua de Camões e conheceu José Afonso, o “amigo Zeca”, como a ele se refere e sublinha que estes concertos não pretendem ser uma homenagem, antes um reconhecimento.

Os albicastrenses vão ter agora a oportunidade de ouvir uma das maiores vozes de Espanha a cantar a obra de um dos maiores génios da canção portuguesa.

A agenda Cultura Vibra inclui ainda um vasto e diversificado conjunto de manifestações culturais que se desenrolam ao longo dos três últimos meses do ano.

“Como é habitual, muitos motivos de interesse, para os mais diversos públicos”, refere o autarca.

No campo musical, decorre no dia 11 de novembro, às 21:00, no Cineteatro Avenida, o XI Festival Internacional de Tunas Universitárias e, no dia seguinte, 12 de novembro, a partir das 19:00, a banda portuguesa de heavy metal Moonspell atua no mesmo palco, sendo que a primeira parte do concerto está a cargo da banda Bizarra Locomotiva.

No dia 17 de dezembro, pelas 17:00, o Russian Classical Ballet sobe ao palco do Cineteatro Avenida, para apresentar o bailado clássico “Quebra-Nozes”, que narra a história de uma menina que sonha com um príncipe, um Quebra-Nozes.

A interpretação está a cargo da prestigiada companhia de Russian Classical Ballet, de Moscovo, liderada por Evgeniya Bespalova e composta por um elenco de estrelas do ballet russo.

A agenda Cultura Vibra apresenta ainda um conjunto vasto de outras iniciativas como teatro, exposições fotográficas, cinema entre outras que decorrem ao longo dos últimos três meses do ano.

In: beiranews.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rui Massena integra compilação da Deutsche Grammophon

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 26.09.17

Rui Massena integra compilação da Deutsche Grammophon 

Rui Massena integra Expo I, uma compilação da Deutsche Grammophon com os mais importantes compositores contemporâneos, onde estarão também temas de Max Richter, John Cage, Jóhann Jóhannsson ou Ludovico Einaudi

A 29 de Setembro chega ao mercado "Expo 1", uma nova compilação da Deutsche Grammophon que reúne num duplo CD alguns dos mais importantes compositores contemporâneos, entre eles o maestro português Rui Massena, que neste disco estará lado a lado com nomes como Ludovico Einaudi, Max Richter, Jóhann Jóhannsson ou John Cage.

Rui Massena recebe assim o reconhecimento como um dos grandes compositores do actual panorama da música clássica.
Rui Massena vai estar nesta compilação com a composição "Valsa", que faz originalmente parte do álbum "Ensemble" (2016), gravado com a Czech National Orchestra, e que chegou ao 1.º lugar do top nacional de vendas.

"Expo 1" reúne uma série de compositores e intérpretes que não mais se regem por trâmites rígidos do que significa a música erudita.

"Expo 1" apresenta assim as vozes mais importantes do panorama actual da composição pós-minimalista, onde a música contemporânea clássica e vários estilos de música popular alternativa colidem”.

O resultado é um caleidoscópio fascinante de estilos e abordagens musicais individuais, tanto na composição como na interpretação.

Jonny Greenwood, Hauschka, Philip Glass, Ólafur Arnalds são outros dos compositores representados em "Expo 1" ao lado do português Rui Massena.

"Berlin by Overnight CFCF Remix", de Max Richter, interpretada pelo violinista Daniel Hope e o contrabaixista Jochen Carls é editada pela primeira vez em CD nesta compilação.
"Expo 1" irá estar também disponível num LP com 14 temas seleccionados a partir do alinhamento do duplo CD, mas também em formato digital e em streaming.

Rui Massena continua em digressão pelo país e já em Novembro próximo estreará o novo espectáculo - Rui Massena Band - no Misty Fest, em Lisboa e Porto.

02 de Novembro: CCB, Lisboa - Misty Fest [bilhetes]

11 de Novembro: Casa da Música, Porto - Misty Fest [bilhetes]

05 de Dezembro: Conservatori Del Liceu, Barcelona, Espanha

16 de Dezembro: Convento São Francisco, Coimbra

26 de Janeiro - Theatro Circo, Braga

03 de Março - Teatro Micaelense, Ponta Delgada

In: Jornal Hardmúsica

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pedro Abrunhosa e Teresa Salgueiro no TMG

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 06.09.17

Concertos de Pedro Abrunhosa e de Teresa Salgueiro, além do Festival Internacional One Man Band, destacam-se na programação do Teatro Municipal da Guarda (TMG) para os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.

O Festival Internacional One Man Band, que coloca em palco músicos que tocam vários instrumentos, vai decorrer nos dias 22 e 23 de setembro, a partir das 22:00, no café concerto do TMG.

No dia 22, uma sexta-feira, atuam Thee Rag N Bone (Escócia), Casuar (Portugal) e Edith Crash (França/Estados Unidos da América) e no dia seguinte, um sábado, Belly Hole Freak (Itália), O Gajo (Portugal) e Dollar Bill (Inglaterra).

Na música, destaque para concertos do sueco Jay-Jay Johanson (dia 13 de outubro), Teresa Salgueiro (28 outubro) e Pedro Abrunhosa & Comité Caviar (27 novembro).

Ainda na música, o público da cidade tem oportunidade de assistir a concertos de Talabarte (14 setembro), 10 000 Russos (15), Louisa Lyne & Yiddishe Kapelye (07 outubro), Trouble Trash (20), Cabeça de Peixe (26), Click (27), Norton (03 novembro), Odaiko & Vanesa Muela (17), Sean Riley & The Slowriders (02 dezembro), entre outros.

O TMG recebe também o espetáculo de contos e música intitulado "Contos e trovões, rezas e galináceos", da Calafrio - Associação Cultural (09 setembro).

No teatro, realce para as peças "Rua da Alegria" pelo Teatro das Beiras (21 outubro), "Jardim Zoológico de Vidro" pelos Artistas Unidos (04 novembro), "Poetas & Etcetera" pelo Aquilo Teatro (09 e 10 de novembro) e "O homem que não tinha inimigos e outras fábulas fantásticas" pelo Teatro do Calafrio (13 a 16 de dezembro).

A galeria de arte do Teatro da Guarda recebe as exposições "Escura", de Adriana Molder, entre 07 de outubro e 26 de novembro, e de fotografia "Transversalidades", organizada pelo Centro de Estudos Ibéricos (02 de dezembro a 28 de janeiro).

O programador do TMG, Victor Afonso, disse que a programação para os últimos quatro meses do ano inclui 62 sessões, com artistas de oito nacionalidades.

O responsável anunciou também que aquele equipamento vai ter em breve uma nova página na internet e uma nova bilheteira 'online'.

Victor Afonso disse ainda que nos últimos quatro anos (entre 2013 e julho de 2017) a programação do TMG incluiu 794 atividades e teve um total de 102.574 espetadores.

"Parece-me um balanço positivo", assumiu.

O vereador da Cultura da Câmara Municipal da Guarda, Victor Amaral, disse que a programação do TMG para os últimos meses do ano continua a ser "global" e "cada vez mais plural e abrangente", indo ao encontro "de todos os públicos".

Quanto ao balanço dos últimos quatro anos de atividade, referiu que "atesta a aposta política" que o atual executivo fez no equipamento cultural que considera "âncora" e uma referência nacional e internacional.

In: DN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vodafone Paredes de Coura'17. 16 a 19 AGO.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 14.08.17

Image result for vodafone paredes de coura 2017

Autoria e outros dados (tags, etc)

Image result for Andanças cartaz 2017

Um ano depois do incêndio que destruiu mais de 400 viaturas num parque de estacionamento do Andanças, em Castelo de Vide, o festival regressa hoje ao Alto Alentejo, num formato mais reduzido.

Promovido pela Pédexumbo – Associação para a Promoção da Música e Dança, o festival foi realizado nos últimos anos numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, tendo a organização optado este ano por uma zona “em redor” da vila.

“Este cenário [junto à vila de Castelo de Vide] não tem só a ver com a proximidade a uma população, nem com o que aconteceu (incêndio) no ano passado. Tem a ver com o pensamento que a direção tinha e que era tentar repensar o festival e a sua dimensão”, explicou à agência Lusa a responsável pela coordenação artística e gestão de projetos da Pédexumbo, Marta Guerreiro.

Contando com cerca de 300 voluntários, a 22.ª edição do Andanças apresenta também um formato mais reduzido, tanto em número de dias (entre terça e sexta-feira), como em número de público.

Sem esquecer o incêndio que ocorreu há um ano, a organização do festival afirma-se “solidária” com os lesados, levando a efeito, este ano, uma campanha de angariação de fundos para “ajudar todos aqueles que perderam as suas viaturas e bens”.

“Nós temos estado abraçados a um grupo formal que se juntou, a ´Ajudada`. Este ano, disponibilizamos a nossa caneca, que é uma imagem do festival, oferecemo-la para quem quiser comprar e contribuir para o fundo geral”, disse.

De acordo com Marta Guerreiro, a caneca tem um custo de um euro, estando também à venda mosquetões no valor de 50 cêntimos.

Quanto aos danos do incêndio de 2016, o advogado Pedro Proença, representante de 69 lesados, adiantou à Lusa que já foram recolhidos os comprovativos de pagamento da taxa de justiça de cada um deles e que estão a ser ultimados os pormenores para interpor, “ainda este mês”, uma ação em tribunal contra a organização do evento e município de Castelo de Vide.

De acordo com o advogado, a ação pretende reivindicar indemnizações de cerca de 800 mil euros por danos patrimoniais e cerca de 600 mil por danos morais.

“Houve um período relativamente longo de espera para conhecer o resultado do inquérito crime (quase seis meses) e foi complicado informar todos os lesados sobre o que se iria passar, tendo as pessoas muitas dúvidas em relação aos custos, houve sessões de esclarecimento e só agora essa fase foi concluída”, disse.

O Ministério Público (MP) anunciou a 02 de fevereiro deste ano o arquivamento do inquérito ao incêndio que ocorreu a meio da tarde do dia 03 de agosto de 2016, pouco antes das 15:00, tendo as chamas atingido total ou parcialmente 458 viaturas num dos parques de estacionamento nas imediações do festival.

O despacho final do MP concluiu que, “realizadas todas as diligências, não foi possível apurar quaisquer indícios que permitissem concluir que o fogo tivesse sido ateado de forma deliberada ou intencional”.

“Também não foi possível recolher indícios que permitissem apurar as circunstâncias concretas em que o mesmo ocorreu, nem a eventual responsabilidade negligente de alguém”, segundo um comunicado do MP, publicado na página da Internet da Procuradoria da Comarca de Portalegre.

O Andanças é um festival onde o público deixa a típica postura de espetador para assumir um papel ativo, participando nas oficinas e atividades que preenchem cada dia.

Este ano, entre os vários espaços programados, incluindo um mercado de artesanato, destaca-se o recinto do festival, no antigo campo de tiro, com três palcos de bailes e oficinas, o espaço crianças e famílias e o espaço das atividades paralelas, assim como várias áreas ´lounge` e um bar.

Para “estreitar laços” com a comunidade local, está prevista uma programação aberta e gratuita, que acontece no coreto do jardim público, no Cineteatro Mouzinho da Silveira, na Igreja de São Francisco, nas ruas da vila e também na aldeia de Póvoa e Meadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

MEO Sudoeste. Começa hoje!

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 01.08.17

Foto de MEO Sudoeste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Noites Azuladas. 28 e 29 JUL, Praça Manuel Cargaleiro, Castelo Branco.

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 27.07.17

No próximo fim-de-semana, na Praça Mestre Manuel Cargaleiro:

Foto de Cultura Vibra_Castelo Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tony Carreira, D.A.M.A e Expensive Soul na Feira Raiana em Idanha-a-Nova

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 25.07.17

Tony Carreira, D.A.M.A e Expensive Soul na Feira Raiana em Idanha-a-Nova 

David Antunes (26 de julho), Expensive Soul (27), D.A.M.A (28), Tony Carreira (29) e Lucky Duckies (30) serão os cabeças de cartaz da XXI Feira Raiana, em Idanha-a-Nova, por onde passarão muitos outros nomes.

É já de 26 a 30 de julho que o território UNESCO de Idanha-a-Nova vai receber um dos melhores eventos de cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha.

O certame é organizado em conjunto pelo Município de Idanha-a-Nova, o Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento, o Ayuntamiento de Moraleja e a Diputación de Cáceres.

Será uma grande mostra dos sectores Agrícola, Animal, Agroalimentar, Florestal, Turístico e Cultural.

Em simultâneo vão realizar-se o Fórum Mundial de Inovação Rural, com a presença forte de empresas e startups inovadoras, e o evento Saberes e Tradições da Beira Baixa, que promove os melhores produtos destas terras de excelência.

A abertura oficial está marcada para as 16h00 de 26 de julho (quarta-feira).

A entrada é livre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

FRC - Arraial Popular. Hoje, 21h00, Sede da FR Cortense. A não perder!!!

por Filarmónica Recreativa Cortense, em 15.07.17

Foto de Filarmónica Recreativa Cortense.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Fundada a 11-11-1899

Mais de um século ao serviço da Música, Recreio e Cultura!

.

Telemóvel:

* 967 687 837 * 967 706 294 *

* 969 375 934 *

.

Morada:

Rua Padre Silva n 6

6215-141 Cortes do Meio

Covilhã

.

Endereço eletrónico:

filarmonicacortense@iol.pt


Maestro: Fábio Daniel Esteves Pereira

Fábio Daniel Esteves Pereira nasceu a 28 de maio de 1986. É natural de Unhais da Serra mas cedo veio morar para a freguesia de Cortes do Meio.

Iniciou os estudos de formação musical e instrumento em 1997 na Filarmónica Recreativa Cortense como saxofonista com o maestro António Pão-Alvo.

Em 2000, sob a tutela do Pe. José António Loureiro Pinheiro toma parte da direcção artística do grupo Chama de Deus.

Em 2003 foi seleccionado para a Orquestra de Jazz do Centro, um masterclass jazzístico leccionado por Paulo Perfeito.

No âmbito do projecto Covilhã Filarmónico teve diversos estágios com professores de academia e conservatórios locais.

Em 2010 inicia os estudos em direcção de orquestra de sopros no CEDOS (Centro de estudos de direcção de orquestra de sopros) com os professores Luís Clemente em direcção e análise musical, Carlos Amarelinho em orquestração e Paulo Ramos em formação musical e auditiva.

Conclui o curso médio com 16 valores. Durante o curso médio trabalhou com as bandas da Covilhã, Ponte do Rol, Belinho, Cabreiros, Mafra, Banda Sinfônica da Covilhã.

No mesmo período lectivo obteve o primeiro prémio no concurso de direcção do ENOS ( Estágio Nacional de Orquesta de Sopros) Esposende.

Em 2013 iniciou os estudos em direcção de orquestra na academia de direcção da ACO ( Atlantic Coast Orchestra) com os professores Luís Clemente e Colin Metters em direcção de orquestra, José Fayos Jordan e Roberto Fiore em orquestração, Paulo Maciel e Jaime Branco em formação musical e auditiva. No mesmo ano começou a trabalhar na escola de música da Filarmónica Recreativa Cortense.

Dirigiu ensemble da ACO, orquestra sinfonica da ACO, Banda Nova de Manteigas e orquestra de sopros do ENOS Portel, EPABI e Escola Profissional de Seia.

Finalizou o curso superior da academia de direcção da ACO com 17 valores.

Em 2017 tomou posse da direcção artística e musical da Filarmónica Recreativa Cortense e deu início ao processo de equivalência de licenciatura na ABRSM (Associeted Board of the Royal Schools of Music).


Corpos Socias - triénio 2017/2019

Assembleia Geral:

Presidente: Marco Alves;

Vice Presidente: Joana Santos;

Secretário: Aline Miguens;

.

Conselho Fiscal:

Presidente: Bernardino Santos;

Vice Presidente: João Pedro Faisca;

Relator: Gabriel Vila;

.

Direcção:

Presidente: Alexandre Barata;

Vice Presidente: Adriano Esteves;

1º Secretário: Mafalda Santos;

2º Secretário: Flavio Inácio;

Tesoureiro: Francisco Pina;

Vogal: Leticia Vila;

Vogal: Steve Vila;

Vogal: Alexandre Barata;

Vogal: José Silva;



Mapa de actuações:

25-11-2017 - Encontro Filarmónico no Paúl;

.

17-12-2017 - Concerto de Natal na Igreja Paroquial de Cortes do Meio